Análise – Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX

A nostalgia é um sentimento bastante forte e bem mais fácil sentir do que explicar. Em qualquer momento na nossa vida, existem acontecimentos, pessoas, locais e coisas que nos marcam ficando guardadas na nossa memória. Isto serve tanto para momentos maus como bons, mas são os bons que merecem ser recordados.

Com a actual enxurrada de colecções HD, muitos conseguiram reviver ou jogar pela primeira vez clássicos de gerações anteriores com uma roupagem nova e algumas modificações. Entre todos estes lançamentos, o de uma colecção de Kingdom Hearts sempre foi a mais requisitada.

Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX chegou finalmente após muito tempo de espera impaciente por parte dos fãs e apesar de ser apenas a primeira parte de uma colecção que ainda será expandida com Kingdom Hearts HD 2.5 ReMIX, existem poucas dúvidas que esta é uma das colecções HD mais fortes lançadas até hoje.

No seu todo, Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX inclui o primeiro Kingdom Hearts na sua versão Final Mix, Kingdom Hearts Re:Chain of Memories (conversão em 3D para a PS2 de Chain of Memories lançado originalmente no GameBoy Advance) e uma versão cinemática de Kingdom Hearts 358/2 Days. Resumindo, os dois primeiros foram concebidos para jogar e o terceiro apenas para ver.

Começando então por Kingdom Hearts Final Mix, este surge nesta colecção de uma forma bem similar ao que temos memória. O jogo é exactamente o mesmo que foi lançado na PS2, embora com algumas novidades e alterações de jogo que nunca chegámos a experimentar, pois a versão Final Mix nunca foi lançada na Europa. As mudanças não são de todo expressivas e não são elas que justificam a quem já terminou o original, uma nova passagem por esta aventura.

O incentivo surge de outra forma, pois por si só, Kingdom Hearts Final Mix incentiva o jogador a repetir a história apenas pela sua qualidade e sentimento de nostalgia, mas não se fica por aqui. A passagem para o HD é realmente sentida e a qualidade de imagem em HD rivaliza facilmente com muitos jogos digitais lançados na PSN ou Xbox Live. O traço está bastante sólido e claro e a definição de imagem dá uma nova vida a este jogo que usa também o poder desta geração para oferecer uma fluidez ainda melhor que antigamente.

Quanto a Kingdom Hearts Re: Chain of Memories, a experiência já foi mais difícil de comparar, pois esta versão nunca foi lançada na Europa e a versão GameBoy Advance é realmente diferente. A qualidade visual deste jogo também está bem próxima da qualidade de Final Mix, embora seja penalizado de certa forma pelos cenários mais claustrofóbicos e lineares que englobam menos detalhe no geral.

Curiosamente, a jogabilidade de Kingdom Hearts Re: Chain of Memories é bastante diferente do primeiro jogo, misturando a movimentação normal pelos cenários com um sistema de cartas que devem ser usadas em combate e/ou para prosseguir no cenário. Confesso que este sistema cativou o meu interesse de imediato, mas a sua utilização acaba por se mostrar cansativa e demasiado tecnicista para combates onde somos rodeados de inimigos e rapidamente ficamos sem cartas e tempo livre para as recarregar.

Kingdom Hearts Re: Chain of Memories acaba por ser uma aposta sólida no geral, mas em nenhum momento chega a ser tão bom como o primeiro, servindo o propósito de contar uma parte da história que tinha sido privada ao longo de todos estes anos dentro do universo dos videojogos à maioria dos jogadores (em tempos acabei por a ler em Manga antes de jogar a versão GBA).

Por fim, temos Kingdom Hearts 358/2 Days, que surge apenas em formato de filme segmentado. Mesmo que já tivesse plena consciência desta decisão, não deixo de ficar de certa forma triste com esta decisão. As cinemáticas apresentam um visual bastante bom e sólido e tirando alguns segmentos escritos, toda ela está narrada ou falada pelas personagens, mas não consegui não imaginar a possibilidade de jogar Kingdom Hearts 358/2 Days com o tratamento HD dos dois restantes.

De qualquer forma para aquilo a que se compromete a fazer, esta versão de 358/2 cumpre o seu objectivo e é bastante agradável de ver ao longo de quase 3 horas de vídeo.

Apesar de muitas outras colectâneas HD serem lançadas com trilogias totalmente jogáveis, não é por isso que Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX tem menos valor. A nível visual esta é certamente a melhor compilação HD lançada até hoje, o tratamento sonoro é de alta qualidade e só peca por não ter grandes extras a nível de menu principal. Uma galeria de imagens ou making-off para cada jogo era bem-vindo.

Sejam fãs de Kingdom Hearts ou simplesmente um jogador interessado na série, então Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX é uma colecção HD que merece o vosso dinheiro. A nostalgia é um elemento muito forte, mas é ainda melhor quando o conteúdo envolvido continua a ser mágico depois de tantos anos.

Positivo:

  • Kingdom Hearts Final Mix é um autentico clássico
  • Excelente conversão para HD
  • Chegada de Final Mix e Re:Chain à Europa
  • Passagem para filme de 358/2 bem realizada

Negativo:

  • Kingdom Hearts 358/2 não jogável
  • Kingdom Hearts Re:Chain não consegue manter a fasquia elevada de Final Mix
  • Compilação podia incluir extras desbloqueáveis para os fãs

Share

You may also like...

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marco Correia

daniel tens ai uma falhar na review. onde diz “muito bom” deveria dizer “excelente” xD

LFO

Excelente, só se o 358/2 fosse jogável 😉

LFO

Já ando há tanto tempo para (re)acabar o 1ro. Mas depois começaram as aulas e deixem de ter tempo :/ Contudo já vou bem perto do fim.

O sistema de cartas faz-me lembrar os gambits do XII, não que tenham a ver um com o outro, mas tem uma complexidade parecida e requer algum tempo e dedicação para se masterizarem. Uma cena muito baril nas cartas do CoM são as combinações entre as cartas, para fazer os spells xpto 😀

MALTA!!! NÃO PASSEM O COM E O DAYS À FRENTE PORQUE NÃO GOSTAM DAS CARTAS E DE SÓ VER OS VÍDEOS. AMBOS SÃO FUNDAMENTAIS PARA PERCEBER A HISTÓRIA DO II, BEM COMO PARA PERCEBER MELHOR O MUNDO KH 😉

Marco Correia

gastar 30/40 euros numa collection só para jogar 1 jogo era estupido

LFO

Já ouvi casos de malta que não iriam passar o CoM por causa do gameplay.

Marco Correia

mas essa malta é zeca e caga nela 😉

Silver4000

Eu joguei o Days pouco antes da Collection ser anunciada, e sinceramente o jogo perde-se a meio, deixa a historia para o lado e a gameplay chega a aborrecer um pouco.
Jà basta o Re:CoM para atasanar as pessoas x)

PS: a Kairi està com ar atrevido na primeira imagem. E o Donald parece que vai ter doce mais tarde x)

Guilhathorn

I’m so gonna buy this…

Kanudo

Ainda hão de explicar-me como é que esperavam que um jogo da DS fosse decentemente jogável na PS3. Sorte já tivemos por se terem dado ao trabalho de terem feito um vídeo para perceber a história.

Daniel Silvestre

Simples, assim como um de GBA foi decentemente jogável na PS2. Agora a sério, não era de todo impossível meter em HD, o sistema de jogo até é similar aos outros KH embora só tivesse um analógico 🙂

Kanudo

É decentemente jogável porque investiram num remake, não foi um mero port do jogo da GBA. Se realmente quisessem, talvez tivessem feito o mesmo com o 358/2 Days mas um remake iria requerer mais trabalho e acho que não ia compensar muito o investimento quando querem apenas fazer uma colecção de ports HD.

DiogoBosingwa

Quando investiram num remake de Chain of Memories veio com o mesmo preço, não saiu em todas as regiões e mesmo assim compensou

Kanudo

Lá por esse remake ter tido sucesso, não significa à partida que o mesmo iria acontecer com um remake do 358/2. A meu ver, o Chain of Memories é muito mais relevante para o enredo da série do que o 358/2 Days, portanto poderia não haver muita gente interessada em adquirir.

Eu sei que era porreiro ter a possibilidade de controlar os membros da Organization XIII, mas como referi no post anterior, o foco está apenas em disponibilizar a história da série de forma a preparar para o Kingdom Hearts 3.

Zephyr

Esqueçaram~se de uma coisa na review, eles não melhoraram apenas os gráficos do Final Mix, a própria jogabilidade está melhorada, pois mesmo no FM da ps2 a camera de jogo ainda era rodada nos R2/L2 e os finishers eram mais uma opção do menu em vez de serem uma opção do triângulo como no KH2.
A primeira pelo menos era a maior falha do primeiro Kingdom Hearts.

Leonsuper

Ando a passar a Collection e ainda vou no KH 1 e só vou jogar o CoM depois, mas até agora estou a gostar muito de relembrar um dos meus jogos preferidos. A remasterização está 5* e o jogo envelheceu bem. Acredito que o re: CoM também seja muito bom, porque se o CoM era fixe, então na Ps2 o jogo tem tudo para ser ainda melhor. Quanto aos vídeos de 358/2 Days só são realmente “uteis” para quem não gosta suficientemente do jogo para o jogar até ao fim, mas gosta demasiado para ir ver um walkthrough ou um resumo da história na net. Mas o menos bom KH na minha opinião e acho que não iria valer a pena fazer um port/remake só para a collection. Não cheguei a terminá-lo, mas informei-me sobre a história na internet e agora vou ver as cutscenes para ficar a conhecer melhor a história do jogo.

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram
15
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x