Análise – Song of Horror

Song of Horror é um jogo de aventura e terror trazido pelos desenvolvedores Protocol Games e pela editora Raiser Games. O jogo está dividido por 4 episódio até agora, O Episódio 1 tem o nome de The Husher Mansion, o Episódio 2 de Eerily Quiet, o Episódio 3 de A Twisted Trail e o Episódio 4 de The Last Concert.

A história começa no ano 1998 com uma personagem de seu nome de Daniel Noyer, um publicitário com alguns problemas, a receber uma chamada de uma editora a solicitar ajuda para saber do paradeiro do escritor Sebastian P. Husher e da sua família. Ao que parece Sebastian recebeu uma estranha caixa de música e estava a escrever sobre ela. No decorrer dos episódios vamos deparando com várias personagens (algumas jogáveis), como por exemplo a Sophia (Ex-mulher do Daniel), a Erica Farber (Filha do dono da loja de antiguidades de onde veio a caixa da música) e outras personagens que são inseridas para dar uma segunda ou terceira oportunidade como uma eletricista ou um polícia.

Esta aventura foca-se em descobrir onde está a misteriosa caixa de música e a história por detrás dela. Para sabermos mais sobre a misteriosa caixa temos que investigar todos os que têm ou tiveram contacto com ela, para isso temos que investigar onde esteve a caixa de musica pela ultima vez e fazer o caminho inverso até chegarmos ao ponto de origem. Entre esse caminho passamos por vários desafios e puzzles que temos que resolver com ajuda de pequenas clues (pistas) deixadas em papéis ou com objetos que apanhamos durante a nossa investigação.

Em termos de gráficos, bem o jogo contém terror, por isso tem os seus tons escuros mas com um bom detalhe, mas para um jogo iniciado em 2019 acho certas personagens estão um pouco mal desenhadas, principalmente nas feições. Os cenários estão bem construídos, com bons detalhes. Os misteriosos espíritos também estão realistas e bem desenhados. As cutscenes são feitas em sépia e parece que estamos a ver uma banda desenhada. A mistura ficou incrível.

O que me surpreendeu bastante foi na soundtrack, os efeitos sonoros estão muito bem colocados, as palpitações do coração dão um toque de suspense e de medo ao mesmo tempo. As portas a fecharem, o soalho a ranger quando passamos, o som da chuva ou do vento, estão tão bem feitos e colocados que nos dão a sensação certa que o jogo nos quer transmitir. Graças a isso apanhei muitos sustos.

Em termos de jogabilidade, bem aqui tenho muito a dizer, o jogo é compatível com comando, por isso podem usar o Pro Controller da Switch, o Dualshock 4 da PS4 ou da Xbox. Experimentei jogar com o Pro controller, Dualshock 4 e com o rato e teclado. A minha experiência com Pro Controller foi a melhor, o mapeamento de teclas estava correto, a personagem movimentava bem, mas em tempo de resposta, o comando não é a melhor opção, temos uns eventos em que temos que controlar o batimento cardíaco e nesses eventos temos que clicar no ZL e no ZR ao mesmo tempo e o que acontece é não detetar que estamos a clicar nos botões no tempo certo.

No comando da PS4 o mapeamento é muito mau, não mostra as teclas do comando certo, aparece os controlos da Xbox e para complicar mais as coisas o input lag ainda é maior. Com rato e teclado a experiência foi muito má, o controlo da luz é feito com o rato e o movimento da personagem com o teclado e isso complica muito a experiência, como a câmara é fixa, usar o W,A,S,D para fazer o movimento todo da personagem complica muito e as personagens ficam todas atrapalhadas. Mas apesar de tudo o que disse, o jogo ao início, quando ligamos a primeira vez, aconselha a jogar com comando e fones, por alguma razão é.

Song of Horror é um jogo dividido por 5 episódios, quatro deles já saíram na Steam (o último episódio sairá dia 05 de março de 2020 ), tem muitos Easter Eggs a Silent Hill, cada episódio pode durar 3 a 5 horas de jogo, podem contar com muitas horas de adrenalina no vosso organismo, com puzzles desafiantes, com uma história arrepiante, intensa e interessante. Como disse em cima gira muito à volta da caixa de música mas também em volta das pessoas que tiveram em contacto com ela, com isso ficamos tão entranhados na história que ficamos com vontade de saber mais e mais. Estou a espera de jogar o episódio 5 para ver se é o fim da história. Com isto tudo adorei o jogo.

Positivo:

  • História
  • Banda sonora
  • Efeitos sonoros
  • Puzzles
  • Variedade de Personagens

Negativo:

  • Mapas dos comandos e controlo pelo rato e teclado
  • Desenhos de algumas das personagens mal feitos

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram