Análise – Subnautica

Com a expansão recorrente da oferta em jogos de sobrevivência, é de esperar que a maioria dos jogos do género comece a tentar explorar o estilo através de conceitos diferentes.

Depois de ter jogado o “fantástico” Ark na Nintendo Switch, jogar a versão PS4 de Subnautica pareceu uma verdadeira lufada de ar fresco e um mundo de coisas melhores para fazer.

Uma das grandes vantagens de Subnautica é o seu tema, pois é retirado directamente de um universo de ficção científica. Estamos num planeta hostil, rodeados apenas por mar e com apenas a nave despenhada como referência inicial. A partir daqui a ideia é explorar este planeta pela forma mais lógica, o mar.

 

Como qualquer jogo bom do género, Subnautica faz com que se aprenda a jogar a pouco e pouco e como o mundo hostil nos faz querer avançar receosamente. Alguns dos melhores momentos do jogo não estão ligados aos inimigos ou à boa história, mas sim a gestão do ar em situações em podemos arriscar e explorar um pouco mais, com o terror constante do desconhecido.

Apesar de parecer um mundo aquático simples, o oceano do planeta tem muito para explorar e vários tipos de zonas. Umas são mais próximas do nosso planeta, outras são totalmente alienígenas, com fauna e flora bastante criativa. Cada zona oferece novos desafios e também novas formas de criar novos objectos para ajudar na aventura.

Para ajudar à qualidade do mundo, existe um motor de jogo bastante atractivo que cria bons momentos visuais. Existem alguns problemas de abrandamentos e certas texturas também não são totalmente desta geração. De qualquer forma, o resultado é bastante positivo. A banda sonora também é a ideal e complementa bastante bem o estilo do jogo.

Claro que Subnautica não é um jogo que possa ser recomendado a toda a gente. O facto de ser um jogo de sobrevivência com elementos limitadores não vai agradar aos mais impacientes, mas é uma aventura bastante boa, com uma história interessante e um sistema de evolução do mundo e do jogador que vale a pena dar uma vista de olhos.

Positivo:

  • Mundo apelativo
  • História
  • Jogabilidade bem explicada
  • Boa longevidade

Negativo:

  • Quebras de fluidez
  • Algumas texturas menos conseguidas
  • Demasiado claustrofóbico para alguns

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.