Análise – Hi Score Girl

A lista de ofertas da Netflix tem vindo a crescer no que toca a Anime e a escolha começa a ser cada vez maior e diversificada. Como é natural, alguns podem passar despercebidos no meio de tanta confusão e hipóteses.

Embora tenha crescido a ver animes como Dragon Ball, Samurai X e Naruto, a verdade é que os Slice of Life têm vindo a crescer nas minhas preferências no que toca a escolher o que ver a seguir. Especialmente se tiverem alguma comédia à mistura.

No ano passado, Love is Hard for an Otaku foi um dos meus preferidos por misturar comédia romântica e videojogos e ao que parece, este ano Hi Score Girl é claramente um dos meus favoritos em termos de Anime. Por isso mesmo, aqui está a minha análise com as duas temporadas disponíveis no Netflix.

HI-Score Girl é baseado no trabalho de Rensuke Oshikiri, o qual criou uma história de amor com base nas competições de jogos tidas nos salões de jogos de arcadas. A história começa no era dourada dos jogos de luta em 2D como Street Fighter 2 e vai desenrolando daí em diante, chegando até à era da Playstation e Sega Saturn. É bastante interessante ver como o romance se mistura de forma inteligente com o conteúdo dos videojogos, a ponto de ser uma fusão quase natural.

A personagem principal é Haruo, um rapaz que vive intensamente a vertente competitiva, sendo um dos melhores jogadores do seu bairro. Isto até surgir Akira Ono, uma rapariga misteriosa e extremamente silenciosa que dizima quase todos os outros jogadores com o seu Zangief. A disputa entre os dois começa aqui e é inevitável que os dois começem a gravitar na mesma direcção.

Pelo caminho surgem outras personagens importantes, como o motorista de Ono, a irmã dela, a mãe de Haruo, entre outras, mas uma das melhores e tão importante como os dois principais é Hidaka, uma das personagens com melhor personalidade e crescimento como personagem que vi em tempos recentes num Anime deste género. Devido ao triângulo amoroso que se cria, todas as personagens são obrigadas a evoluir e crescer para descobrir como a vida é mais complicada do que parece.

De forma hilariante, as personagens dos videojogos não estão lá apenas para encher, pois muitas delas são personagens a sério. Guile de Street Fighter é o confidente de Haruo com várias recomendações e conselhos, Zangief é quem dá forças a Ono e Hidaka que começa como alguém que não gosta de jogos, até ganha a sua personagem com Huitzil de Darkstalkers. Mas não é só por aqui que ficam as aparições de outras personagens icónicas, pois existem muitos mais jogos que trazem personagens como confidentes.

Tendo em conta que Hi Score Girl decorre ao longo de vários anos, é uma viagem no tempo e nostalgia para quem está cá desde os anos 80 e 90. É verdade que em Portugal a cultura do Arcade é menos intensa que no Japão e grande parte das máquinas que haviam estavam nos cafés e afins, mas felizmente tivemos acesso a muitos destes jogos com as consolas que foram lançadas e ver jogos clássicos tão bem mostrados neste Anime é extremamente divertido e algo que seria um terror para qualquer empresa ter a licença para tudo (algo que podemos ver nos créditos de cada episódio). Além do mais, Haruo tem como hábito comentar e introduzir muitos deles, por isso até os menos conhecedores não vão ficar totalmente perdidos.

Apesar de todas as qualidades do Anime, nem tudo é perfeito. O início da série é um pouco lento e Haruo consegue ser uma personagem irritante nas suas acções e que nunca para de falar. Ono por outro lado não fala, por isso as outras personagens precisam sempre de falar por ela, o que é uma recorrência gira, mas que também assume algum elemento monocórdico. Depois temos o chavão da personagem principal que é demasiado denso ao ponto de mesmo quando sabe que é correspondido, não percebe nada do que sente e dos sentimentos das outras personagens. Este é um dos motivos pelo qual Hidaka é a minha personagem favorita, dado o seu crescimento ao longo da série e ter coragem para assumir e ir à luta pelos seus sentimentos.

Alguns episódios são claramente mais fortes que outros, sendo que muitos deles só vão agradar aos fãs de videojogos dado o seu posicionamento vincado nos elementos dos jogos apresentados e o seu foco. De qualquer forma, episódios menos equilibrados é algo que acontece sempre em todas as séries e Anime. Curiosamente é raro o episódio que não deixe nada em suspenso para o seguinte, mesmo que por vezes pareça não ser assim tão importante para continuar a narrativa.

Sendo um Slice of Life de comédia, o traço de Hi Score Girl é bastante limpo, quente e até fofinho. As personagens são quase sempre desenhadas com traços mais redondos, ao contrário dos cenários que usam linhas inconstantes. Algo que se percebe ser um estilo assumido. É impressionante ver a qualidade da representação dos jogos nas arcadas e o quão fiel são os desenhos das consolas e afins. Embora Haruo tenha um desenho básico, quase todas as outras personagens são bastante distintas e com uma imagem que fica na cabeça, especialmente Ono e Hidaka como seria de esperar. A versão que vi foi totalmente em japonês, não só porque não gostei muito das vozes da versão inglesa, como percebi que a legendagem portuguesa cumpria muito bem o seu papel, com as referências quase sempre no sítio certo e bastante cuidado. É pena não haver uma dobragem para português de Portugal como opção.

Quanto às músicas, posso dizer que a primeira Opening (New Stranger de sora tob sakana) é bastante boa mas foi a que demorei mais a habituar, a passo que a segunda (Flash também de sora tob sakana) transpira sonoridade de videojogos e é um hit imediato. O segundo ending (Unknown World Map de Yakushimaru Etsuko) é igualmente agradável de ouvir, mas foi o primeiro que me conquistou por completo. AfterSchoolDi(e)stra(u)ction de Yakushimaru Etsuko encaixa tão bem na série com uma “vibe” tão nostalgica que até faz lembrar um City Pop japonês mais suave. Por isso mesmo foi a minha companhia para escrever esta análise. Podem ouvir a música já de seguida.

Hi Score Girl está longe de ser perfeito e algumas pessoas vão torcer o nariz por ter tanto conteúdo de Gaming. É uma pena pois Hi Score Girl é um Anime autêntico que se foca numa mensagem forte de como os videojogos conseguem unir as pessoas em seu redor e ajudar a eliminar barreiras, ao ponto de contruir relações, algo que não é de todo raro na verdade. Se procuram uma série bem disposta, divertida com pinceladas de romance pelo caminho, então recomendo Hi Score Girl vivamente.

Positivo:

  • Evolução das personagens
  • Excelentes referências a videojogos
  • Momentos cómicos bem conseguidos
  • Passa uma boa mensagem
  • Boa escolha de músicas
  • Personagens secundárias com valor

Negativo:

  • Haruo consegue ser irritante
  • Por vezes parece não ir a lado nenhum
  • Muito monocordico em vários momentos

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram