Análise – Wreck-It Ralph


Uma medalha para os estúdios da Disney. Wreck-It Ralph ou Força Ralph, é a mais recente aposta dos estúdios de animação da Disney a chegar aos cinemas. Wreck-It Ralph conta a história de um vilão de um videojogo que não se identifica muito com o papel de… vilão.

Ralph (voz na versão original de John C. Reilly) está programado para destruir a fachada de um prédio, infernizar os habitantes e fazer um grande banzé, permitindo que Félix Junior (voz de Jack McBrayer) repare os estragos e expulse Ralph do topo do prédio, ficando com os louros e reconhecimento da comunidade, subjugando Ralph para a solidão e desconfiança.

E assim começa a história do nosso herói, que é vilão mas que quer ser herói. Ralph abandona o jogo onde vive há 30 anos e tenta a sorte clandestinamente num jogo chamado Heroes Dutty (Halo misturado com os robots da Matrix) para conquistar uma medalha e impressionar todos que o ostracizaram no videojogo onde vive.

Mas a natureza de escangalhar as coisas vêm ao de cima, e apesar da intenção de Ralph ser resolver os problemas, emerge um pandemónio no mundo dos videojogos, alterando as regras do jogo. Ralph aterra em Sugar Rush, um jogo de corridas ao estilo de Mário Kart, onde conhece Vanellope (voz de Sarah Silverman), uma pequena falha no sistema cujo grande sonho é sentir-se integrada e competir nas corridas.

Quem está á espera de encontrar um filme que encara o espirito do Super Smash Brothers, ou uma comédia ao estilo de Ice Age pode eventualmente ficar desapontado, Força Ralph é um filme para toda a família, que oferece 101 minutos de uma história clássica, mas muito bem contada com alguns cameos interessantes, sobretudo para quem já anda no mundo dos videojogos há muito tempo, (Zangief do Street Fighter, Kano do Mortal Kombat e o Pacman) mais algumas piadas que só os Gamers old school irão tirar todo o partido. Mesmo assim, não será preciso ter entrado num salão de árcades, para estabelecer uma relação de empatia com as personagens de Wreck-It Ralph.

O elenco de vozes ainda inclui Jane Lynch (a professora da popular série Glee) que dá a voz a Calhoun, uma general com mau feitio no videojogo  Heroes Dutty. Alan Tudyk interpreta King Candy, e Ed O´neil participa nesta longa metragem dando a voz a  Mr. Litwak.

Wreck-It Ralph é um filme consistente, as personagens aprendem com a experiencia das decisões tomadas, evoluem completando o arco da personagem, encontrando o espaço no universo onde habitam e construindo a epifania da respectiva existência. O climax do filme é a devida recompensa para os espectadores e para as personagens, e apesar de poder ser considerado previsível, ficamos com a sensação que não podia acabar de outra maneira.

Visualmente Wreck-It Ralph é bastante criativo, o videojogo Sugar Rush é detalhado com elementos surpreendentes e características deliciosas. A experiência 3D, não é fundamental para contar a história mas oferece alguns momentos interessantes.

Wreck-It Ralph é recomendado, provavelmente os Gamers podem ficar com o amargo de boca da perca de oportunidade de ver Mário e Sonic no grande ecrã ao estilo de Bugs Bunny e Mickey Mouse no filme Quem Tramou Roger Rabbit, mas provavelmente devido ao retorno financeiro da aposta em Wreck-It Ralph e pela forma como a história termina, é possível que a Disney aposte numa sequela no futuro. Fica também mencionado a extraordinária curta metragem de animação que precede o filme Wreck-it Ralph, de nome Paperman.

Positivo:

  • Um filme sobre videojogos
  • Todas as referências aos clássicos dos videojogos.
  • Universo Sugar Rush.
  • O moral da história.

Negativo:

  • A oportunidade perdida de fazer um filme épico.
  • A narrativa fica contida a três cenários.

Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Miguel Dias

Gostei muito do filme mas, entre os poucos aspectos que não gostei, um deles foi mesmo o Sugar Rush. Acho que, como disseste, tem pormenores brutais e está muito bem pensado (principalmente o verdadeiro vilão do filme) mas acho que é demais. A história passa-se toda lá e, por ser visualmente tão rico, a mim acabou por me cansar. Mas este é um apenas um pequeno pormenor num dos melhores (senão o melhor) filme de animação do ano. Merece bem o selo de recomendado 😉 Cumprimentos

Edgar Silvestre

é sem dúvida um candidato aos Óscares de Melhor Filme de Animação.
Wreck-it Ralph padece de um problema que é transversal na maioria dos
filmes de animação, segue uma receita consagrada que dá garantias que
funciona (O Shrek é muito parecido). E concordo, há tanta acção no Sugar
Rush que ficamos com diabetes, mas ver um filme onde as piadas sõbre
videojogos são quase como pop-art, é um upgrade muito grande na
Indústria Cultural.

Miguel Dias

Sem dúvida. É quase como uma consagração da indústria dos videojogos e seria brutal se acabasse mesmo por levar o Óscar para casa.

Nirvanes

Boas Edgar e (se é que posso dizer, uma vez que tu já fazias parte do projecto antes do Mygames) Bem-vindo!
Que análises vais fazer? Porque não fazer umas análisezinhas aos filmes fora do panorama Hollywood e Zon Lusomundo… isso era fixe. Como estudaste Cinema deves saber que há mais cinema para além dos Blockbusters, e podia ajudar aqui o pessoal abrir horizontes a outras coisas 🙂 Era uma ideia!
Não que o Wreck It Ralph, o Silent Hill ou mesmo o 007 não sejam filmes relevantes para se falarem aqui, até porque estão ligados ao universo sobre qual este site se debruça – os videojogos – mas podemos ver outras coisas também para além da cultura ‘pop’. Quem sabe mesmo uma rúbrica com reviews de filmes de culto (ou não) mais antigos, só mesmo numa de nostalgia e de dar a conhecer a users que não conhecem os clássicos e alguns marcos do cinema. É uma sugestão 😉
(Quanto ao filme ainda não vi, certamente irei ver, por isso não posso comentar ainda eheheh :P)

Edgar Silvestre

Olá Nivanes, a minha intenção é tentar desfrutar ao máximo do convite feito pelo Lemos e pelo Daniel. O desafio é simples, oferecer à comunidade e aos visitantes do site conteúdos que podem interessar. Vou tentar colocar sempre temas relacionados com a gnética do projecto, mas como fã de cinema e elementos audiovisuais, ambiciono criar conteúdos nostálgicos, temas dentro e fora do mainstream, Top5, Antevisões… E pretendo estabelcer uma relação de partilha e troca com quem acompanhar o meu trabalho. Estou curioso em ler sugestões e opin iões, e tenciono criar conteúdos relevantes com a vossa ajuda.

Nirvanes

Fico extremamente contente! Termos uma pessoa que estudou a 7ª arte ajuda a passar ao ‘próximo nível’ 🙂 Acima de tudo porque não temos apenas de levar com o Cinema Hollywoodesco e o que a Zon Lusomundo nos atira… há outros cinemas. Em Lisboa e no Porto a Medeia costuma intervir, por exemplo. Temos o vencedor da Palma de Ouro (Amour, de Haneke) aí à porta nos cinemas Medeia… porque não uma review do filme que ganhou o prémio mais prestigiante do mundo do Cinema?
Para além de quem há festivais importantes que vão decorrendo…
De qualquer das formas, estamos cá para fazer essas experiências. Espero por essas reviews alternativas e conteúdos nostalgicos… ia ajudar a dar uns passo extra!
Podes contar com a minha ajuda para sugestões pelo menos… e conto comentar o teu conteúdo uma vez que sou aficionado do Cinema, porque o estudo de certa forma, e porque é uma das formas de expressão mais bonitas que este mundo nos pode dar.

Qualquer coisa, já sabes! Estamos aqui também para te acolher e ‘experemer’ tudo o que nos possas dar eheh 🙂
Cumprimentos

Leonsuper

Boas, ainda não vi o filme, mas tenho que como é que este filme, sendo “Razoável” é recomendado, enquanto o Skyfall, sendo “Bom”, não é? Além disso não me parece que “Um filme sobre videojogos” seja um ponto positivo completamente válido, tendo em conta que só será algo mais positivo para fãs de videojogos.

Edgar Silvestre

Legítima observaçãoLeonsuper. Apesar de ser um filme razoável, o Wreck-it Ralph é recomendado pelo Próximo Nível sobretudo por ser uma aposta corajosa e pioneira da Disney. Wreck-it Ralph poderia estar melhor, mas tendo em conta a conjuntura teve muito mérito no resultado final.

Nirvanes

Nem tudo o que é bom é recomendável 🙂

Varela B.

Grande Análise , Parabéns ! Bem fui ver ontem o filme , achei possivelmente o melhor filme de animação que vi este ano , mas não apreciei muito o facto de o filme se passar quase todo o tempo no Sugar Rush , sim concordo que tem um grandes detalhes mas , fica um pouco cansativo . Mas de resto gostei de tudo , acho que foi dos poucos filmes produzidos pela Disney que fiquei comovido 😀

Edgar Silvestre

concordo. é um filme que nos faz sentir bem no desfecho e abre o “apetite” para uma sequela, para a qual eu serei ainda mais exigente

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
11
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x