Antevisão – Halo Infinite Multiplayer Arena Slayer

Para muitos jogadores, estes testes são o primeiro vislumbre daquela que será uma longa relação com o multiplayer de Halo Infinite bem como um primeiro teste com o jogo no geral. Halo 5: Guardians foi uma experiência fantástica mas já lá vão 6 anos desde o seu lançamento e os jogadores anseiam por algo novo.

O primeiro teste abriu o modo Arena Social Slayer aos jogadores, onde duas equipas de quatro jogadores combateram entre si em três dos modos mais conhecidos do gênero: Slayer, Capture the Flag e Strongholds. No geral as partidas continuam frenéticas e as dinâmicas de cada modo continuam iguais. Modos de objectivos são dos meus favoritos e o divertimento bem como o trabalho de equipa continuam a ser incentivados, logo a 343 Industries fez um bom trabalho nesse sentido.

Os três mapas disponíveis são Live Fire, Recharge e Bazaar, pelo que este último foi um dos que mais chamou à atenção aos jogadores. Este último decorre em Mombasa, uma região altamente conhecida do lore Halo e está dividida em três zonas elevadas e uma zona central ao nível do chão. Este mapa trouxe bons momentos de tensão principalmente ao tentar apanhar os Equipments ou Power Weapons como Rockets.

Os power-ups voltam ao activo através do nome Equipments, havendo vários para experimentar nestes testes como o Overshield, Camo, Grapple Hook, Thrust ou até o Repulser. Apesar de alguns serem clássicos na série, é preciso destacar o Grapple Hook e o Repulser.

O Grapple Hook é basicamente uma corda que disparamos do nosso braço e que se agarra onde tocar, dando a capacidade de nos levar muito rapidamente para perto de onde toca, basicamente tornando um jogador num autêntico homem-aranha, e já o Repulser é um habilidade no nosso braço que através de uma rápida libertação de energia poderá responder a ataques dos inimigos ou até atirar um adversário para longe da nossa posição.

Existem algumas novidades merecedoras de serem mencionadas: vermos no jogador um pequeno destaque da zona do corpo onde estão a ser atingidos; os jogadores não são obrigados a usar a cor da sua equipa, mas a diferenciação é feita através de um destaque colorido que fica à volta de cada jogador.

No que toca a armas acho que existe algum desequilíbrio entre as mesmas, principalmente com a arma de alcance baixo como a Assault Rifle. Esta mesma arma está com um alcance muito elevado tornando quase obsoletas as armas de alcance médio e este sentimento foi partilhado com praticamente todos os jogadores com que me cruzei. Mesmo assim não foi encontrado nada de grave e algumas novidades como a Heatwave são simplesmente fantásticas de jogar.

Como seria de esperar para uma versão de testes, foram encontrados bugs…vários bugs. Desde menus a piscar, até a necessidade de estar constantemente a activar o modo Performance na Xbox One X antes de cada jogo para ter uma framerate a 60fps, até a botões que deixam de funcionar. Um bug fez as delícias dos fãs e que se baseava no clássico BxB descoberto em Halo 2, e que permite um autêntico spam de ataques físicos a uma velocidade estonteante.

Sendo esta uma apreciação do modo multiplayer, posso dizer no geral que a 343 Industries está a ter uma abordagem diferente com o seu jogo. Voltou um pouco aos básicos da série Halo onde os spartans agora apenas correm e trepam zonas elevadas. Elementos como o Thrust, Grapple Hook ou até o Repulser precisam de ser apanhados e usados cirurgicamente.

As primeiras impressões desta versão de testes foram positivas e ficamos à espera do modo Big Team Battle que começará no próximo fim-de-semana. Seja de frisar que os nossos testes foram feitos numa Xbox One X.

Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x