Análise – Warcraft: O Primeiro Encontro de Dois Mundos

Como é possível conter as expectativas para o primeiro filme de uma série como Warcraft? Depois de vários anos a jogar World of Warcraft, Hearthstone e umas passagens por Warcraft 3, eu posso não ser o maior fã, mas já me posso gabar de ter gasto largas centenas de horas em Azeroth.

Claro que vi as primeiras notas que foram lançadas e fiquei assustado com o que alguns supostos fãs disseram. Por isso, decidi ver pelos meus próprios olhos e tirar as minhas próprias conclusões. No final da sessão, não restaram grandes dúvidas. Warcraft não é um filme excepcional, mas é, em qualquer caso, um bom filme.

Warcraft é uma interpretação Hollywoodesca do que é um filme de fantasia com criaturas fantásticas. Por vezes, é possível ver aqui a tentativa de invocar a grandiosidade do Senhor dos Anéis, mas isso é algo que seria de esperar, especialmente tendo em conta que nem toda a audiência conhece este universo.

warcraft-filme-movie-analise-review-pn_00004

Existe um esforço demasiado forçado para tentar passar a mensagem de que ninguém é mau, todos ficam dependentes das suas origens e tradições, o que destaca os Orcs do Warcraft, de qualquer outro tipo de Orcs que já passaram pelo cinema. Mesmo assim, senti que os humanos foram mais vezes o tema principal, enquanto nos jogos, os Orcs costumam ser muito mais o centro da história e das atenções.

Mas onde Warcraft tem de sacrificar em prol da narrativa, é na história original, que sofreu algumas alterações em relação ao original, incluíndo até personagens inéditas que cumprem papéis cruciais nos desenvolvimentos da história, como é o caso de uma Half-Orc que é o centro das atenções, embora não seja assim tão importante quanto isso na história original. Na minha opinião era plenamente dispensável, mas é inegável que cumpre o seu propósito no todo.

A forma como a história é contada e tendo em conta que tem várias personagens e coisas a acontecer ao mesmo tempo, pode também acabar por confundir um pouco os espectadores que nunca tiveram qualquer contacto com os jogos. Os fãs, tal como eu, vão ficar satisfeitos com as referências constantes que são feitas a elementos, localizações e personagens ao longo do filme.

warcraft-filme-movie-analise-review-pn_00002

O tempo passado com os humanos é satisfatório, embora não seja tão divertido quanto isso no início. Existem momentos de comédia forçada e até constrangedora que não vão agradar a todos, mas que ajudam a construir as personagens. Existe desenvolvimento de algumas, mas outras aparecem mais para fazer suporte e desaparecer pouco depois.

Do lado dos Orcs a coisa já decorre de melhor forma. Embora tenham menos tempo de antena, os Orcs são muito mais interessantes e mais fieis ao conceito original dos jogos. Existem os clãs, as lutas internas e os Orcs mais intemporais estão cá todos.

As sequências de combate estão bastante boas e conseguem ter momentos épicos em fartura, com montadas voadoras, lobos e armaduras que estamos habituados a ver nos jogos. Alguns efeitos dos feitiços são um pouco estranhos e este tem o Golem mais descaradamente CGI que vi num filme até hoje. De resto, seja paisagens, cidades e guarda roupa, tudo transborda a Warcraft.

warcraft-filme-movie-analise-review-pn_00001

Já que falamos em CGI, é preciso dizer que este trabalho foi muito bem feito e que no geral, os Orcs mostram um aspecto muito bom. Tendo em conta as cinemáticas da Blizzard, não era de esperar menos num filme. Quanto aos outros actores, a sua prestação é muito positiva, tirando os primeiros momentos de Khadgar e Medivh, que nunca se percebe se está a exagerar ou se o argumento foi mesmo escrito assim.

Como referi no início da análise, Warcraft não é um filme destinado ao estatuto de clássico, mas também não é tão mau como muitos o pintam. Mesmo que tenha alguns momentos menos bem conseguidos e um encadeamento de acontecimentos confuso, este é um filme que respeita o conteúdo original, mudando apenas conceitos que eram necessários para o adaptar melhor ao cinema.

Quando saí da sala de cinema, saí satisfeito e aliviado, embora consiga perceber que os maiores fãs o possam odiar por mudar elementos de história e os não fãs, se sintam demasiado esmagados por tanto conteúdo “nerd”. O que ficou na memória, foi um momento bem passado que honrou de boa forma uma das minhas sagas favoritas. Se gostam de Warcraft e são capazes de suportar algumas liberdades criativas, então vão gostar tanto dele como eu.

warcraft-filme-movie-analise-review-pn_00003

Positivo:

  • Recriação do universo
  • Sequências de combate
  • Referências constantes
  • É uma boa história de origem
  • Orcs são tratados decentemente
  • Bom trabalho de CGI

Negativo:

  • Pode ser dificíl acompanhar a narrativa
  • Alguns actores exageram na sua representação
  • A Half-Orc não precisava de tanto destaque
  • Aqueles Elfos…

pn-bom-2016

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.
  • Marco Correia

    Nice, vou ver no domingo. Espero algo épico e estou muito interessado no conceito de os Orcs não serem os genéricos mauzões, convém mencionar que nunca joguei nada baseado em Warcraft

    • Daniel Silvestre

      Fico à espera da tua opinião como alguém que nunca lhes tocou.

      • Kanudo

        Eh eh… nunca lhes tocou 😛

  • Ghost

    Vi ontem o filme. Gostei e acho que este é o 1o filme baseado em jogos que conseguiu ser realmente bom e quebrar a maldições dos jogos/cinema. A half-orc é uma personagem que até gostei (ao menos nao teve um final cliché ), agora vai é depender de como a desenvolverem nos restantes filmes.

    Disclamer:Já não toco em Warcraft à anos nem nunca gastei muito tempo no jogo por isso a minha opinião vale o que vale. 🙂

    • Daniel Silvestre

      É bem vinda. Ao que parece, as primeiras críticas estavam bem longe da realidade : )

      • Ghost

        As únicas criticas que leio são as daqui.=D Vou sempre às “cegas” ao cinema.

  • Silver4000

    Eu antes de ver o trailer pensei que fosse ser um filme apenas com CG. Mas o live action não me deixou esquisito, gostei do que vi no trailer, e deixou-me bastante curioso para o filme.

    As únicas críticas que ouvi são do cgi (isto na altura do trailer), e agora que o filme saiu é principalmente da história. Não joguei nenhum dos jogos mas pelo trailer pelo menos consegui entender o que o filme queria contar…

    Gostava de ir ver ao cinema se tiver oportunidade.

  • Marcupial

    Eu so quero saber de uma coisa? O Leeroy aparece ou nao, é que se nao aparecer nao vale a pena v:

  • Kaiser

    Vi-o ontem e apesar de nunca ter jogado e de desconhecer completamente o universo de WoW, fiquei muito satisfeito com o filme e com vontade de ver mais.
    Tendo em conta que perdi um pouco do início (tudo o que estava para trás da aparição do título) comecei a viagem um pouco confuso com os personagens que já tinham sido introduzidos, mas não demorou muito para os conseguir entender. Foi bem fácil acompanhar e não considero que a história seja confusa.
    Até à parte da emboscada na floresta em que a Garona é libertada estava quase, quase, quase aborrecido, mas a partir desse combate fiquei completamente preso, o filme ganhou um bom ritmo a partir daí e muito se deve às cenas de combate. E as restantes foram todas muito boas também.
    Visualmente é espectacular e não é estranha a mistura de real footage com o CGI.
    Tal como dizes o filme não é nada de excepcional ou épico, mas está num bom nível e consegue divertir o espectador o que já vale muito, assim como a mim me deixou com vontade de conhecer mais deste universo.
    A início senti o mesmo que tu em relação às piadas cheesy mas ao longo do filme foi deixando de me incomodar. Acho que isso depende do conforto dos actores enquanto na pele dos respectivos personagens, no próximo acredito que já vão conseguir ser mais naturais. O MCU é prova disso mesmo.
    A única grande falha que tenho a apontar é o fraco desenvolvimento de alguns personagens.

    *SPOILER*
    Falo em especial do filho do Lothar que morre a meio do filme e a sua morte não teve grande peso para mim exactamente por eu não me importar com ele. Eu não senti o vazio que era suposto o Lothar sentir por não estar minimamente apegado. Não me foi tão estrondoso como, por exemplo, apenas o pedido do Llane à Garona para o matar.
    Quando o Lothar matou o Blackhand nem me soube a vingança como era suposto.
    *FIM DO SPOILER*

    Se cumpriram de forma satisfatória, se a comunidade de fãs é enorme e se pode fazer ouvir e se fizeram um bom fan service (pelo que vejo ser dito que eu de certeza não apanhei as referências), vamos confiar que os produtores vão levar as críticas e opiniões em conta e que vão melhorar estas pequenas falhas nos próximos.

    Cumprimentos e boa análise, Daniel!

  • Vitz

    Vi-o ontem e apesar de nunca ter jogado e de desconhecer completamente o universo de WoW, fiquei muito satisfeito com o filme e com vontade de ver mais.
    Tendo em conta que perdi um pouco do início (tudo o que estava para trás da aparição do título) comecei a viagem um pouco confuso com os personagens que já tinham sido introduzidos, mas não demorou muito para os conseguir entender. Foi bem fácil acompanhar e não considero que a história seja confusa.
    Até à parte da emboscada na floresta em que a Garona é libertada estava quase, quase, quase aborrecido, mas a partir desse combate fiquei completamente preso, o filme ganhou um bom ritmo a partir daí e muito se deve às cenas de combate. E as restantes foram todas muito boas também.
    Visualmente é espectacular e não é estranha a mistura de real footage com o CGI.
    Tal como dizes o filme não é nada de excepcional ou épico, mas está num bom nível e consegue divertir o espectador o que já vale muito, assim como a mim me deixou com vontade de conhecer mais deste universo.
    A início senti o mesmo que tu em relação às piadas cheesy mas ao longo do filme foi deixando de me incomodar. Acho que isso depende do conforto dos actores enquanto na pele dos respectivos personagens, no próximo acredito que já vão conseguir ser mais naturais. O MCU é prova disso mesmo.
    A única grande falha que tenho a apontar é o fraco desenvolvimento de alguns personagens.

    *SPOILER*
    Falo em especial do filho do Lothar que morre a meio do filme e a sua morte não teve grande peso para mim exactamente por eu não me importar com ele. Eu não senti o vazio que era suposto o Lothar sentir por não estar minimamente apegado. Não me foi tão estrondoso como, por exemplo, o pedido do Llane à Garona para o matar ou o sacrifício da Draka pelo filho.
    Quando o Lothar matou o Blackhand nem me soube a vingança como era suposto.
    *FIM DO SPOILER*

    Se cumpriram de forma satisfatória, se a comunidade de fãs é enorme e se pode fazer ouvir e se fizeram um bom fan service (pelo que vejo ser dito que eu de certeza não apanhei as referências), vamos confiar que os produtores vão levar as críticas e opiniões em conta e que vão melhorar estas pequenas falhas nos próximos.

    Cumprimentos e boa análise, Daniel!

  • Vitz

    Vi-o ontem e apesar de nunca ter jogado e de desconhecer
    completamente o universo de WoW, fiquei muito satisfeito com o filme e
    com vontade de ver mais.
    Tendo em conta que perdi um pouco do início
    (tudo o que estava para trás da aparição do título) comecei a viagem um
    pouco confuso com os personagens que já tinham sido introduzidos, mas
    não demorou muito para os conseguir entender. Foi bem fácil acompanhar e
    não considero que a história seja confusa.
    Até à parte da emboscada
    na floresta em que a Garona é libertada estava quase, quase, quase
    aborrecido, mas a partir desse combate fiquei completamente preso, o
    filme ganhou um bom ritmo a partir daí e muito se deve às cenas de
    combate. E as restantes foram todas muito boas também.
    Visualmente é espectacular e não é estranha a mistura de real footage com o CGI.
    Tal
    como dizes o filme não é nada de excepcional ou épico, mas está num bom
    nível e consegue divertir o espectador o que já vale muito, assim como a
    mim me deixou com vontade de conhecer mais deste universo.
    A início
    senti o mesmo que tu em relação às piadas cheesy mas ao longo do filme
    foi deixando de me incomodar. Acho que isso depende do conforto dos
    actores enquanto na pele dos respectivos personagens, no próximo
    acredito que já vão conseguir ser mais naturais. O MCU é prova disso
    mesmo.
    A única grande falha que tenho a apontar é o fraco desenvolvimento de alguns personagens.

    *SPOILER*
    Falo
    em especial do filho do Lothar que morre a meio do filme e a sua morte
    não teve grande peso para mim exactamente por eu não me importar com
    ele. Eu não senti o vazio que era suposto o Lothar sentir por não estar
    minimamente apegado. Não me foi tão estrondoso como, por exemplo, o
    pedido do Llane à Garona para o matar ou o sacrifício da Draka pelo
    filho.
    Quando o Lothar matou o Blackhand nem me soube a vingança como era suposto.
    *FIM DO SPOILER*

    Se cumpriram de forma satisfatória, se a comunidade de fãs é enorme e se
    pode fazer ouvir e se fizeram um bom fan service (pelo que vejo ser dito
    que eu de certeza não apanhei as referências), vamos confiar que os
    produtores vão levar as críticas e opiniões em conta e que vão melhorar
    estas pequenas falhas nos próximos.
    Quanto a mim, não só fico à espera de poder ver mais, como ainda ponho a possibilidade de o ir ver uma segunda vez para desta apanhar tudo.

    Cumprimentos e boa análise, Daniel!