Antevisão – A Light in the Dark (Demo)

Recentemente tenho encontrado alguns jogos Asiáticos não produzidos pelo Japão que me têm deixado curioso. Talvez por estarem fartos de estarem na sombra dos Japoneses, ou provavelmente por as companhias começarem a ganhar terreno, é uma realidade que mais jogos Asiáticos têm chegado até nós com o suporte de várias distribuidoras. A Light in the Dark é um desses jogos, estando a ser produzido por 3 estúdios situados em Taiwan (não confundir com Tailandia) incluindo o estúdio que desenvolveu Rabi-Ribi, chegando até ao Ocidente com a ajuda da Sekai Project.

Nesta demo fica-mos ao encargo dos dois primeiros dias da nova vida do protagonista Hao-Chen enquanto o mesmo tenta interpretar o que está a acontecer. Hao-Chen encontra-se amarrado a uma cadeira numa pequena sala que já viu melhores dias, sendo imediatamente abordado por uma jovem mulher que o aconselha a cooperar enquanto o dinheiro do resgate não vem, caso ele esteja com vontade de sair ileso da situação na qual se encontra. Basicamente, Hao-Chen foi raptado e está agora numa situação onde tem de lidar com os seus raptores.

A demo deu um vislumbre das três personagens principais desta história, Hao-Chen, o nosso protagonista que vem de uma família rica, a jovem mulher que parece odiar o tipo de vida fácil que o protagonista tem, não tendo problemas nenhuns em bater-lhe caso seja necessário e uma jovem rapariga que não é de muitas palavras e que apenas está a tentar ajudar a outra raptora, evitando interagir com o protagonista. O tempo passado com estas três personagens foi curto mas foi o suficiente para me deixar intrigado e de o jogo dar um vislumbre sob a vida que as mesmas tiveram.

No que toca à jogabilidade foi possível observar como a maioria do jogo se vai desenrolar. Cada dia está dividido em três partes e o jogador tem três opções disponíveis, conversar com os seus raptores, observar o que o rodeia ou descansar para recuperar energia, sendo que a energia vai ditar o número de acções que Hao-Chen pode fazer por dia. O objectivo da história passa por escolher as melhores decisões que irão ajudar Hao-Chen a escapar desta situação, quer seja ao conhecer as duas raptoras ou a tentar aproveitar qualquer tipo de situação para fugir. Apesar de não estar disponível na demo, o jogo final vai contar com múltiplos finais que ao todo vão dar para 6 a 8 horas de jogo de acordo com as produtoras.

O tempo passado com a demo foi curto mas foi o suficiente para me deixar agarrado à ideia apresentada. Estando numa situação onde a nossa segurança não é garantida, o jogo decide atirar com empatia para com as personagens e tudo depende das acções tomadas pelo jogador. As tentativas para escapar podem correr mal e magoar o protagonista, enquanto que as conversas tanto podem ajudar a conhecer as personagens ou fazer rebentar uma mina que trará consequências. A Light in the Dark é uma ideia interessante e que mal posso esperar por ver o resultado final.

 

A Light in the Dark está previsto para sair durante o mês de Maio na Steam, com uma demo disponível caso estejam interessados em experimentar em primeira mão.

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.