Análise – Microsoft Flight Simulator

Vamos pôr já uma situação em pratos limpos: eu nunca fui grande fã da série Flight Simulator, nunca achei fascinante mesmo após ter as várias edições que foram lançadas ao longo dos anos. Sempre achei pouco estimulante e demasiado simulador para o meu gosto, mas com o passar do tempo existem gostos e opiniões que mudam, portanto veremos se ainda me sinto desta forma com esta nova edição do jogo.

A tarefa de produzir este novo Microsoft Flight Simulator foi incumbida à Asobo Studio, estúdio responsável por jogos A Plague Tale: Innocence, Fuel ou até Zoo Tycoon: Ultimate Ani­mal Collection, que não tem uma enorme experiência com este tipo de simuladores. Esta não é a primeira vez que a Microsoft exporta o projecto para outro estúdio, até porque Flight Simulator X foi produzido pela Aces Game Studio.

Tal como o nome indica, este é um jogo de simulação que nos colocará a pilotar todo o tipo de aeronaves existentes no nosso planeta, sejam elas mais simples como avionetas que nos levam a dar umas voltas pela nossa região, até aos gigantes comerciais que nos levam de um país para o outro e mesmo sendo um jogo, fica sempre sempre aquele sentimento de responsabilidade de descolar e aterrar uma aeronave, que no meu caso me deixa sempre um pouco ansioso.

Antes de sequer podermos levantar um avião, é necessário saber o tipo de experiência que temos com aeronaves e quão bem conhecemos os vários conceitos, portanto teremos um sistema de dificuldade e de realismo à nossa espera para podermos ajustar de acordo com as nossas necessidades que mais tarde podemos revisitar e novamente fazer outros ajustes se assim for necessário.

O sistema de tutorial funciona de uma maneira bastante simples, oferecendo vários conceitos básicos de como pilotar uma aeronave desde manter a altitude, estabilidade, aterrar, descolar e afins, e mesmo nestes ensinamentos básicos começamos a ficar “com o bichinho” da pilotagem. A partir do momento em que aprendemos a descolar e a aterrar a nave com sucesso, ficamos a conhecer o básico para pilotar qualquer tipo de aeronave.

Quando começamos a controlar as várias aeronaves disponíveis, vamos deixar a nossa veia aventureira tomar as rédeas, e é aqui que Microsoft Flight Simulator brilha. A possibilidade de podermos viajar e vislumbrar de uma forma aérea algumas das nossas localizações favoritas ou que nos puxam o interesse, é a maior essência deste simulador. No meu caso adorei fazer uma viagem entre aeródromo de Tires até Ponte de Sôr em Abrantes, e ver quanto tempo demoraria num Cessna ao invés de uma viagem de carro.

Tecnicamente, Microsoft Flight Simulator é um marco enorme. Este é um jogo que com a máquina certa consegue dar-nos um nível de detalhe impressionante no geral. Posso nunca ter pilotado uma aeronave, mas através da minha experiência como passageiro posso dizer que toda a superfície do planeta terra visto do céu é um panorama incrível e dá-nos uma boa sensação de altura e velocidade mesmo apesar da altitude. Vários efeitos como vento e chuva fazem-se sentir em vários aspectos, seja nos detalhes visuais como na performance do próprio avião, e isso é impressionante.

Mesmo assim, todos os aspectos técnicos têm um preço, e tal como afirmei em cima, vamos precisar de uma máquina bastante potente para poder correr o jogo no seu poder máximo. Caso não consigamos, ficamos com bons cenários, mas algumas das texturas serão um pouco fracas que de uma certa forma não estragam a experiência. Outro dos preços a pagar centra-se nos loadings em zonas mais carregadas de edifícios e infra-estruturas.

Um dos pontos que sempre me fez confusão nesta série e que está mais ou menos colmatado, é o facto de não ter um factor competitivo que nos leva a desafiar outros jogadores directamente, e em Microsoft Flight Simulator continuamos a desejar de algo mais robusto nesse sentido. Foi então introduzido um sistema de leaderboards que de uma maneira simples nos permite competir com outros jogadores no que toca ao manusear ou aterrar uma nave com sucesso num aeroporto.

Dado à minha inexperiência no que toca a pilotagem de aeronaves, nunca conseguirei dizer ao certo o quão fidedigno este jogo se compara com a realidade, mas uma coisa é certa, a primeira impressão deixada por este jogo é de completa deslumbrância e um sentimento de aventura e poder por saber que estamos a voar pelos céus. Passamos a conhecer os conceitos básicos para a pilotagem e aprendemos a manusear não só uma simples avioneta como um avião comercial, e uma coisa é certa, o nervoso miudinho nunca me deixou ficar sereno a pilotar o que quer que fosse, algo que eu achei fascinante.

Microsoft Simulator é um dos simuladores mais impressionantes que alguma vez experimentei. O nível de realismo, trabalho e detalhes que foram inseridos no jogo transparecem no resultado final. A Asobo Studio criou na sua essência um dos melhores simuladores de que há memória e espero que no futuro seja complementado como mais aeronaves e quem sabe modos alternativos que nos dêem a capacidade de competir com outros pilotos.

 

Positivo:

  • Experiência intuitiva e desafiante
  • Atenção ao detalhe de cada aeronave
  • Informações em tempo real como meteorologia, tempo, etc

Negativo:

  • Tempos de loading
  • Exigência elevadas nas especificações da nossa máquina

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram