Análise – Traffix

Quem diria que um jogo simples de controlar a passagem de veículos entre estradas iria ser uma tarefa tanto divertida como altamente frustrante? Traffix é exactamente o estilo de jogo que adoro começar, mas que começa a ser demasiado dantesco para mim.

Traffix é um jogo que mistura estratégia, gestão e um dos géneros com o qual me dou pior, ritmo. Mas não é isso que parece a início quando o começamos a jogar, pois as primeiras localizações são mais simples e tranquilas, é à medida que o jogo avança que vamos encontrar as ligações mais movimentadas com vários semáforos ou obstáculos pelo caminho.

Embora pareça pela introdução que não gostei de Traffix, é bem o contrário. Traffix é um jogo bastante inteligente que é fácil de jogar e muito divertido de tentar fazer tudo de forma perfeita sem criar erros. Existe um contador que enche à medida que existe acidentes e os carros desaparecem da via, o que impede de ser imediatamente Game Over.

Como jogador, nós somos uma espécie de polícia sinaleiro. Somos nós que abrimos os semáforos e deixamos que os carros avancem, mas existe um tempo limite para deixar acumular o trânsito, com os senhores condutores a assumir uma postura lisboeta onde se o semáforo demora um pouco mais, já começam a ficar chateados.

Cada semáforo pode ser aberto usando os botões da consola, ou através do ecrã táctil da Nintendo Switch, o que pode ser mais prático para alguns, mas que por vezes usar os dedos pode tapar algo no ecrã que daria mais jeito controlar, por isso mantive-me pelos botões do Joy-Con.

É à medida que o caos começa a ser instalado e as ligações ficam mais complexas que começa a ficar mais desafiante, mas para pessoas como eu, mais frustrante. Por vezes é demasiado para gerir tudo ao mesmo tempo e é aqui que os grandes prós de jogos de ritmo se vão sentir em casa. Como existe o modo normal e o modo Chaos, os verdadeiros corajosos podem sempre tentar fazer tudo perfeito sobre alta pressão.

Existem vários estilos de cenários como auto estradas, rotundas ou até pistas de aeroporto onde temos literalmente de contar com a distância dos aviões na pista de aterragem. A quantidade de cenários é boa e completar cada um deles em nos dois modos ainda vai dar bastante trabalho.

Outra coisa que gosto bastante em Traffix é da sua apresentação minimalista e directa. Seja pelos menus ou nas próprias zonas de cada país onde jogamos, tudo é feito da forma simples, mas ao mesmo tempo apelativa, a fazer até lembrar os desenhos que podem econtrar em placas de trânsito ou nos terminais dos aeroportos. A banda sonora é exactamente o que se estaria à espera deste estilo, com o som de trânsito a ser usado quando estamos na estrada. Aqui o som dos semáforos pode se tornar um pouco repetitivo.

É engraçado ver como um jogo como Traffix consegue ser ao mesmo tempo relaxante e frustrante dependendo da forma como o querem jogar. Por muito que possa parecer simples, é uma ideia bastante bem aplicada e que funciona. Não é um jogo para todas as audiências, mas se gostam de jogos de gestão, puzzle e ritmo, vão gostar bastante de Traffix.

 

Positivo:

  • Visual apelativo
  • Desafio crescente
  • Vários cenários para concluir

Negativo:

  • Falhar um cenário longo é frustrante
  • Som dos semáforos é útil, mas repetitivo

Latest posts by Daniel Silvestre (see all)
Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x