Análise – Mass Effect 3 Special Edition

Quando foi lançado, Mass Effect agraciou apenas o PC e a Xbox 360. Desde então a saga migrou também para a PS3 em Mass Effect 2 e agora a Wii U com Mass Effect 3 Special Edition.

Quase um ano depois, um dos grandes RPG deste ano resolveu conceder um impulso à Wii U e dar mais um motivo aos fãs do género para comprar a nova plataforma da Nintendo. Quem chegou mais tarde ficará satisfeito com esta versão?

Como já tinha jogado Mass Effect 3 na sua versão PS3 (e uns minutos em PC), já sabia o que me esperava, como tal, e para ter um sabor ligeiramente diferente da minha primeira experiência, resolvi escolher a versão feminina de Shepard e assim ouvir a prestação da actriz que dá a voz à versão ruiva do herói.

Neste terceiro jogo, a história já vai avançada, colocando Shepard num confronto directo com os Reapers com o principal objectivo de salvar a terra e com ela o resto do universo.
Caso tenham ou não jogado os anteriores, esta versão inclui um resumo dos jogos anteriores em forma de BD interactiva onde podem tomar as decisões mais importantes que vão ter reflexos no terceiro jogo.

Para quem não conhece a série, Mass Effect é um RPG tipicamente ocidental apoiado num sistema de acção na terceira pessoa com forte utilização armas de longo alcance, poderes bióticos e utilização de cobertura. Os cenários estão construídos em redor desta necessidade constante e isto acaba por ser um instinto básico ao final de meia dúzia de horas de jogo.

No âmago de Mass Effect 3 e do seu estilo está um jogo que dá uma extrema importância à escolha de diálogo e interacção com as personagens que vos rodeiam. É possível criar uma relação amorosa com um/uma colega, criar aliados de guerra, inimigos, entre outras acções que influenciam o desenrolar da história e a forma como são vistos pela vossa equipa.

Quando comparado com as versões restantes lançadas previamente, Mass Effect 3 Special Edition acaba por adicionar alguns elementos interessantes, mas nada que seja realmente revolucionário.
O Gamepad da Wii U funciona da mesma forma que os comandos das versões restantes de consola, com a diferença de usar o ecrã táctil como um radar que detecta a posição de cada inimigo e ainda podem jogar usando apenas o ecrã do comando. Tirando isto, podem contar com a presença de todos os DLC gratuitos pré-instalados, incluindo o DLC que mostra o final alternativo/extra.

Visualmente e sonoramente, a versão Wii U não está muito longe das restantes, ficando a meio caminho entre as consolas e o PC no que toca a gráficos, embora mantenha alguns dos problemas de fluidez e alguns cortes de imagem (screen tearing). A música e vozes continuam a ser fantásticas e só tenho a dizer coisas boas da prestação da menina que dá voz à versão feminina de Shepard.

Resumindo, se jogaram Mass Effect 3 em qualquer uma das plataformas restantes, então não vale a pena investir nesta versão Wii U, porém, se adquiriram uma Wii U recentemente e nunca experimentaram a saga Mass Effect, então esta Special Edition é uma aposta irrecusável, afinal (mesmo tendo em conta o que se diz do final) estamos a falar de um dos melhores jogos deste ano.

Positivo:

  • O último jogo de uma das melhores trilogias desta geração
  • Elementos de RPG e exploração profundos
  • História vasta e bem escrita
  • Muitas horas de jogo
  • Online cooperativo para vários jogadores
  • Radar no Gamepad é uma ideia engraçada podem jogar apenas com o comando

Negativo:

  • A versão Wii U podia incluir mais funcionalidades exclusivas
  • Não se percebe a ausência dos DLC pagos já lançados
  • Problemas de fluidez e cortes na imagem não foram corrigidos

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram