Análise – Langrisser 1 & 2

Considerado por muitos como uma série clássica, Langrisser é um dos JRPG ao estilo táctico que mais fãs pediam para fazer um regresso triunfal. Apesar de não ser um novo jogo, Langrisser 1 & 2 é uma compilação revista e com algumas melhorias que dão um aspecto rejuvnescido aos clássicos.

Tal como o nome indica, Langrisser 1 & 2 inclui os dois primeiros jogos da série, duas relíquias de outros tempos que ajudaram a palmilhar o estilo de JRPG táctico no Japão e até no resto do mundo (América do Norte pelo menos). Infelimente, mesmo com algumas novidades e melhorias, Langrisser 1 & 2 mostram também que o tempo não foi simpático para estes jogos.

Langrisser é muito directo naquilo que toca a história e jogabilidade, as sequências de acção e história são intercaladas directamente e só existe um pequeno espaço pelo caminho onde é possível alterar as características e ataques de cada uma das nossas personagens. Cada combate funciona como que um episódio, dando espaço para mais um pouco de narrativa.

Com o passar dos anos, foram lançados cada vez mais jogos com melhores tramas e personagens bem mais profundos, por isso as duas histórias de Langrisser 1 & 2 andam muito perto do comum cliché dos animes mais básicos. Claro que temos sempre de pensar no contexto cultural e temporal, mas também temos de lembrar que aqueles que não sabem disso vão ficar algo desapontados com a história e como ela é contada.

Além do mais, existem várias narrativas possíveis para viver. Langrisser 1 & 2 permitem tomar decisões que influenciam a história e as personagens que nos acompanham. Isto faz com que abram caminho para novas histórias e conhecer os verdadeiros motivos por detrás de algumas das decisões tomadas por inimigos ou aliados. Isto faz com que exista um pouco mais de profundidade e de longevidade para todos aqueles que quiserem viver todas as hipóteses.

Os combates de Langrisser 1 & 2 recorrem ao clássico sistema de turnos por exercítos, muito ao estilo de Fire Emblem e Valkyria Chronicles, ou seja, primeiro mexemos e atacamos com as nossas personagens e depois é o turno do adversário. Apesar de cada personagem estar agregada a exércitos, Langrisser consegue criar tempos de espera brutais. Mesmo com o jogo a correr bem mais rápido, ter de esperar pelo final do turno dos inimigos pode demorar alguns minutos a acontecer, o que é aborrecido. Atenção, até mim que joguei Valkyiria Chronicles.

Este é o estilo de jogos que requer bastante estratégia e gestão do terreno de combate. É bastante fácil ver os nossos aliados serem dizimados e se não tiverem cuidado com os posicionamentos, podem ficar em desvantagem muito depressa, obrigando a repetir tudo. Há sempre que pensar bem nas tropas que adquirimos no início de cada combate e também onde os vamos posiconar. Este é um dos melhores elementos de cada um dos dois jogos, só é pena que existam sempre tantas personagens para gerir no terreno de combate.

O sistemas de RPG entram em Langrisser 1 & 2 através de evolução das personagens por sistemas e classes. Cada personagem que evoluí fica mais forte, mas também ganha pontos que podemos gastar numa árvore de evolução. Como cada classe anterior deixa as suas marcas, podemos misturar habilidades para tornar cada unidade principal em algo único. Claro que isto trás vantagens e desvantagens, pois cada classe consegue ter vantagem sobre outras, mas perder em combate contra aqueles que levam vantagem sobre o seu estilo.

Como são dois jogos e ainda existe game plus, Langrisser 1 & 2 ainda demoram umas boas horas a acabar, mas nada que chegue perto de outros TRPG mais recentes do género. Existe modo Game Plus, mas não me senti compelido a experimentar.

A nível visual Langrisser 1 & 2 adoptam dois estilos de visual, pois podem escolher entre um o retro, com mapas pixelizados e arte das personagens à moda antiga, ou escolher o visual mais recente com novas imagens também de arte para as personagens. Posso dizer que embora o novo visual dos mapas seja o mais agradável, a nova roupagem faz com que tudo pareça um jogo mobile deslavado, o que não é assim tão bom. De qualquer forma, jogar com a arte antiga e os novos cenários é a melhor opção.

Por fim ainda existe uma boa banda sonora que pode ser ouvida tanto na sua versão clássica, como a mais actual. As vozes são exclusivamente oferecidas em japonês e acabam por se enquadrar bem com os desenhos mais antigos e actuais.

Langrisser 1 & 2 é uma boa forma de trazer para a Euripa dois clássicos do JRPG de estratégia e há mérito em arriscar com dois jogos que já mostram sinais claros de idade. Existem aqui uma série de problemas e limitações que impedem cada um dos jogos de brilhar ou estar dentro daquilo que é exigido nos tempos que correm. De qualquer forma, os verdadeiros saudosistas e fãs do género ainda vão ter aqui umas boas horas de diversão.

00

Positivo:

  • Dois clássicos com novas roupagens
  • Combates com muita estratégia
  • Presença de visual e música clássica
  • Boa banda sonora

Negativo:

  • Visual actual ao estilo Mobile
  • Turnos eternos dos inimigos
  • História já mostra idade

Latest posts by Daniel Silvestre (see all)
Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram