Sábados de Loucura #9 – Digimon, Captain Tsubasa e mais

Para esta semana nem preciso de pensar muito sobre o tema que vou utilizar neste artigo tendo em conta duas notícias em particular que deixaram-me bastante curioso. Tão curioso que nem é preciso fazer nenhuma introdução ou lengalenga enquanto penso naquilo que quero dizer. Talvez dê uma opinião sobre mais uma ou duas notícias que apanharam o meu interesse, mas começando pelo mais importante.

Digimon Adventure anuncia reboot do primeiro anime para Abril” foi honestamente algo que não esperava tendo em conta que Digimon Adventure Last Evolution Kizuna ainda não estreou e este é suposto concluir a história das crianças escolhidas originais, contando com o tema de “separação” e “crescimento”, onde as personagens já nas suas fazes adultas não necessitam dos Digimon para crescer e melhorar enquanto pessoas. E devido a isso chega a altura em que ambos tem de se separar. Um tema bastante interessante visto que na altura em que o anime estreou (1999) a maioria dos fãs eram crianças e hoje, 20 anos mais tarde, essas mesmas crianças tornaram-se em adultos e muitos provavelmente largaram a série devido a isso, enquanto que outros continuam agarrados à mesma.

Fico então curioso para o reboot já que este é anunciado como um tal e não um simples remake. Será que a história vai ser proximamente igual ou vamos ver enormes diferenças? O elenco continua igual e até o estilo de arte, isto é, o design das personagens, mantém-se. Mas o setting foi mudado de 1999 para 2020 e já o início da história informa sobre a existência de criaturas digitais e cyber terrorismo, o que me leva a perguntar se ambos estarão ligados.

Isto lembra-me de Digimon Survive onde o produtor afirmou que as origens dos Digimon muda um pouco e que vai explorar isso, e pergunto-me se este reboot irá reflectir essa mudança ou não. Um dos pontos que gostei é que aparentemente Tai é transportado para o mundo digital quando este chega à estação, e quem viu a série original sabe como esta termina e as personagem são transportadas de volta para o mundo real. Mesmo sendo um reboot o fãs continuam na mente dos produtores.

Outra surpresa inesperada, mas que até faz sentido tendo em conta que o anime teve um remake há coisa de 1 ou 2 anos atrás: “Captain Tsubasa vai receber um videojogo para a PlayStation 4, Nintendo Switch e PC“. Não faço a mínima se a série alguma recebeu um videojogo, e se teve então é provável que nunca tenha sido lançado no Ocidente, mas o anúncio deste jogo continua a vir do nada e a surpreender até quem nunca viu o anime e a razão é simples, jogos de futebol à muito que deixaram de ser engraçados de jogar.

Hoje em dia os únicos jogos de futebol que existem apenas focam-se em simulação, maus modelos de personagens, engines que deviam levar com umas melhorias e muito mais. A maioria das pessoas já não divertem-se com este tipo de jogos e é por isso que o anúncio de um novo jogo de futebol que tem elementos como “ataques especiais” ou colisões no ar e muito mais chama a atenção de muitos pois mesmo que seja ridículo todos sabem que este será um jogo de pura diversão.

Jogabilidade já começou a surgir a partir de pessoas que foram convidadas para experimentar um pouco do jogo e pelo que vi esta está bastante rápida. A maneira em como as personagem passam a bola ou até rematam à instantânea e o jogo não se preocupa em fazer as coisas demorar ou sentir o peso das acções das personagens. Parece que existe uma barra de energia para cada personagem que vai descendo com cada acção, obrigando o jogador a passar a bola mais vezes, e até é possível fazer “dash” para poder apanhar a bola mais depressa. As colisões no ar são feitas à la Dragon Ball onde é necessário premir rapidamente os botões marcados para ganhar esse encontro.

Basicamente é um jogo de futebol para não levar a sério e simplesmente apreciar enquanto se joga. Também foi confirmado que será possível jogar com até 4 pessoas, por isso sempre podem convidar os vossos amigos e ter umas boas sessões juntos. Se pelo menos a série Inazuma Eleven decidisse acordar…

O que mais aconteceu durante esta semana e pegou o meu olho?

A série Mega Man Battle Network poderá receber uns quantos ports, algo que é óbvio tendo em conta que todos os outros da franquia Mega Man receberam este tratamento. Mas ver a possibilidade ser discutida apenas faz-me ainda mais contente, mas fico curioso em como eles irão abordar o facto de cada jogo a partir do terceiro contar com duas versões onde algumas personagens são diferentes, entre outras pequenas diferenças.

Algo que por esta altura nem sei o que pensar tendo em conta o enorme desapontamento do jogo anterior ao ponto de nem estar muito interessado no DLC, é o anúncio de “Project Xehanort” que irá explorar o passado da personagem do mesmo nome de Kingdom Hearts. Porque não revelar isso no jogo? Pensava que o DLC ia focar-se nisso tendo em conta o que apareceu no trailer. Afinal de contas o que vai ser então? Será isto mesmo necessário? E a companhia ainda disse que tinha mais dois projectos planeados, um deles certamente é Kingdom Hearts IV

Por fim, algo que já estava à espera tendo em conta o teaser feito era o novo jogo da série THE iDOLM@STER, mas a surpresa foi que o jogo também chegará até à Steam, o que poderá dizer que talvez seja lançado no Ocidente tendo em conta que somos nós quem mais quer saber de PC Gaming e não os Japoneses.

Esta semana foi interessante em termos de anúncios, o que é bom tendo em conta todos os adiamentos que tem vindo a acontecer desde o início do ano. Mas o tempo e dinheiro para todos estes jogos é algo que não há. Pelo menos não existem muitos RPGs que me interessem este ano, caso contrário nunca mais os terminaria.

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram