Análise – O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos

o-hobbit-a-batalha-dos-cinco-ercecitos-ana-pn-img1

Chega ao fim a viagem pela Terra Média. A odisseia começou com o Senhor dos Anéis e a Irmandade do Anel, passou pelas Duas Torres e fechou temporariamente no Regresso do Rei. Uma última deslocação foi agendada para 2012, com a trilogia de O Hobbit, que narra a odisseia de Bilbo (Martin Freeman) durante um período turbulento no reino.

Evidentemente que Peter Jackson (realizador/produtor) estava a salivar para aumentar a conta bancária, mas a Terra Média é um dos imaginários mais ricos e interessantes da cultura literária mundial, e seria sempre um prazer mergulhar no imaginário de J.R.R. Tolkien.

THE HOBBIT: THE DESOLATION OF SMAUG

The Hobbit: The Battle of the Five Armies (outrora conhecido por The Hobbit: There and Back Again) dá sequência aos eventos ocorridos em A Desolação de Smaug. Bilbo e os Anões chegaram à Lonely Mountain e encontraram o dragão, terminado o segundo capítulo com Smaug (voz de Benedict Cumberbatch) em direcção a Lake-Town. O terceiro capítulo narra a queda de Thorin (Richard Armitage), e o combate na Terra Média pela conquista da Montanha, devido à importância da localização geográfica bem como o respectivo recheio.

O elenco conta com o regresso de rostos bem conhecidos, bem como a “corte” dos melhores actores britânicos, nomeadamente: Ian McKellen, Dean O’Gorman, Aidan Turner, John Callen, Orlando Bloom, Evangeline Lilly, Cate Blanchett, Hugo Weaving, Christopher Lee, Lee Pace, Ian Holm, Luke Evans e Stephen Fry.

o-hobbit-a-batalha-dos-cinco-ercecitos-ana-pn-img4

As considerações sobre a realização de Peter Jackson podiam ficar simplificadas com um mero copy/paste do parágrafo dedicado à realização nas análises anteriores, ou seja, é dinâmica, inteligente e o retrato de quem sabe perfeitamente a dimensão do material original.

Nos restantes domínios técnicos há a salientar que os efeitos visuais estão melhores e roçam a perfeição. Sublinhamos que as batalhas estão repletas com milhares de detalhes, vida e bem coreografadas. Por falar em coreografias, há a lamentar as cenas de combate com actores verdadeiros. Mais do que uma vez, o actor em evidência está na expectativa do movimento do “figurante”, para agir de acordo com a direcção, o que falseia a dinâmica orgânica da acção. Mais uma vez, a edição poderia ter sido optimizada com menos 30 minutos.

o-hobbit-a-batalha-dos-cinco-ercecitos-ana-pn-img5

É estranho ir ao cinema por obrigação. O processo deveria ser uma experiencia saudável e voluntária, mas a herança de O Hobbit tornou A Batalha dos Cinco Exércitos numa fatalidade sem entusiasmo, desnudada de interesse. E essa má expectativa, confirmou-se.

A experiência do último capítulo da saga vale pelos efeitos visuais e pela simpatia do universo existente. O recheio (história e personagens) é inócuo e desinteressante, resultado de uma história sem sumo e esticada até ao limite. Nem me atrevo a entrar no argumento fácil de que os personagens em Senhor dos Anéis são mais interessantes, e o personagem principal (Bilbo), que é mais consistente do que Frodo, fica diluído numa dinâmica narrativa novelesca e enfadonha.

O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos faz pouca justiça à obra, aos fãs e à brilhante trilogia do Senhor dos Anéis. Os três filmes soam a manobra de marketing à Tio Patinhas e fica a sensação que se perdeu um épico de cinema, para ser dividido em três filmes assim-assim.

 

 

Positivo

  • Combate com o Necromancer
  • Legolas é sempre divertido
  • Bilbo é mais interessante e heroico do que Frodo
  • Efeitos Visuais

 

Negativo

  • Smaug e Gandalf em Part-Time
  • Os momentos cómicos
  • Drama de Thorin
  • Tanto tempo investido em alguns personagens e ficam sem epilogo?

razoavel-oficial-an-pn-img

Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Duarte

Embora eu tenha absolutamente adorado o filme anterior, acho que esta trilogia teria ficado melhor estruturada em 2 filmes. Haveria menos filler e um maior foco no Bilbo, que honestamente era a personagem mais interessante do filme (das novas pelo menos). Concordo praticamente com tudo o que foi apontado, excelente análise.

Marco Correia

eu não gostei nada do filme (nem da trilogia), estava na duvida se isto era a trilogia hobbit ou a trilogia “encher chouriços”, mas com este ultimo filme esclareceu-me acerca disso, só aquele momento de 1 minuto (+-) sobre o gandalf a tentar acender o cachimbo…..

flyergd

**SPOILER**

O dragão a morrer devia ter sido o climax do segundo e não o início do terceiro filme…

Lfo

Yeap, os 20 mins iniciais deste filme, deviam estar no final do outro.

Edgar Silvestre

quisrem criar um gancho entre filmes

tylarth

Vi o primeiro não achei grande coisa, pareceu-me demasiado “esticado”. Vi o segundo a saltar cenas e este terceiro não tenho vontade de ver. Acho que um filme tinha chegado bem para isto. Mas a vaca anda cheia de leite.

Silver4000

É algo que só se poderá comentar com o filme visto.
No entanto achei que o segundo teve uma ou duas cenas a mais e que não tenho a certeza de que sejam importantes para a trilogia.

No entanto pelos trailers e isso, deu-me a impressão de que queriam fazer o ultimo filme igual ao Regresso do Rei, no que toca às batalhas, se o conseguiram ou não, não sei.

Lfo

As sequências de porrada do Legolas, enchei-me sempre os olhos!

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
8
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x