Análise – Tales From the Borderlands: Zer0 Sum

tales-from-the-borderlands-analise-review-pn-n_00031

Se as séries tomaram conta da televisão na nova era da pequena caixa, a mania das séries chegou aos videojogos com os formatos episódicos da Telltale Games.

Neste momento, estes senhores são como o pessoal da Traveler’s Tales e os jogos de LEGO, ou seja, tudo daria uma boa história. Por isso mesmo, de uma parceria com a Gearbox e a 2K, surgiu Tales From the Borderlands.

Tales from the Borderlands_20150209192732

Com tanto material de origem para espremer e a possibilidade de criar qualquer tipo de sátira, será que a Telltale Games está preparada para o universo de Borderlands?

Zer0 Sum, o primeiro episódio de Tales From the Borderlands não começa exactamente em grande. Normalmente a comédia é o centro das atenções, mas esta faz apenas ligeiras aparições nos primeiros 20 minutos, os quais são utilizados para apresentar as personagens principais e o vilão.

Tales from the Borderlands_20150209194850

As personagens em si começam de forma bastante básica e são um pouco os estereótipos que estamos habituados a ver, Rhys é o “herói” de Tales From the Borderlands, mas que é na verdade um vilão cobarde e com bom coração. Por seu lado, Fiona é uma ladra de alto gabarito, mas que acaba por se sentir fragilizada por também ser boa pessoa e tentar fazer tudo de forma a não magoar ninguém.

Em redor de Rhys e Fiona estão várias personagens um tanto ou quanto divertidas, mas que demoram imenso tempo a criar empatia com o jogador. Isto é criado com a presença de personagens extra que vão aparecendo e que dão o verdadeiro toque ao estilo Borderlands, desde Psychos com as suas máscaras típicas, mercenários e até robôs. Falando em robôs, um deles consegue ser das maiores estrelas deste episódio.

Tales from the Borderlands_20150209200848

Os veteranos de Borderlands vão gostar de ver o regresso de uma ou outra personagem dos jogos principais, e podem também contar com várias referências aos jogos principais.

A versão que jogámos foi a da PS4, e o visual em si é bastante bom, com o cell-shading típico de Borderlands a ser muito bem utilizado. Esta versão é igualmente fluída e o Dualshock 4 permite jogar a aventura sem problemas.

Tales from the Borderlands_20150209214831

Menos positivo são alguns movimentos das personagens que ainda parecem demasiado robóticos. Não sei se será pelo facto de a base do motor de jogo ainda ser da geração anterior, mas ainda é preciso melhorar neste departamento.

Zer0 Sum é um bom arranque para Tales From the Borderlands, mas parece estar ainda um pouco contido. Borderlands é totalmente desgarrado e cheio de momentos parvos que surgem consecutivamente. Queremos ver mais destes aqui. Vamos ver como se safa o próximo episódio, pois este começa morno, mas acaba bem.

Positivo:

  • Boas personagens principaispn-recomendado-ana
  • Visual ao estilo Borderlands
  • Versão PS4 está bastante fluída
  • Apresentação da história em diferentes perspectivas
  • Bom momento final

Negativo:

  • Primeiros minutos bastante mornos
  • Movimentos pouco humanos por vezes

pn-muitobom-ana

Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marco Correia

i luved it

Daniel Silvestre

Estou com expectativas para o segundo.

David Rodrigues

como fã da série este nao vai escapar

Daniel Silvestre

Isto foi mesmo feito com os fãs de Borderlands em conta. Quem estiver de fora vai ficar um bocado à nora do porque de muita coisa.

Sururu

Bolas!
Só eu comprei isto, e farto-me de chorar pelos 4€ que paguei.

Silver4000

Apôs as desapontastes escolhas que a Teltalle ofereceu nos outros jogos, este é o único que me disponho a comprar, cuz Borderlands.

Nirvanes

boooh

Silver4000

Tenho as minhas razões x)

Nirvanes

Not enough 😀 começa a jogar pela história e não pelas ‘escolhas’ 😀

Silver4000

Não é bem devido às escolhas. Embora façam parte da razão.
Embora possam ter apanhado muita gente com esse truque no primeiro Walking Dead, ao verem as personagens morrer, não gostei nada quando voltaram a usar essa formular no 2°, descartando tudo e todos e sem razão nenhuma, sendo que isso não cria nenhum impacto e só “enerva” pois é um truque barato e simples numa narrativa boa mas que podia estar bem melhor se não recorressem a esses truques.

A coisa do DLC 400 Days é outra, ia fazer uma ligação entre coiso e tal e nada fez, jogar como não jogar o DLC é igual.

Depois temos o Wolf Among Us, por exemplo (e o caso que mais me deixou fulo) o principe, que tanto se podia salvar como deixar morrer (no meu save ele morreu porque pensava que jà estava morto), e depois na preview aparece ele novamente, sendo que depois ele não aparece a não ser no ultimo episódio so para dizer uma coisa e pronto, completamente desnecessário, embora isso talvez se deva a eles terem tido problemas ou algo assim, e terem de refazer a historia, quem sabe…

Nirvanes

Querias que eles não tivessem morrido? É uma preferência. Nem toda a gente morreu, uns foram para um lado outro outros para outro. A ideia de WD no fim é ‘com quem é que vamos parar e onde?’.

É um DLC, opcional, obviamente que não ia acrescentar muito ao jogo em si. Tens uns personagens, mais nada.

Então tu deixaste-o a morrer e ele aparece vivo no preview? Não entendi.
O Wolf demorou muito a sair do primeiro para o segundo episódio porque teve full rewriting da história. Há imensas provas disso pela internet. Houveram coisas que não correram bem por causa disso e sairam mais incoerentes… Mas também é só mais um pormenor. Lá está estás à espera de dois caminhos muito distintos. A telltale faz uma história com um caminho com algumas curvas que eventualmente se voltam a cruzar para seguir o mesmo caminho. Tu com isso estás a pedir ramificações. E aí já não é uma muito boa história… são várias. Assim a probabilidade de serem diferentes mas más também era maior. Eu prefiro isto. Prefiro estas escolhas. Roubar o carro no WD1 e a Clem usar a hoodie durante os próximos episódios… e na season 2, quando a Clem leva um tiro, ela sonha com a caravana, e ainda tem o hoodie vestido. São as pequenas coisas.

Silver4000

No fim acho que é uma desculpa barata matarem as personagens. Pois assim não precisam de criar historias com elas nas sequelas, e fazer tudo de novo.

Quanto ao DLC, a telltale fez muita propaganda em como iria ligar os dois jogos e nada disso aconteceu, o que foi mau.

O principe viveu no meu 2° save x) e não foi só nessa preview, nas outras também mostravam coisas que não chegaram a acontecer, ou aconteceram de forma diferente, tira um pouco a magia.

Nirvanes

Mas quais personagens? A maior parte delas foge, não morre.

A telltale tinha de vender o seu peixe 😀

Mas isso foi do rewriting. Eles mudaram os previews depois também. Agora se fores jogar já não encontras isso. Eu lembro-me de ver uma cena com o Beast num beco que nunca aconteceu.

Silver4000

As do Walking dead?
All dead. Most of ‘em.

Mas é mais por ter perdido o seu toque. Walking Dead desapontou um pouco na segunda temporada, o Wolf até que foi bom, depende do que façam no segundo jogo. Quanto ao resto só estou interessado no Borderlands devido ao humor da série.

Nirvanes

Quais é que morreram?

A mim não desapontou nada eu até gostei mais. O segundo e terceiro episódio foram top!

Silver4000

No primeiro morreram quase todas.
No segundo morreu a maior parte do grupo, sendo que três fugiram.

Nirvanes

Mas isso é mais que normal no mundo de WD. E no primeiro jogo é justificado que tenham feito isso para tentar criar mais impacto.
Neste segundo alguns morrem mas outros também sobrevivem.

Nirvanes

Esta análise já vem um tempinho atrasada 😀 gostei muito, também estou espectante para o segundo episódio… já saia… já passaram 2 meses.

Daniel Silvestre

Infelizmente, não nos chegou na altura do lançamento. Só agora foi possível fazer.

Sim, concordo. Já estava na altura, não pode ser só GoT.

Lfo

Troy Baker e Laura Bailey nos papeís principais.

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
20
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x