Análise – 1-2-Switch

Este é um daqueles jogos que é extremamente divertido mas com falhas graves e a primeira começa mesmo com o preço. Sendo que 1-2-Switch tem cerca de 28 mini-jogos e alguns são variações de outros já existentes contamos verdadeiramente com cerca de 20 mini-jogos diferentes. Como qualquer jogador um pouco mais experiente consegue facilmente atestar, 1-2-Switch é uma demonstração das capacidades da consola Nintendo Switch. É um jogo extremamente divertido com amigos, mas não é um jogo para todos pois não é tão fácil como parece para todos os jogadores.

Para começar 1-2-Switch é um jogo exclusivamente multi-jogador não tendo qualquer modo para 1 jogador como o habitual bater de records; isto claro com a exepção de dois mini-jogos que requerem que se jogue 1 de cada vez para ver quem é que consegue uma maior pontuação, mas duvido que comer sandes seja divertido durante muito tempo. Sendo assim este jogo só valerá a pena se tiverem com quem jogar de forma regular. Depois temos outro pequeno problema que é a experiência dos jogadores envolvidos. Para quem esteja acostumado a estas andanças se nos pedirem para fingir que estamos a jogar ténis de mesa com os Joy-Con como a raquete facilmente assumimos o Joy-Con como uma raquete e começamos a jogar, no entanto ao contrário do que acontecia com o Wii Sports o suporte visual não existe e destrói completamente a capacidade de alguns jogadores menos experientes de se saírem bem ou de sequer desfrutarem do momento. Sendo mais concreto com um exemplo, tive a oportunidade de jogar com a minha família e a estranheza levou-os a não desfrutarem desse género de mini-jogos.

No entanto jogos mais simples como o Quick Draw foram fáceis de ensinar e proporcionaram momentos bastante agradáveis, pois quem é que nunca fingiu disparar uma pistola com as mãos? A Nintendo apercebeu-se deste problema e classificou os jogos numa escala de dificuldade de uma a cinco malaguetas, vá-se lá saber o porquê das malaguetas. No entanto com isto dito, significa que grande parte das pessoas que estariam num ambiente de festa não conseguem desfrutar de parte dos mini-jogos.

 

Vamos então agora supor que estamos num ambiente em que os jogadores presentes são experientes ou têm facilidade em adaptar-se ao que o jogo pede. Qual é a probabilidade de todos se divertirem? É bastante alta. Quer seja pelas figuras ridículas que fazemos ou os azares alheios tudo culmina em galhofa… ou frustração. Nem tudo funciona a 100% existem alguns mini-jogos que claramente requerem condições ideais e talvez alguma sorte, o mini-jogo que vou dar como exemplo consiste em fazer a barba sendo que os Joy-Con são as máquinas de barbear. O jogo assume que temos o Joy-Con seguro tal como uma máquina e pretende que passemos com a máquina em toda a cara dentro de certo tempo. O que aconteceu de quase todas as vezes que experimentámos foi que um dos Joy-Con não conseguia assumir os movimentos correctamente acabando por frustrar o jogador em questão.

Por outro lado jogos como o Wizard requerem um pouco mais de interação e percepção do que se passa. No caso do Wizard ambos os jogadores lançam um feitiço em simultâneo e os jogadores têm que encolher e esticar o braço como se tivessem a enviar mais força ao feitiço e o jogador adversário tem que ripostar, demasiado cedo e o feitiço do adversário começa a ficar perigosamente perto, mas se for no timing correcto o adversário que se prepare para levar com qualquer que seja o feitiço que vos apeteceu lançar. Repararam em como eu vos incentivei a lançar um feitiço à vossa escolha? Isso não vem nas regras, mas tal como o 1-2-Switch vai dando sugestões para diversificar a diversão também eu tomei a liberdade de o fazer. É normal durante o jogo aparecerem mensagens com sugestões para apimentar as situações, nem que seja com chapéus, caso os tenham. A maioria dos jogos consistem numa das várias funcionalidades dos Joy-Con, desde o sensor de infra-vermelhos para detectar objectos, o HD Rumble ou vibração em alta definição, movimentos precisos desde ângulos a velocidade e detecção de gestos se bem que esta é mais uma movimentação camuflada pela nossa ideia de qual deve ser o movimento.

Devido à natureza versátil da Nintendo Switch podemos levar a festa para qualquer lado, quer seja no modo de mesa ou na própria TV o 1-2-Switch tem uma apresentação simples mas bastante eficaz. Devo mesmo frisar que o aspecto simplista dos menus e dos vídeos tutoriais de cada mini-jogo são fáceis de entender e demonstram bem aquilo que devemos fazer ou quase, uma vez que não é raro fazer-se uma primeira ronda de teste quando não conhecemos um dos mini-jogos.

A grande maioria dos jogos do 1-2-Switch são efectuados sem olhar para o ecrã durante o calor da acção e a própria Switch ou a TV acabam por ser um guia sonoro destes mini-jogos e uma tela de fundo para quem está a ver. Em termos sonoros tenho apenas a dizer bem de 1-2-Switch, não só as músicas escolhidas para o momento da revelação das pontuações me enche de vontade para voltar a agarrar nos Joy-Con e voltar a desafiar alguém, como as instruções são claras e a música ambiente de cada mini-jogo ajuda os jogadores e embrenharem-se no espírito da brincadeira.

Falta-me então falar de dois modos de jogo. Como é óbvio podem escolher o mini-jogo que quiserem quando quiserem mas e se não souberem exactamente o que jogar? 1-2-Switch tem um modo Random no qual escolhe aleatoriamente um dos vários mini-jogos disponíveis e conta ainda com um modo de equipa. Este modo de equipa consiste em colocar equipas de 2 a 20 jogadores numa série de mini-jogos e demora cerca de 30 minutos a concluir.

Como penso já ter dado a entender existe aqui tanto de bom como de mau, se alguns jogos funcionam na perfeição outros têm alguns problemas que os impossibilitam de ser tão divertidos como poderiam ser. Jogos mais simples ou mais complexos cabe-nos a nós escolher quais os mais indicados para cada situação. Uma coisa é certa, para um público que esteja habituado a videojogos a diversão não vai faltar, para os restantes poderão existir restrições mas há sempre alguns jogos simples para todos, nem que seja abanar garrafas de líquido gasoso. Como um todo 1-2-Switch não vale o preço que é pedido, obviamente seria uma mais valia enquanto jogo de bundle de consola, ou um jogo vendido a um preço muito mais baixo já que as situações em que pode ser realmente desfrutado são muito específicas e nem tudo funciona a 100%.

Positivo

  • Apresentação simples e eficaz
  • Complexidade de cada mini-jogo identificada
  • Existem aqui mini-jogos realmente divertidos
  • Boa representação daquilo que os Joy-Con são capazes
  • As dicas que o jogo apresenta conseguem de certa forma avivar a chama

Negativo

  • Alguns mini-jogos apresentam problemas constantemente
  • Não consegue ser desfrutado por todos de igual forma
  • Preço elevado tendo em conta o conteúdo
  • Mesmo os melhores mini-jogos acabam por cansar relativamente depressa

Latest posts by Alexandre Barbosa (see all)
Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Shinig@mi

Podemos mesmo dizer: “Nintendo, milking the cow.”

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x