Yakuza 0 – Explorando Kamurocho (e arredores) #1

Com Yakuza 0 agora disponível para o PC decidi pegar na minha cópia da versão PlayStation 4 e começar a aventurar-me pela cidade de Kamurocho dos anos 80. Como se isso não bastasse, também tive a ideia de ir documentando a minha aventura pelo jogo, tal como fiz anteriormente com Final Fantasy XV. Isto já era algo que gostaria de ter feito com Yakuza 5 quando o estive a jogar durante o ano passado mas tendo em conta que era um bocado estranho falar sobre um jogo que já estava tão à frente na história da série, decidi esperar um pouco até meter as mãos em Yakuza 0.

Basicamente vou relatar a minha aventura pelo jogo e falar sobre coisas que me chamem o interesse, que tenha feito durante as sessões de jogo ou até apenas pura comédia. Em termos de história não planeio muito pegar nela, por isso não irá haver spoilers a não ser que avise no início do artigo. Quanto à frequência e quantidade de artigos, isto é algo que ainda estou a ver como fazer, o jogo está dividido em capítulos por isso a minha ideia geral seria a de fazer um artigo por capítulo, mas por outro lado acho que longo prazo isso não iria funcionar. No entanto estou com ideias de lançar um artigo todos os Sábados (ou quando der) até terminar o jogo, logo se verá se esta é a melhor opção.

Para quem não conhece, Yakuza 0 é uma prequela que tem lugar antes dos eventos de toda a série Yakuza, sendo o jogo perfeito para quem nunca tiver jogado nenhum anteriormente. A história deste jogo segue a vida do jovem Kiryu, o protagonista da série, e Majima, uma das personagens favoritas dos fãs durante uma vida em que ambos ainda não eram reconhecidos. O primeiro capítulo começa então com Kiryu e os acontecimentos que acabam por ditar toda a história que está para acontecer. Mas passando essa parte introdutória à frente, tenho algo a dizer:

De vez em quando existem videojogos que decidem criar segmentos onde é necessário seguir uma personagem enquanto a mesma fala, sendo que em metade das vezes é preciso esperar que essa personagem chegue até ao fim e na outra metade os jogadores chegam ao seu destino sem querer e acabam por interromper a conversa que estava a ter lugar. Yakuza 0 teve a óptima decisão de criar um botão que é possível premir e fazer com que Kiryu/Majima sigam a personagem em questão de forma automática, eliminando qualquer problema que possa haver. Quem pensou nisto merece ser posto ao lado do tipo que decidiu meter karaoke no jogo.

Voltando à minha aventura pelo jogo, ganhei um pequeno amigo que logo de imediato decidiu abusar da nossa relação. Apesar de dizer que não várias vezes, Yaneda decidiu andar sempre atrás de mim mesmo quando eu estava ocupado com assuntos urgentes. O Yaneda tem que perceber que as relações não são assim e que as pessoas necessitam de espaço de vez em quando, caso contrário a outra pessoa zanga-se e o resultado final é alguém ser atirado pela janela fora. Não façam como o Yaneda e respeitem a privacidade de cada pessoa, especialmente se acabaram de as conhecer.

Esta cena inicial pode ser uma que dará trabalho a novatos da série, e é por isso que tenho aqui uma excelente recomendação para vos dar. Em Yakuza 0 vocês tem dinheiro para dar e vender, devido a isso recomendo que comprem grandes quantidades de Staminan XX e ignorem tudo o resto que seja item restaurativo. Isto porque este item restaura grandes quantidades de vida e de heat quando consumidos, sendo o vosso melhor amigo durante esta aventura.

Continuando com as dicas, a série Yakuza tem um problema que é a falta de locais para vender itens. Enquanto que na maioria dos outros jogos qualquer loja sirva para comprar e vender, em Yakuza apenas podem vender itens numa loja específica pois todas as outras não vão comprar a vossa tralha. Pesquisem pelo mapa por uma loja com o nome de Ebisu Pawn Kamurocho em baixo no meio e facilmente a irão encontrar. Mais acima dessa loja irão encontrar o Shrine onde podem trocar pontos por extras e também falar com o palhaço Bob para receberem vários DLCs grátis que já vem incluídos no jogo com os mais recentes updates.

Acho que este é um bom ponto de paragem para o artigo de hoje. No geral ainda ando no início do segundo capítulo sendo que em vez de fazer a história do jogo tenho antes andado a passear pela cidade para reconhecer os cantos da casa. Acabei por fazer umas quantas substories e actividades que irei falar na próxima vez, incluíndo uma nova cara que conheci.