Passatempos de Aniversário-Natal 2014 – Alien Isolation para Xbox One

alien-isolation-analise-review-pn_00011

Está na altura do segundo passatempo de Aniversário-Natal do PróximoNível.

Desta vez, em conjunto com a Ecoplay e a SEGA temos para vocês um Alien Isolation para a Xbox One.

O modo de participação é muito simples. Para poderem ganhar o jogo, precisam apenas de fazer uma análise a um dos vários filmes da saga Alien.

A análise pode ser realizada em texto ou vídeo. Caso precisem de referências, podem sempre usar os modelos das nossas como inspiração.

No final do passatempo, vamos escolher a melhor e o vencedor ganha o jogo.

Vamos então às regras:

  • As análises são publicadas na zona de comentários deste post;
  • Quantidade de texto não significa necessáriamente qualidade;
  • O Passatempo termina no dia 30 de Novembro às 23:59;
  • A atribuição dos vencedores é final e indiscutível;
  • As regras de envio dos prémios serão publicadas após o fim de passatempo;
  • Todas as perguntas sobre o Passatempo são feitas NESTE ARTIGO! Todos aqueles que fizeram perguntas pessoais sobre o passatempo aos moderadores/administradores, seja por PM, Facebook ou outra rede social serão excluídos do Passatempo!
  • Ao participar concordam com as regras descritas em cima.

Boa sorte a todos!

Podem ler a nossa análise de Alien Isolation aqui:
Análise – Alien Isolation

Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
_GM_

Boa sorte para quem tem Xbox One…. not so many

Lfo

^^

Sururu

Pensei que fosse impossivel, mas afinal existe mais uma pessoal além da minha mulher, que não viu, nem quer ver um destes filmes.

Guilhathorn

Vou participar, apesar de não ter uma X1 gostei da ideia para o passatempo. Sábado á noite é para rever o primeiro Alien xD

Daniela Pereira

Análise – Alien

Quem nunca ouviu falar de Ridley Scott? O realizador de filmes como “Blade Runner”; “Gladiator”, “Prometheus”, entre outros e claro “Alien”.
“Alien” foi um sucesso de bilheteira e até angariou um Oscar por melhores efeitos visuais, assim como outros prémios e indicações.
Este filme teve tal repercussão que deu origem a outros filmes, criando assim uma saga, livros, bandas desenhadas, jogos, brinquedos, entre outros.
Tendo como protagonista Sigourney Weaver, no papel de tenente Ripley este filme conta a história de uma nave espacial que rebocaba minerais e que ao receber uma transmissão de um planetóide vizinho aterra nele danificando-se.
Alguns dos tripulantes descobrem que o sinal provém de uma nave alienígena na qual eles encontram restos destas criaturas e não só. Dentro desta, havia também um espaço que continha vários ovos, um dos quais lança-se e prende-se à cara de um dos tripulantes. Regressam à nave e tentam socorrer o amigo a muito custo até que por fim parecem conseguir. Entretanto outra parte da população parece ter conseguido consertar a nave e continuam a viagem para a Terra.
O tripulante atacado acorda, aparentemente sem danos até que começa a ter convulsões e uma criatura sai do peito deste matando-o e fugindo pela nave. A tripulação tenta a muito custo localizá-la e capturá-la mas enquanto isso já esta criatura se tinha tornado num estado adulto conseguindo capturar dois dos tripulantes.
Surge como solução a fuga pela nave auxiliar mas Ripley explica que esta não tem a capacidade de suportar quatro pessoas.
Ripley através do computador descobre que um dos seus companheiros recebeu ordem de voltar com o Alien para os seus superiores nem que isso custa-se a vida de todos. Confrontado com a situação este ataca Ripley e no confronto este acaba por morrer revela-se um andróide. Estando a tripulação resumida a três pessoas surge novamente a hipótese de fuga e consequente destruição da nave espacial, porém o Alien consegue matar dois dos tripulantes sobrando apenas Ripley. Esta prossegue com o plano mas o Alien bloqueia-lhe o caminho para a nave auxiliar. Desesperada, ela tenta abortar com o plano mas sem sucesso, retornando novamente à nave auxiliar esta descobre que o Alien desapareceu e consegue escapar por um triz.
Contudo, nada corre como o esperado e Ripley descobre que o Alien está também a bordo da nave auxiliar. Sem nada a perder, esta abre a porta da nave vestida do seu fato espacial e a descompressão fez com que o Alien fosse sugado da nave. O Alien ainda assim ofereceu resistência mas acabou por ficar no espaço enquanto Ripley regressou para a Terra.

Positivo

Ficção científica
Efeitos visuais muito bons para aquela época
Momentos de tensão e terror muito realistas

Negativo

Apenas a personagem de Sigourney Weaver se destaca no filme
Pouca interação/confronto entre os personagens e o Alien

Gil Palma

░▄▀▀▄ █░░ ▄▀▄
░█░░█ █░▄ █▀█
░▀▄▄▀ ▀▀▀ ▀░▀

▄█▀▄░ █▄░▄█ ▀ ▄▀▀░░▄▀▀▄░▄█▀▀█░░█
█▄▄▐█ █░█░█ █ █░▀▌░█░░█░▀▀█▄▄░░▀
█░░▐█ ▀░░░▀ ▀ ▀▀▀░░▀▄▄▀░█▄▄█▀░░▄

Após o original Alien – O 8º Passageiro, James Cameron realiza uma sequela cheia de acção e cujas características pouco têm haver com as habituais sequelas produzidas por Hollywood. Tendo trabalhado como argumentista em filmes como A Vingança do Herói e Exterminador Implacável, que também realizou, Cameron escreveu a sinopse de Aliens: O Recontro Final em quatro dias, consumindo apenas “comida de plástico” e colas. Como resultado, o realizador conseguiu, com a sua mulher e produtora Gale Anne Hurd, ser contratado para realizar Aliens: O Recontro Final, que foi orçamentado em 18 milhões de dólares.
Sigourney Weaver regressa como protagonista e a sua interpretação no filme original foi de tal forma forte, que a influência da actriz foi ganhando cada vez mais espaço na produção da série e, aqui, é mesmo uma das produtoras. Cameron reconheceu isso mesmo, dando mais “espaço” e dimensão à sua personagem, nomeadamente ao seu lado maternal.
Embora com mais acção que o primeiro filme, a versão de Cameron não é uma mera sequela e expande o universo e as personagens do filme. Esta nova direcção foi bem acolhida pelo público, que tornou o filme num sucesso de bilheteira, e pela crítica, com o filme a ser nomeado para sete Óscares, entre eles o de melhor interpretação feminina e o de melhor realizador. No entanto, Alien – O 8º Passageiro apenas viria a ganhar os de melhor efeitos especiais e melhor efeitos sonoros e como não poderia deixar de ser, o sucesso levou à continuação desta saga.

Realizado por Gil Palma

Guest

░▒▄█▀▄░▒██░░░▒▐██▒▐█▀▀▒██▄░▒█▌
▒▐█▄▄▐█▒██░░░░▒█▌▒▐█▀▀▒▐█▒█▒█░
▒▐█░▒▐█▒██▄▄█▒▐██▒▐█▄▄▒██░▒██▌

João Ferreira

Não tenho x1 e já tenho o alien isolation pra pc, por isso n vou participar. Boa sorte aos participantes!

JPMatias

Optei por uma análise ao primeiro filme, Alien – o 8º Passageiro (1979):

Ridley Scott é um visionário da 7ª Arte. Entre os seus diversos projetos, encontram-se alguns dos filmes mais marcantes do universo cinematográfico, como o genial universo futurista de Blade Runner ou a soberba recriação do Império Romano em Gladiador. No entanto, para muitos, a obra prima do realizador continua a ser Alien, o 8º Passageiro, a sua revolucionária aventura espacial de 1979.

Com Sigourney Weaver no papel principal, Alien narra a história da tripulação de uma nave espacial (Nostromo), que aterra num planeta desconhecido depois de receber um sinal de emergência. Apesar de início parecia ser apenas uma viajem de reconhecimento, tudo corre mal, uma vez que um aterrador alienígena consegue infiltrar-se na nave em que os exploradores seguiam, iniciando-se assim uma espécie de jogo do gato e do rato (apesar de o Alien não ser propriamente o gato mais fofo ou amigável do mundo).

Ridley Scott consegue criar um ambiente aterrador, provocando diversos sustos ao espectador. Desde o trabalho de sombras à aplicação adequada do silêncio, Scott cria no filme um ambiente genuinamente assustador, sendo que nunca se sabe onde e quando irá aparecer a criatura. Alguns poderão queixar-se de que os sustos são um pouco clichés, mas é preciso ter em conta que na época em que este filme foi lançado estes eram extremamente eficazes.

Sigourney Weaver destaca-se também como a corajosa Ripley, dando uma interpretação impressionante e, mais importante que tudo, demonstrando a força das mulheres no género. Afinal, não são muitos os filmes de ficção científica que se apoiam numa protagonista feminina. Nota ainda para os fantásticos efeitos visuais, que na sua época foram revolucionários e ainda hoje se mantêm bastante impressionantes.

Concluindo, Alien é um filme espetacular e que assume uma grande importância para o desenvolvimento do cinema de terror e de ficção científica. Altamente recomendável e, não se esqueçam, no espaço ninguém vos vai conseguir ouvir gritar.

Positivo:
-O ambiente aterrador
-O design do Alien
-Sigourney Weaver
-Os efeitos especiais são impressionantes para a época em que o filme foi feito
-Sustos genuínos
-Conjugação perfeita entre ficção científica e terror

Negativo:
-Algumas pessoas podem considerar que é demasiado previsível

Guilhathorn

Análise – Alien

http://i.imgur.com/awBIDSi.jpg?1

Ridley Scott foi pioneiro na edificação do “sci-fi horror” que até 25 de Maio de 1979, data em que”Alien” estreava em várias salas de cinema dos Estados Unidos da América, consistia de poucos exemplos que demonstravam valor cinematográfico suficiente para poderem servir de prova de que o género tinha potencial.

Alien narra a história dos sete passageiros da “Nostromo”, uma nave espacial de transporte de mercadorias que se dirige para o planeta Terra. Após terem sido acordados do seu “sono de beleza” (porque “sono criogénico” não soa bem) devido à nave ter captado um sinal sonoro estranho vindo de um planeta situado ainda a vários anos-luz da Terra, o processo de construção das personagens interpretadas por Tom Skerritt, John Hurt, Ian Holm(aka Bilbo Baggins), Yaphet Kotto, Harry Dean Stanton, Veronica Cartwright e Sigourney Weaver é iniciado. Construção essa que toma grande parte do filme e que se dá a um ritmo algo lento mas que se torna valiosa para que se possa atingir o auge desta experiência.

Ao explorarem o planeta de onde o sinal é proveniente descobrem uma outra nave espacial de origem desconhecida, que conserva no seu interior vários objectos semelhantes a ovos. Numa inspecção mais detalhada, Kane (John Hurt) é atacado por uma criatura que eclode a partir de um desses ovos. Ao ficar inconsciente é levado de volta a Nostromo para ser examinado e se possível tratado. É a partir deste momento que começa o pesadelo destes sete passageiros, pois sem saber trouxeram consigo daquele planeta um “oitavo”.

É de notar a atenção ao detalhe que é revelada ao longo dos cenários, sendo de extrema importância num filme em que a ficção científica está bem assente. Quanto maior for o pormenor empregue, mais verossímil será o ambiente e a justificação dos acontecimentos. É também uma característica que permite que mesmo depois de 35 anos, esteja ainda num excelente estado de conservação.

Quanto à componente de terror, é definida como desconhecida a origem da ameaça neste caso de um extraterrestre de que só se sabe ser hostil e de alto perigo tendo em conta as habilidades que demonstra possuir. Sendo em grande parte desconhecido torna-se um elemento muito forte num ambiente cada vez mais claustrofóbico, tem como objectivo transmitir a sensação de que nunca se está completamente a salvo do que anda à solta.

É notável a presença do clássico revelar de certos elementos exclusivamente pertencentes à ameaça que assombra o filme (a cauda do alien por exemplo) e que confirmam a sua presença, posicionados fora do campo de visão do protagonista, tornando evidente a iminência de um ataque.

Um aspecto interessante presente nesta obra é a protagonista feminina Ripley, coisa que o público geral estava pouco ou nada habituado a ver na sétima arte naquela altura. Uma forma de variar um pouco, muito bem aceite tendo em conta a prestação exímia de Sigourney Weaver.

“Alien” trata-se de um marco na história do cinema, principalmente do género da ficção científica, sendo impossível de ser contornado por fãs do género tal como por quem simplesmente aprecia o cinema e a sua evolução. Uma obra digna de ser reconhecida por todos mesmo tendo em conta as diferentes experiências que dela possam ser obtidas.

Positivo:

»Design excelente e atenção ao pormenor
»Caracterização do alien
»Ambiente imersivo
»Sonoplastia genial
»Ridley Scott mostrou-se pioneiro no género “sci-fi horror”

Negativo:

»A primeira parte do filme poderá ser mais enfadonha para alguns

Nota final – Excelente (Selo de recomendação do Guilhathorn)

Guilhathorn

Quando será anunciado o vencedor do passatempo? 😛

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
11
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x