Análise – DanMachi: Infinite Combate

  • Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch, PC
  • Versão de Análise: PlayStation 4
  • Informação Adicional: Imagens e vídeo capturados durante as sessões de jogo.

Caso sejam visitantes frequentes do nosso site então já devem saber que sou um grande fã da série “Is It Wrong to Try to Pick Up Girls in a Dungeon?(DanMachi para os amigos). Posso estar um pouco descontente com as adaptações anime mas considero o material original como uma das melhores séries de fantasia actuais.

Obviamente que fiquei um pouco interessado no que um videojogo baseado na série poderia oferecer, tendo acompanhado os longos adiamentos que ia recebendo até finalmente este ver a luz do dia. O resultado final saiu tal como já suspeitava, o que me levou a perguntar então para que serviu tanto adiamento se o que nos é apresentado é um jogo bastante básico e que podia ter feito muito mais.

Logo no início do jogo somos atirados para o “menu principal” que serve como base de operações. Neste menu temos a opção de aceder a sub menus de venda de equipamento, aumento das estatísticas do jogador, aceitar missões e muito pouco mais. É uma apresentação bastante simplista e que não deixa uma boa impressão inicial sobre o que nos espera.

O jogo fica então dividido em duas secções, a parte visual novel onde a história nos é entregue, e a parte da jogabilidade que deixa imenso a desejar. A história é baseada na primeira temporada anime da série juntamente com parte do seu spin-off “Sword Oratoria” que decorre ao mesmo tempo.

A presentação é feita num formato visual novel que reconta os eventos da primeira temporada do anime onde Bell é o nosso protagonista com alguns segmentos de Sword Oratoria que reflectem a perspectiva de Aiz sobre a história principal. A maneira como a transição de uma perspectiva para a outra até que foi bem feita tendo em conta que a história de Aiz conta com outro conteúdo que não está completamente ligado à aventura de Bell.

Os desenhos das personagens nestes momentos bem que podiam ter mais variedade pois a maneira como estão e a história que por vezes está a decorrer dá a impressão de as personagens estarem rígidas. Já as CGs por vezes parecem ser capturadas do anime enquanto que outras foram claramente desenhadas para o jogo, mas no geral estes momentos de história podiam ter um pouco mais de cuidado, em especial devido a uns quantos gafes que estão presentes.

Em relação à jogabilidade, esta não tem muito para oferecer. Com o menu principal o jogador tem acesso às lojas, pode aceitar quests ou continuar com a história principal. Saltando o formato de visual novel à frente, a jogabilidade é feita com uma vista aérea e as personagens num formato chibi.

O combate não tem muito mais para além de um ataque leve, pesado e de magia, adicionando a habilidade para se esquivar e dois ataques suporte. O jogador controla Bell ou Aiz, não havendo personagens adicionais ou que acompanhem o jogador durante o seu percurso pela Dungeon. Infelizmente o combate podia fazer uso de mais variedade ou mecânicas para evitar que fosse tão monótono.

A parte principal do jogo não tem grande duração, focando-se apenas na primeira temporada do anime e com um pacing bastante rápido. Após completarem a história desbloqueiam dois novos modos extra, um onde podem explorar a dungeon que é gerada processualmente e uma espécie de dating sim onde o jogador pode passar o tempo a aumentar a afeição de outras personagens tanto como Bell ou como Aiz. Caso o jogo estivesse organizado de uma melhor forma, estes modos podiam estar disponíveis desde o início para adicionar algumas mecânicas extra ao mesmo

No fundo o jogo estava ao nível das minhas expectativas, o problemas é que as minhas expectativas não eram boas, e algo que podia ter sido uma grande adaptação de uma das melhores séries de fantasia do momento acaba por ser um dos piores jogos anime lado a lado com a maioria dos jogos anime da Bandai Namco.

Todas estas ondas de adiamento ao menos davam a ideia de que o jogo estava a ser trabalhado e tratado com cuidado, mas olhando para o resultado final acabo por perguntar qual é que foi o problema pois isto não parece ser uma qualidade saída de vários adiamentos, ou talvez isso fosse um sinal que desde o início houve problemas.

Positivo:

  • De certa forma pode funcionar como introdução ou recapitulação do anime

Negativo:

  • Jogabilidade bastante simples
  • É baseado no anime
  • Apenas adapta a primeira temporada do anime

Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram