Análise – Quest of Dungeons

quest-of-dungeons-xbox-one-rev-top-pn

Está é sem dúvida uma era muito positiva para a indústria dos videojogos em Portugal. Digo isto graças à ascensão e cada vez mais inúmeras iniciativas indie oriundas do nosso país. Já temos grandes estúdios de destaque como Bica Studios, NerdMonkeys ou até Upfall Studios, e os números não param de aumentar desde os últimos anos.

Um dos últimos esforços merecedor de destaque é sem dúvida Quest of Dungeons que foi concebido pelo português David Amador tendo estreado no ano passado e que agora chega à Xbox One. Este RPG/roguelike inspirado em clássicos como Sword of Fargoal é um jogo bastante impressionante e desafiante, mas que se nota uma certa abordagem mais conservadora no que toca em trazer algo novo.

quest-of-dungeons-xbox-one-rev-8-pn

Quest of Dungeons deixa-nos a escolher uma das várias classes como Feiticeiro, Guerreiro, Arqueiro ou então Xamã. Cada um deles tem os seus pontos fracos e fortes mas servirá o seu propósito no que toca ao nosso tipo de jogo. Se quiserem ser mais calculistas e cuidadosos podem sempre escolher um arqueiro para manterem os inimigos mais longe, ou então “entrar a matar” na pele de um guerreiro.

O combate por turnos funciona bastante bem, no qual um dos nossos movimentos será rapidamente respondido com um movimento do inimigo que estiver no nosso campo de visão, portanto dará tempo para pensarmos no que fazer. Este sistema oferece uma boa fluidez no geral pelo que se quisermos entrar por uma porta a toda a velocidade e imprimir velocidade ao jogo, seremos correspondidos da mesma forma pelo inimigo ou inimigos em questão.

quest-of-dungeons-xbox-one-rev-10-pn

O jogo também consegue ser bastante punitivo quando quer, e isso também será o espelho do nosso cuidado quando começamos a vaguear em zonas que não conhecemos. Quando menos esperamos podemos estar rodeados de inimigos e aí as coisas poderão virar para o torto.

A nossa progressão é feita através de pisos da enorme masmorra que iremos explorar. Não será fácil descer todos os pisos e singrar, visto que a morte no jogo dá automaticamente um Game Over sem haver chance para continuarmos num save anterior. Este aspecto clássico fez-me olhar mais rapidamente para os leaderboards online na demanda para conseguir um lugar cimeiro nos rankings mundiais, e isso tornou-se num sentimento competitivo que não esperava encontrar neste jogo.

quest-of-dungeons-xbox-one-rev-9-pn

A descida para cada piso apresenta-nos não só cenários diferentes, mas também inimigos diferentes que se mostram cada vez mais fortes e difíceis consoante a profundidade da masmorra. Infelizmente achei os cenários em si um pouco pequenos o que obriga a um certo grinding se não nos sentirmos à vontade em descer para o próximo piso.

A procura por loot é algo que está nas veias de fãs de RPG e aqui não seremos excepção. Nos vários pisos temos arcas com tesouros, poderemos roubar items aos inimigos e até fazer compras ao mercador que está em cada piso do jogo. No início existe aquela necessidade de tapar todas as partes do nosso corpo para protecção, mas mais tarde corremos incessavelmente por partes melhores e de melhor qualidade.

quest-of-dungeons-xbox-one-rev-6-pn

Para complementar ainda mais esta abordagem clássica, o jogo tem uma apresentação muito semelhante a um jogo de 16-bits bem ao género da Super Nintendo ou um clássico do PC, e isso graças aos sprites simples de todas as personagens no geral e das várias masmorras. A banda sonora poderá tornar-se um pouco repetitiva com o passar do tempo mas enquanto não farta até consegue oferecer um bom pano de fundo sonoro a esta experiência.

Apesar de não ser um jogo inovador no geral, Quest of Dungeons é uma aventura bastante viciante e um esforço bem conseguido para David Amador que me dá cada vez mais vontade de lutar por uma pontuação melhor e de me gabar nos leaderboards. Esperamos muitas coisas boas deste produtor no futuro.

Positivo

  • Uma experiência bastante viciante
  • Luta por um lugar nos leaderboards oferece um aspecto mais old-school
  • Apresentação no geral fácil e agradável de ver
  • Imprevisível por vezes

Negativo

  • Não vagueia muito fora da sua fórmula
  • Banda sonora boa mas curta

pn-muitobom-ana

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram