Análise – LEGO City Undercover

Sejam ricos ou pobres, rapaz ou rapariga, quase todos montaram LEGO quando eram mais novos, e os projectos iam de simples casas ou carros até cidades e mundos alternativos.

Os anos passaram e os LEGOs físicos ficaram na nossa infância, mas com o avanço dos videojogos, o LEGO continua a fazer parte da nossa vida com os jogos da Traveler’s Tales. Depois de recriar mundos totalmente diferentes como a série Star Wars, Batman e até Harry Potter, as licenças ficaram de fora do novo jogo, para trazer LEGO até as suas origens.

Seja bem-vindos a LEGO City Undercover, um jogo de aventura em mundo aberto que usa grande parte dos elementos de jogabilidade vistos em outros jogos da marca. O resultado só podia ser ou muito bom ou muito mau.

Em LEGO City Undercover jogam no papel de Chase McCain, um inspector da polícia que se vê a cargo com uma onda de crimes que assolam LEGO City, estando o marginal Rex Fury no epicentro de todos os problemas. Chase não está sozinho nesta demanda, tendo inúmeros aliados nesta aventura e vários fatos que pode utilizar como arma secreta.

Um dos primeiros pontos altos que saltam à vista em LEGO City Undercover é o humor utilizado, seja nos diálogos ou em determinados acontecimentos e locais do jogo, a TT Fusion procura sempre arrancar um sorriso ao jogador e consegue fazê-lo na maioria dos casos para um resultado recheado de boa disposição e trocadilhos de todos os estilos.

À primeira vista LEGO City Undercover pode ser bastante similar a um GTA feito com LEGO, mas embora não esteja muito longe da verdade, muitos dos pontos altos dos jogos anteriores estão presentes. Chase é um verdadeiro acrobata que consegue lutar, trepar, escalar, conduzir e evitar todo o estilo de obstáculos quando em perseguição a criminosos. Vão passar muito tempo a explorar zonas recheadas de plataformas e este sistema funciona muito bem.

O sistema de mundo aberto permite criar uma cidade viva e recheada de localizações para descobrir onde estão escondidos os famosos Studs (encaixes de LEGO), blocos especiais e outros segredos. Existem vários veículos que podem pedir emprestados em nome da lei, para viajar bem mais depressa e é bom ver que nem todos os veículos tem o mesmo estilo de comportamento, trazendo muito mais variedade.

Os elementos LEGO voltam a marcar presença através das muitas plataformas de construção espalhadas pelo mundo, alguma destas utilizam as peças mais próximas, mas existem plataformas de grandes dimensões que necessitam que coleccionem peças suficientes para serem montadas. Estas resultam em vários edifícios ou veículos de maiores dimensões que podem interagir com a história em certos casos.

Ainda espalhados pelo mundo vão encontrar vários locais que requerem determinados fatos de McCain para interagir com certos objectos ou máquinas. Normalmente estes segredos dão acesso a novos fatos e ainda mais Studs ou blocos raros. É uma boa forma de promover a exploração e aumentar a longevidade da aventura.

O Gamepad também marca presença em LEGO City Undercover e funciona como uma ferramenta de interacção adicional. Podem usar o Gamepad para investigar os cenários ou descobrir inimigos disfarçados, atender chamadas dos NPC, tirar fotos para meter no Miiverse, ou usar simplesmente como um mapa. Só é uma pena que não seja possível utilizar o mesmo para jogar o jogo sem precisar da televisão.

A campanha ainda demora umas boas horas a terminar, mas com toda a cidade para visitar e inúmeros coleccionáveis para encontrar, LEGO City Undercover é realmente uma experiência que tem muito para oferecer, só é realmente uma pena que não tenha sido incluído modelo cooperativo, algo que a série LEGO conseguiu fazer bem ao longo dos anos e que não marca presença aqui. Uma pequena desilusão.

Visualmente, LEGO City Undercover é uma experiência que factura mais pela sua recriação do estilo LEGO do que por uma aproximação ao estilo visual mais realista. As personagens mostram carisma e no que toca à apresentação, é bem capaz de ser o jogo de LEGO mais apelativo feito até hoje, com uma atenção ao detalhe muito bem conseguida.

Quanto ao áudio, podem contar também com uma banda sonora bastante competente a fazer lembrar filmes de espionagem e policiais recheados de humor e uma série de vozes de qualidade. Além da versão inglesa, existe ainda uma boa tradução em português de Portugal, tanto em voz como em texto.

Como disse no inicio desta análise, LEGO City Undercover é um jogo que podia ter corrido muito mal, mas acaba por ser um dos melhores jogos que podem comprar para a Wii U neste início de vida da consola. Não é nem supera um GTA da Rockstar, mas consegue ser uma excelente aposta dentro género, mesmo sem recorrer a sangue e violência.

Vejam aqui a nossa vídeo-análise de LEGO City Undercover!

Positivo:

  • Um GTA de LEGO muito bem feito
  • Humor
  • Condução de veículos bem conseguida
  • Muito para coleccionar e fazer
  • Boa tradução de legendas e voz para português

Negativo:

  • Loadings
  • Tamanho colossal do jogo em formato digital
  • Ausência de cooperativo local
  • Não podem jogar apenas no Gamepad
Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram