Análise – Excitebike

A NES foi uma consola que revolucionou os videojogos para sempre, trazendo aquilo que todos queriam, muitos e bons jogos. As experiências eram várias, que para além das aventuras passavam também por jogos de desporto e não só. Excitebike é um dos jogos que fez parte do repertório da consola, e que se baseia num jogo de motocross bastante divertido. Para além da NES, o jogo foi lançado noutras plataformas da altura e manteve-se em praticamente todas as outras gerações que vieram posteriormente com ports para grande parte das plataformas da Nintendo.

Em Excitebike vamos tentar levar a nossa mota à meta em circuitos de linha recta, controlando a trajectória e evitando os perigos e adversários com os botões direccionais, acelerando com os botões B e A. O botão A faz uma aceleração normal enquanto que o botão B funciona como um turbo, dando uma maior velocidade à mota mas também aumenta a sua barra de temperatura. Sempre que a barra atingir o seu limite a nossa mota irá parar durante alguns segundos até poder voltar à corrida.

Apesar de conduzirmos em linha recta teremos que atravessar alguns saltos e plataformas que diferem no que toca à sua estrutura, sendo que um salto mal calculado e uma aterragem numa zona má de um salto irá colocar o nosso piloto a rebolar pelo chão, o que nos fará perder muito tempo. Para além dos saltos, os restantes pilotos na pista também poderão atirar-nos ao chão caso acabemos por colidir com algum deles. No chão da pista também se encontram umas setas especiais que nos recuperam a temperatura da nossa mota e isso irá dar-nos segundos preciosos.

Existe também três modos neste jogo, sendo que um desses é um editor de níveis. O primeiro modo de nome Selection A irá colocar o piloto sem oposição e a tentar lutar por um tempo melhor que o dos adversários, enquanto que o modo Selection B coloca os adversários a pilotar em tempo real connosco. Selection B é sem dúvida o modo mais divertido, isto porque torna-se num desafio ainda maior e porque iremos testemunhar acidentes espectaculares e outros cómicos em cada corrida. Contactos físicos com os nossos adversários irão resultar em acidentes para nós ou para o nosso adversário, dependendo da zona atingida na mota.

No que toca à apresentação, vamos ter algumas alterações no que toca à palete de cores para marcar a diferença de pistas e cenários, mas mesmo para a um jogo da NES lançado em 1984, continua a ser um jogo fácil de se olhar e com um bom uso de cores. O mesmo já não se pode dizer quanto à sonoplastia, visto que as únicas músicas que iremos ouvir são as que antecedem e precedem a corrida, o que torna um pouco irritante ficarmos a ouvir o som da mota e do seu turbo durante toda a corrida, sem qualquer tipo de melodia.

Esta versão Wii U para a Virtual Console está perfeitamente jogável e sem grandes problemas. Todas as opções do Virtual Console funcionam bem e dão algum jeito como é o caso de partilhar tempos no MiiVerse, sendo que o único problema encontrado centra-se na nitidez da imagem no GamePad. O jogo está perfeitamente nítido no nosso televisor, mas no GamePad fica ligeiramente turvo, elemento que provavelmente estará presente em todos os jogos NES do Virtual Console.

Apesar deste pequeno entrave, que não deverá ser um problema para todos os jogadores, esta é um boa oportunidade para voltarmos a testar as nossas habilidades em Excitebike, um jogo um pouco difícil de acordo com a nossa progressão.

Positivo:

  • Um bom momento de nostalgia
  • Selection B oferece bons momentos
  • Jogável sem qualquer problema de comandos ou derivados
  • Partilhar tempos no MiiVerse

Negativo:

  • Falta de música durante as corridas

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram