Análise – Under Night In-Birth Exe:Late[cl-r]

Apesar de não ser dos nomes mais conhecidos dentro do universo de jogos de luta, Under Night In-Birth Exe:Late é uma das referências dentro do núcleo mais aficionado de jogadores do género.

Lançado primariamente na geração anterior, Under Night In-Birth Exe:Late chega agora outra vez na sua versão Under Night In-Birth Exe:Late[cl-r] (um nome estranho é verdade), uma versão definitiva, especialmente feita a pensar em quem nunca o jogou ou só teve acesso à primeira versão.

Apesar de poder ser visto como mais um jogo de luta feito pela Arc System Works, este também pode ser visto como mais uma visual novel feita por eles, afinal este é um jogo recheado de personagens com histórias distintas que convergem até a um ponto central. Umas são mais interessantes que outras, mas a verdade é que tudo isto resulta num modo história com mais de 20 horas e ainda um modo arcade com mais segmentos de narrativa, o que é bastante bom. Apesar das semelhanças, a Arc System Works é apenas responsáveis em parte pela distribuição, sendo o jogo criado pela French-Bread.

Além de modos de história, Under Night In-Birth Exe:Late[cl-r] está recheado de coisas para fazer. Desde o modo Time Attack, passando pelo online e até um bom modo de treino que ensina bastante bem, podem contar com imensas horas de jogo. Só é pena que esta versão “definitiva” só introduza uma personagens e poucas melhorias ou adições de destaque.

Como seria de esperar, o combate mantem-se como um dos exemplos de topo do estilo em 2D. Mesmo que à primeira vista pareça tradicional, eu sou grande fã do estilo de combate em movimento aberto, onde os verdadeiros veteranos que treinem as personagens vão conseguir encadear ataques uns atrás dos outros, aplicando uma boa variedade de botões e sequências que vão fazendo uma corrente. Para os mais casuais, existem ataques e combos mais básicos que acontecem com o simples carregar de um botão.

O combate é bastante simples na superfície, mas bastante recompensador para quem o explora ao máximo e tendo em conta que o modo de treino está muito bem feito, não é assim tão intimidante conseguir entrar para este universo. Aliás, se querem jogar online contra outras pessoas, é essêncial que dominem pelo menos as bases do sistema.

Já que falamos no online, tanto em casa como fora dela, notei que as partidas não correm assim tão bem como seria de esperar. Existe lag e o loading para as mesmas ainda teima em durar um bom bocado.

A nível visual, Under Night In-Birth Exe:Late[cl-r] acaba por ser bastante forte a nível de arte, modelos e cenários. É verdade que existe um pequeno serrilhado em redor das personagens quando estas estão em combate, mas não é algo tão incomodativo, especialmente se estiverem a jogar em modo portátil na Nintendo Switch. A banda sonora é o típico do género, estando entre um BlazBlue e um Guilty Gear e as vozes em japonês estão dentro do que seria de esperar.

Quem sai realmente a ganhar com esta versão é a Nintendo Switch (a plataforma onde o analisei), pois não só é a primeira vez que a série está disponível nesta plataforma, como é um jogo fantástico para jogar em viagem. Os Joy-Con continuam a não ser as melhores ferramentas para jogar jogos de luta, mas se lhe ligarem um Pro Controller, a experiência fica vastamente superior.

A minha análise de Under Night In-Birth Exe:Late[cl-r] é ainda mais interessante tendo em conta que o joguei na mesma altura que Street Fighter V Champion Edition. Ambos são jogos ideais para quem não comprou as primeiras versões e ambos sofrem do mesmo problema de não ser obrigatórios para quem já comprou as versões anteriores.

Por isso, se são donos de uma Nintendo Switch em especial ou de uma PS4 e nunca jogaram o original ou compraram apenas a primeira versão, então Under Night In-Birth Exe:Late[cl-r] é um “must have” para os fãs de jogos de luta em 2D.

Positivo:

  • Muito conteúdo
  • Combate dinâmico
  • História longa e interessante
  • Jogar portátil na Nintendo Switch é uma grande experiência

Negativo:

  • Pouco conteúdo novo
  • Arestas das personagens podiam estar mais polidas
  • Online apresentou alguns problemas

 

Share

You may also like...