Análise – Digimon Survive

Durante várias gerações as séries Pokémon e Digimon foram trilhando caminhos diferentes, embora muitos ainda digam que Digimon é uma cópia barata de Pokémon. A verdade é que existem aqui inspirações mais do que claras. Se bem que isso começa e termina praticamente na existência das criaturas.

Em termos de história e temas, Digimon é claramente superior, com tramas mais adultas, personagens que crescem e aprendem efectivamente e vários momentos que são bastante inesperados para uma série essencialmente dedicada aos mais novos. Ao contrário de Pokémon, Digimon parece ter crescido com os seus fãs e isso faz uma grande diferença. O exemplo de Digimon Survive é um desses claramente.

Apesar de Digimon não ser um estranho em terras de videojogos e tendo jogos recentes de qualidade como Digimon Story Cyber Sleuth e Digimon Story Cyber Sleuth Hackers Memory, Digimon Survive é o mais estranho lançado até agora, mesmo quando comparado com séries do género, afinal, estamos a falar de um jogo onde 80% é visual Novel e o restante combate táctico ao estilo de um Fire Emblem.

Apesar de ser estranho termos um Visual Novel num destes jogos, mais estranho ainda é que este jogo aposta forte numa narrativa que roça em vários momentos o terror, construindo em seu redor o pânico e terror real de várias crianças perdidas num mundo estranho e onde os monstros que os habitam são verdadeiramente uma ameaça que os pode levar à morte. Por isso mesmo, sendo possível escolher as nossas decisões ao longo das conversas, pode resultar em amizade com as outras personagens, conflito e até morte dos aliados, havendo algumas bem perturbadoras.

Tal como já foi mencionado, este jogo é uma visual novel e isso indica que existe aqui muita conversa ao longo de algumas dezenas de horas, com as tais decisões que vamos tomar durante elas. A vasta maioria das conversas são acompanhadas de vozes com bastante qualidade em japonês. Os actores fazem um grande trabalho em manter a credibilidade dos vários momentos que estamos a viver. Frequentemente os diálogos param para nos deixar investigar o cenário. É uma forma limitada apenas de selecionar personagens ou coisas no ecrã para interagir que nos deixam continuar. Embora funcione, nunca é algo que nos faça sentir que era necessário.

O elenco de personagens é bom, mesmo encaixando dentro dos estereótipos base do que estamos habituados a ver num Anime ou JRPG. Temos a rapariga séria e simpática, temos o colega brincalhão e entusiasmado, o rapaz certinho, a miúda cool e mais conhecida, o resmungão, etc. A parte boa é que a mistura com os Digimon faz com que cada uma das personagens tenha algo mais a oferecer à história e revelem ficar cada vez melhores à medida que esta avança. De qualquer forma, existem pelo menos duas ou três personagens que são demasiado irritantes.

O combate em Digimon Survive assume mesmo um segundo plano e acontece em termos de história bastante pontual. Imaginem uma versão mais simplificada de Fire Emblem ou Disgaea com elementos de combate mais limitados e a possibilidade de recrutar Digimon durante os combates através de diálogo. Para iniciar um recrutamento podemos falar com o Digimon e escolher o que ele gostaria de ouvir com isto ganhar uma maior percentagem para que ele possa aceitar entrar para a nossa equipa.

No geral o combate é bastante simples e acontece de forma altamente espaçada dentro da história. Especialmente nas primeiras horas de jogo onde a conversa parece nunca mais ter fim e o combate parece quase ficar esquecido. Existe mais tarde a possibilidade de combater por nosso gosto e isso pode ser uma forma de alguns sentirem menos o peso de tanta história de seguida. De qualquer forma, o combate podia estar muito mais trabalhado e ter muito mais profundidade.

Algo que Digimon Survive tem de muito forte é a sua componente visual. Apesar de funcionar muito com imagens paradas para os seus diálogos, as imagens estão muito bem animadas, com boas transições e um rol de movimentos bem desenhados. No geral, parece que estamos quase a ver um Anime com uma boa qualidade visual. A banda sonora é boa o suficiente para criar os ambientes necessários, mas não me deixou um fã absoluto.

Apesar disso, Digimon Survive é claramente um jogo que não é para todos. Sofre bastante por ter muito mais exposição que o necessário, demorar a arrancar, ter pontos de investigação sem grande interesse e um combate demasiado espaçado e muito superficial. Por outro lado tem um visual, vozes e temática fantásticas e é das melhores visual novels que já joguei, ficando preso à história depois das primeiras horas.

Se estão à procura de uma aventura rápida e cheia de acção, Digimon Survive tem muito pouco do que estão à procura. Este é um jogo muito mais pesado, lento e cheio daulo que os fãs do género gostam. Todos os outros devem dar-lhe algumas horas de teste e ver se gostam mesmo deste estilo.

Positivo:

  • Visual muito forte
  • História com contornos negros
  • Escolhas morais
  • Juntar Digimons à equipa
  • Bom trabalho de vozes

Negativo:

  • Demora a arrancar
  • Espaçamento longo entre combates
  • Diálogos que se arrastam em demasia
  • Combate pouco profundo

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram