Análise – PES 2014

Muitos dizem que o futebol é como uma religião, em que os crentes seguem os seus clubes e cores como quem venera entidades divinas.

No campo dos desportos digitais, o mesmo sucede com a segregação entre PES e FIFA, uns jogam o simulador da Konami outros o da EA e cada vez que os dois estão envolvidos, os fãs partem em sua defesa como cavaleiros que defendem o reino.

Fora disso tudo estou eu. Um apreciador do género que joga o que estiver na consola e seja PES ou FIFA, o que me interessa neste género é divertir-me. Este ano a coisa mudou ligeiramente de figura e pela primeira vez, cabe a mim analisar PES 2014.

Pois bem, ao longo dos últimos anos, a Konami tem vindo a melhorar PES com novas mecânicas e novos modos, mas a verdade é que este ano o salto foi um dos maiores de sempre, sendo que agora PES corre sobre o motor Fox Engine, desenvolvido pela Kojima Productions, o que acaba por ser tanto algo de positivo como de negativo.

Para alguém que já jogue PES, PES 2014 não trás muita coisa a nível de modos que seja realmente novo. Podem contar com os jogos de exibição normais, Master League (e Master League Online), Become a Legend, campeonatos internacionais como a Liga dos Campeões, AFC e Liga Europa. Além destes, o modo de edição faz ainda o seu regresso com boas ferramentas para criar a vossa equipa ao pormenor.

O editor é sem dúvida uma ferramenta de maior utilidade, pois PES 2014 continua a não ter uma grande quantidade de equipas licenciadas. É verdade que é um processo que a Konami tem vindo a desenvolver, mas ainda está muito longe de ideal. No meu caso, dei por mim a alterar o nome de todas as equipas da liga portuguesa pois era algo que me estava a fazer confusão enquanto estava a fazer a minha temporada. A juntar a este problema, existem poucos estádios licenciados e se por exemplo, a Argentina fica contente por ter a sua primeira e segunda liga licenciadas, os fãs do Sporting Clube de Portugal não vão ficar muito satisfeitos por jogar com o Esportiva.

Com a mudança para o novo motor de jogo, é claro que a Konami ainda não teve tempo para estudar bem todas as portas que o Fox Engine abre, mas com algo que ainda só foi testado durante um ano, existem aqui algumas novidades bastante boas e dignas de louvor.

PES 2014 traz uma jogabilidade ainda mais fluída, rápida e reactiva que os anteriores. PES 2013 já estava a entrar num patamar bastante competitivo, mas a edição deste ano é realmente digna de ser vista e jogada.

Os jogadores mostram agora muito mais peso e uma movimentação muito mais natural do que antes e a sua interacção com a bola e com os rivais é bastante mais orgânica. Para ajudar a que isto aconteça, estão cá os sistemas TrueBall Tech que torna a interacção com a bola em algo mais fluído e real e o MASS que melhora os efeitos de colisão e contacto.

Claro que estes novos sistemas ainda não estão afinados a 100% e por vezes ainda acontecem coisas no mínimo estranhas que cortam o ritmo de jogo. Porém isso resulta na maioria dos casos nos acontecimentos aleatórios a que apelidamos carinhosamente de “pezices”, ou seja, coisas estranhas como ressaltos múltiplos e jogadores que ficam a olhar para a bola em vez de a tentar alcançar. Estes problemas podem ser frustrantes, mas continuam a ser de forma irónica acontecimentos que podemos ver acontecer a qualquer momento numa partida real, o que faz de PES uma experiência menos mecanizada e até bem mais realista.

Apesar do Fox Engine já dar o ar da sua graça e mostrar um futuro feliz para PES, o facto de ser um motor novos também traz as suas complicações, e os problemas surgem essencialmente ligados a questões de fluidez. O jogo tem o mau hábito de parar por fracções de segundo quando a bola passa as linhas delimitadoras de campo o que se torna mais evidente em remates falhados à baliza. A fluidez volta a cair também nos festejos que muitas vezes parecem decorrer em câmara lenta. Será que as consolas desta geração não aguentam bem o Fox Engine?

Esta dúvida é pertinente tendo em conta a qualidade gráfica que PES 2014 suporta. Basta olhar para as imagens para ver que PES é realmente um jogo de desporto com um visual bastante bom. Os atletas mais conhecidos são recriados de forma impressionante e quer seja as roupa, bolas, chuteiras, a relva e tudo o que envolve o campo, mostra um bom detalhe.

Quando a câmara levanta, é possível ver também que foi feito um bom trabalho para transformar os estádios em verdadeiras arenas com alma e vida. As plateias reagem com força e clareza ao que se passa no campo e quando jogam uma partida dentro da Liga dos Campeões, quase parece que estão a ver uma transmissão verdadeira na televisão.

Com isto posso dizer que a componente sonora e ambiental das partidas é realmente boa, mas não posso dizer o mesmo das músicas escolhidas para os menus, que são uma mistura entre clássicos interessantes e músicas mais antigas algo irritantes. O facto de serem poucas também ajuda a cansar o jogador. Quanto aos comentários, podem contar como sempre com comentários localizados para o nosso país, mas independentemente da língua que escolham, vão ficar bem servidos, sendo o único problema o facto ocasional do jogo escolher alguns comentários pouco adequados para o que está a acontecer no ecrã em algumas situações.

Como disse anteriormente, as maiores adições deste ano de PES são precisamente algumas licenças relacionadas com ligas e eventos internacionais como o AFC Champions League. Foi também adicionada a possibilidade de dar ordens imediatas durante o jogo, mas é algo que a maioria dos jogadores não vai utilizar.

PES 2014 foi uma jogada altamente arriscada por parte da Konami, especialmente tendo em conta que PES 2013 estava realmente no bom caminho e a ganhar bom terreno à concorrência. Com a introdução do Fox Engine, parece que muito teve de ser começado de início e como tal, seria logicamente impossível acertar em cheio no primeiro ano.

No entanto, quando é hora de investir, o jogador é quem está primeiro. Por isso, se são fãs de PES e acompanham a série desde sempre, então vão certamente adorar PES 2014. A jogabilidade continua bastante similar e ao estilo mais livre e descomprometido de sempre. A maioria do tempo de teste foi feita em jogos entre mim e o Edgar e de uma coisa é certa, gostei bastante do tempo que passei a jogar PES 2014. Mesmo que alguns modos tenham evoluído pouco, esta é uma boa aposta, especialmente se pretendem jogar com amigos.


Podem ver a nossa vídeo-análise de PES 2014 aqui!

Positivo:

  • Mudança para o Fox Engine
  • Jogadores com movimentações mais naturais
  • MASS e TrueBall Tech fazem-se notar
  • Presença da Liga dos Campeões, Liga Europa e AFC
  • Excelente para jogar com os amigos
  • Graficamente imponente para um jogo de futebol desta geração

Negativo:

  • Muitas ligas e clubes por licenciar
  • Pouca evolução nos modos já existentes
  • Várias quebras de fluídez
  • Comentários continuam a surgir fora de tempo ou timbre
  • Fox Engine parece limitado pelas consolas actuais

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram