Análise – Horizon Zero Dawn – Complete Edition

Horizon Zero Dawn é um dos jogos mais marcantes da atual geração. O ponto central são os combates contra máquinas, muitas vezes gigantes, estas encontram-se repletas de peças para arrancar e pontos fracos para descobrir. Variedade de máquinas não irá certamente faltar. O que é incrível é que mesmo quando encontramos várias vezes as mesmas máquinas, fatores como o terreno em que nos encontramos ou o número de máquinas em combate, obriga-nos a encarar cada combate de uma forma única. No entanto, a Guerrilla Games não se contentou com uma boa mecânica e entregou a mesma envolta num mistério, com um mundo rico para explorar.

A versão PS4 do jogo saiu em 2017. Quer estivéssemos a falar da versão PS4 Pro ou PS4 normal, a experiência é incrível. Este ano Horizon Zero Dawn chega ao PC sob a versão “Complete Edition” que traz a expansão The Frozen Wilds em adição ao jogo original assim como o New Game Plus que foi introduzido mais tarde na versão PS4. Um jogo totalmente otimizado para PS4 chega ao PC e todos queremos saber como se comporta esta versão do jogo. A resposta não é simples, tal como o jogo, existem várias opções para se adequarem ao vosso PC.

Num mundo ideal, o jogo consegue correr a 4K sem limite de fps. Conta com um campo de visão bastante amplo, suporte para wide monitors e quase tudo o que possam imaginar desde a possibilidade de ligar ou desligar motion blur, modos de oclusão, etc. A única exceção será o ray tracing, tecnologia não suportada neste jogo. Existem várias opções disponíveis e detalhadas para personalização de parâmetros. O único ponto que acho completamente inadmissível nos dias que correm é a falta de uma opção de sair diretamente do jogo para o ambiente de trabalho. É necessário sair para o menu principal e só depois podemos sair para o ambiente de trabalho.

Se não têm grande afinidade com a preparação de um jogo de PC, Horizon Zero Dawn: Complete Edition ajuda-vos a começar. Assim que iniciarem o jogo pela primeira vez, o jogo irá adequar-se ao vosso PC de forma automática. Este processo levou cerca de 15 a 20 minutos no meu PC e não foi completamente correto. Tive que otimizar manualmente o jogo ao meu PC, mas algumas escolhas e cedências depois, consegui jogar Horizon Zero Dawn como nunca pensei ser possível em 2017.

Assim por alto, o meu PC conta com uma GTX 1660 6GB, um i7 que está quase na idade da reforma, 8gb de ram GDDR4 e o jogo foi instalado num SSD. Joguei num monitor com uma resolução 1080p e sem HDR, opção disponível no jogo se tiverem suporte para o mesmo. Horizon Zero Dawn: Complete Edition, achou por bem atribuir-me as especificações máximas, com a exceção do HDR e 4K, penso que tudo foi ligado “a todo o vapor” no início. Sinto-me lisonjeado, mas tive que pedir calma e compreensão ao jogo, jogar com quebras de fluidez não é engraçado. Acabei por otimizar o jogo manualmente com muito pouco compromisso e o resultado foi bastante bom, ainda que sinta que com 16Gb de ram, o jogo tivesse conseguido chegar a todo o seu esplendor.

Horizon Zero Dawn: Complete Edition entrega um conjunto de opções simples de compreender e testar, qualquer jogador conseguirá encontrar a forma ideal de jogar no seu PC. A minha experiência acabou por ser bastante estável e incrível. Pessoalmente, em comparação com a minha experiência na PS4, o jogo apresenta-se com imensas melhorias. Destaco o campo de visão, a fluidez e os loadings extremamente rápidos como o que mais gostei nesta versão do jogo já que os modelos não sofreram alteração, tudo o que foi modificado diz respeito à apresentação dos mesmos, incluindo Aloy.

Ainda assim há coisas que não mudam. O jogo é o mesmo, apresenta os mesmos problemas de expressões faciais e vozes de personagens secundárias que não parecem encaixar entre outros problemas do original. Esta versão concentra-se apenas em entregar um jogo tecnicamente capaz de ultrapassar a sua versão PS4. Mas isto é bom, pois também é sinónimo que tudo o que fez bem, continua aqui. Podem consultar a nossa análise a Horizon Zero Dawn aqui e à sua expansão, The Frozen Wilds aqui para saberem o que esperar das mesmas em termos de mecânicas e narrativa.

A história é fantástica, especialmente descobrir o que realmente aconteceu neste universo. Para quem nunca jogou Horizon, esta é uma aventura de ação extraordinária. Podem contar com momentos de ação de cortar a respiração, momentos de tensão e revelações espetaculares. Nunca me esquecerei da primeira vez que desvendei os mistérios de Horizon Zero Dawn, os momentos em que a minha imaginação voou sobre as possibilidades de tudo aquilo que me estava a ser apresentado, é um mundo que vale a pena descobrir e agora podem fazê-lo numa melhor versão do jogo.

 

Positivo

  • Visualmente incrível
  • Várias opções para otimização
  • Imenso conteúdo para aproveitar
  • Combate muito divertido
  • O foco na destruição de máquinas continua a impressionar
  • História do mundo de Horizon é incrível

Negativo

  • Npc secundários com desempenho de voz terríveis
  • Expressões faciais durante cinemáticas e conversas são estranhas
  • Momento de otimização inicial extremamente longo e pouco preciso

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram