Análise – Hogwarts Legacy

Os anos de maior febre de Harry Potter já passaram claramente, mas a história do pequeno feiticeiro que se cresce para enfrenter o seu grande inimigo continua a cativar com os seus livros e filmes. Algo com este nível de sucesso, não é de estranhar que tenham sido lançados vários jogos baseados na franquia. Uns bem sucecidos, outros, nem por isso. Por isso a Warner Bros. quis tentar novamente.

Hogwarts Legacy é diferente. É um jogo de Harry Potter que se afasta do feiticeiro e das personagens conhecidas em outras aventuras, para criar um mundo bem conhecido, mas repleto de personagens novas e uma história que ocorre muito antes de Voldemort sequer vir a ser uma palavra ameaçadora.

Neste novo jogo, vocês chegam a Hogwarts como um novo aluno que vai entrar para o quinto ano. Este aluno é completamente criado por vocês e será a personagem que vão controlar. Claro que ele não é própriamente inocente no meio disto tudo, pois são feiticeiros especiais que conseguem ver magia antiga, a qual é muito mais forte e é um dos centros do mistério do jogo.

Algo que Hogwarts Legacy começa por fazer bem é utilizar o seu mundo, personagens e sentido de magia já integrada para apoiar a sua história mediana. São as personagens com quem interagimos, os locais que visitamos, a escola e as actividades bem construídas que fazem com que a história pareça melhor do que é. Além disso, existe muito para fazer com missões alternativas e actividades que conseguem desviar-nos com frequência do caminho principal.

Grande parte do jogo passa por interagir com outras personagens em diálogos e explorar o mundo do jogo para realizar missões ou encontrar coisas pelo caminho. Isto fica muito melhor pelo facto de Hogwarts ser uma personagem por si só. Desde cada uma das salas, corredores, quadros pendurados nas paredes, zonas de estudo e todas as zonas icónicas que rodeiam a escola, faz com que este pareça um jogo vivo e cheio de conteúdo.

Tendo um mapa tão grande, é bom que o jogo permita que nos movimentemos facilmente entre localizações já descobertas através de fast travel ou em meios de locomoção mais rápidos. Muito do jogo está “trancado”, abrindo à medida que vamos ganhando novos feitiços que permitem abrir portas, reparar coisas, puxar objectos ou até desaparecer, sendo muitos deles parte de puzzles que abrem novas passagens, o que faz sentido dentro do tema da magia do próximo jogo.

Claro que os feitiços do jogo não se limitam à exploração do mapa, pois existem vários momentos em que o combate é o centro das atenções e ao contrário do que esperava, não é uma coisa tão básica e simples como nos filmes. Em vez de ser apenas usar um feitiço e esperar que seja o certo, o combate de Hogwarts Legacy acaba por ser baseado em mestria dos feitiços, saber defender dos ataques dos inimigos com feitços ou desviando, sendo ainda a melhor parte, a capacidade de fazer combos com as habilidades, puxando os inimigos, fazendo-os ficar paralisados e combinar com coisas como os atacar com chamas ou outros feitiços mais “malévolos”. É uma pena que os inimigos do jogo sejam tão previsíveis e muito iguais na sua forma de agir, mas ainda oferecem um bom desafio na versão base de dificuldade.

Muitos dos desafios, combates ou exploração além de darem experiência à personagem para evoluir e ficar mais forte, existem muitos items de roupa para encontrar e equipar para melhorar a personagem. Equipar tudo o que existe de melhor faz com que seja sejam mais fortes, no entanto, podem ficar totalmente pacóvios e realmente vestidos como um feiticeiro maluco. Por isso mesmo, gostei muito que seja possível manter a roupa ou equipamento e escolher outros tipos de visual desbloqueados para usar o estilo que gostamos mais.

Além da história principal e de várias missões secundárias que são verdadeiramente importantes, Hogwarts Legacy está recheado de muito mais conteúdo para fazer. Podem organizar a vossa própria sala de trabalhos, encontrar criaturas aladas para salvar, plantar coisas para colher mais tarde, masmorras escondidas, entre muitas outras coisas, por isso podem contar com quatro dezenas de horas para completar o mais importante e até perto do dobro para tudo o resto, jogando com calma.

No departamento gráfico, Hogwarts Legacy consegue ser espetacular, mas sucumbindo a alguns problemas visuais. O primeiro impacto é sempre o mais forte e as primeiras horas saltam ao olho, especialmente para os fãs que ficam mais focados na forma como a magia é retratada e como Hogwarts parece mesmo a escola que vimos nos livros e filmes, incluíndo os seus quadros vivos e localizações icónicas. Por outro lado, temos problemas de pop-ins, movimentos estranhos das personagens que contrastam com outros muito bons e ainda algumas texturas em cenários e personagens que deixam algo a desejar.

A banda sonora é verdadeiramente espetacular e consegue manter viva a magia que os filmes conseguiram enraizar neste departamento. Por outro lado, as vozes vão do muito bom ao estranho, com as personagens principais a beneficiar com as melhores e alguns dos alunos menos importantes a ficar com as parvas ou irritantes. Não é o mais problemático, mas é pena que nem todos tenham uma grande qualidade.

Hogwarts Legacy não é exactamente o RPG que vos permite ser o feiticeiro que sempre quiseram ser. Existe aqui muita bagagem associada à vossa personagem e muita coisa que está presa aos limites do que seria ter uma “tabula rasa” no universo de Harry Potter. Por outro lado, é o jogo que chega mais próximo do que é ser um feiticeiro e aluno de Hogwarts, com aulas, exploração e desafios de morte a cada esquina.

Mesmo com os pequenos problemas referidos durante a análise que podiam ter sido feitos de forma melhor, esses são muito pequenos perante aquilo que foi feito em Hogwarts Legacy. Não só é um jogo divertido, como muito completo e que nos prende ao seu universo de magia. Sejam fãs de Harry Potter ou apenas estejam à procura de um jogo de acção com elementos de RPG, podem apostar com segurança em Hogwarts Legacy, pois é o melhor jogo da série feito até hoje e já um dos melhores jogos do ano.

Positivo:

  • Mundo aberto cheio de magia
  • Utilização da propriedade
  • Combate mais interessante do que o esperado
  • Muito para fazer
  • Banda sonora

Negativo:

  • Gráficos com espaço para melhoria
  • Movimentos mais robóticos
  • Inimigos com padrões que se repetem
  • História podia ser muito melhor

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram