Análise – Project Lux

  • Plataformas: PC (VR)
  • Versão de Análise: PC (VR)
  • Informação Adicional: Testado com o HTC Vive. Imagens retiradas da página oficial do jogo.

Project Lux é um daqueles projectos VR onde somes oferecidos uma experiência VR ao invés de um jogo que faz uso das propriedades da plataforma onde está. Neste jogo ao invés de darmos de caras com um mistério onde é possível investigar por pistas e desvendar o que aconteceu, somos antes espectadores da memória de uma pessoa.

O mundo do jogo tem lugar numa era onde a maioria dos humanos possuem cérebros cibernéticos, passando a maioria do seu dia-a-dia a comando de andróides ao invés de saírem e conviverem com os seus corpos verdadeiros. Lux é uma artista que não faz parte desta nova geração de humanos, no entanto a mesma foi assassinada, sendo que observamos as memórias da última pessoa que interagiu com Lux para assim saber o que causou este incidente.

Temos então acesso a uns quantos episódios que em conjunto oferecem um total de um pouco mais de uma hora de duração, sendo basicamente um filme que o jogador pode observar em VR ao invés de um jogo ou algo interactivo.

Mesmo não havendo interacção que tornasse Project Lux em um jogo de mistério seria interessante ver linhas alternativas para o diálogo ou escolhas para manter um interesse maior no “jogo” e tornar nesta uma experiência ainda melhor. Aquilo que acabamos por observar é uma linha contínua de uma história que tem lugar num mundo que necessita de ser explorado mais a fundo.

O universo de Project Lux tem a peculiaridade de ter uma sociedade que sente-se mais segura ao partilharem uma ligação pela rede graças aos seus cérebros cibernéticos. Partilhando memórias com uma enorme facilidade ou até tendo uma falta de emoções devido a isso, com Lux a ser uma das artistas a qual os seus produtos consegue criar interesse a quem já há muito não possui a sua humanidade por completo.

As personagens bem que tentam exemplificar e explorar esse tema no início da história mas a meu ver era necessário mais tempo para melhor afixar a ideia. Seria interessante explorar este tema antes de observar-mos a convivência entre Lux e as memórias da pessoa a qual estamos a aceder para a ideia desta sociedade ficar melhor centralizada e assim dar mais ênfase às interacções entre o “protagonista” e Lux.

O tempo que ambas as personagens passam juntas não é muito, sendo perto de uma semana no total. Mas o objectivo desta interacção é demonstrar a diferença entre Lux, que ainda é 100% humana, e o “protagonista” que tem um cérebro cibernético e está ligado à rede que é acedida por milhares de pessoas.

O objectivo passa por identificar os problemas desta sociedade e as complicações que ambos os lados tem, e enquanto que a ideia principal é passada, seria melhor apreciada caso houvesse tempo para explorar a sociedade a início e também mais tempo com Lux para melhor estabelecer a relação e a forma em como esta afecta o seu novo amigo.

No fundo Project Lux é uma ideia interessante mas acaba por ser aquele tipo de projecto que decide ir logo para o seu plano final, deixando um enorme mundo por explorar e que podia muito bem levar com mais algum tempo para melhor limar as suas arestas.

Positivo:

  • Tema interessante…

Negativo:

  • …mas que podia ser melhor explorado
  • Podia haver mais interacção entre as personagens

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram