Top 5 dos Melhores Filmes Realizados por Senhoras – Especial Dia Internacional da Mulher

Para assinalar o Dia Internacional da Mulher, o PróximoNível elabora o Top 5 dos Melhores Filmes Realizados por Senhoras.

Desde sempre a Sétima Arte tem sido dominada pelo sexo masculino, se por um lado podemos considerar mais ou menos “normal” os homens nutrirem especial dedicação pelo domínio das “geringonças técnicas”, é de estranhar os poucos casos de sucesso no ramo da realização. Afinal, é uma questão de sensibilidade estética e de narrativa visual.

Na história do cinema, a profissão privilegiada no mundo cinematográfico pelo sexo feminino (para além da produção) era a montagem. Quando os filmes ainda estavam sobre a lei da pelicula, a grande maioria das operadoras da moviola (máquina de montagem da pelicula) eram senhoras. Apesar da valência e do profissionalismo, esta curiosidade possui um fundamento sexista, para montar a pelicula implicava corte e costura. Mas a verdade é que a sensibilidade feminina foi fundamental para o avanço do cinema.

Hoje em dia o acesso às profissões no ramo cinematográfico está democratizado, e apesar da escassez de senhoras sentadas na cadeira do director, há casos de sucesso e trabalhos fantásticos elaborados por senhoras. Para este top não foram considerados filmes realizados em parelha (senhor e senhora), nomeadamente Shrek (realizado por Andrew Adamson e Vicky Jenson), Litle Miss Sunshine (realizado por Jonathan Dayton e Valerie Faris) ou A Cidade de Deus (realizado por Fernando Meirelles e Kátia Lund), nem foi considerado Cloud Atlas (Lana Wachowski nem sempre foi Lana).

Aqui fica o Top 5 dos Melhores Filmes Realizados por Senhoras

 

5º Lugar Big

Foi graças a Penny Marshall que Tom Hanks revelou-se ao mundo como um actor capaz de enfrentar qualquer desafio, chegando mesmo a ser nomeado para um Óscar pelo desempenho em Big (o actor ainda nem sonhava com Filadélfia e Forrest Gump). O filme de 1988 conta a história de um adolescente que pede um desejo a uma máquina mágica para tornar-se adulto. O desejo concretiza-se e a aventura começa. Big foi o trabalho de maior relevo na carreira de Penny Marshall, porém a actriz/realizadora ainda trabalha e o projecto mais recente é United States of Tara.

 

4º Lugar The Piano

Mais um filme que mereceu atenção da Academia de Hollywood. The Piano de 1993 esteve nomeado para os Óscares, levando Jane Campion para um patamar de reconhecimento e respeito. O elenco contava com Holly Hunter, Harvey Keitel, Sam Neill e uma jovem Anna Paquin, juntos interpretaram a história de uma mãe e uma filha que deixam a cidade natal para respeitar um casamento por compromisso. The Piano explora os abusos masculinos e o trinfo do amor. A realizadora neozelandesa ainda continua a realizar, Bright Star e In the Cut são os trabalhos mais recentes.

 

3º Lugar The Kids Are All Right

Lisa Cholodenko realizou um dos filmes mais hilariante dos últimos anos. A realizadora, que já nos tinha trazido High Art, Laurel Canyon e Cavedweller, elaborou uma comédia/drama acerca de um casal de lésbicas que conhece o pai biológico dos filhos proveta. O filme conta com um elenco de notáveis: Julianne Moore, Annette Bening Mark Ruffalo, Mia Wasikowska e Josh Hutcherson, e esteve nomeado para os Óscares.

 

2º Lugar Lost in Translation

Na prática está no sangue. Sofia Coppola, filha de Francis Ford Coppola (autor da trilogia de O Padrinho), escreveu e realizou um dos filmes mais aguçados dos últimos 15 anos. Bill Murray transcende-se na pele de Bob Harris, interpreta um actor que vê-se em terras nipónicas a trabalho, e que atravessa uma crise de meia-idade cujas regras vão mudar quando conhecer Charlotte (interpretada por Scarlett Johansson). Sofia Coppola continua a escrever e a realizar, The Bling Ring (com Emma Watson) estreia em Junho deste ano e é o mais recente trabalho da realizadora.

 

1º Lugar The Hurt Locker  

Era por demais evidente o primeiro lugar, Zero Dark Thirty e Point Break também seriam apostas válidas para este top, por isso, o que dizer de Kathryn Bigelow que ainda não foi dito? A realizadora americana é dos maiores talentos do cinema contemporâneo, o trabalho desenvolvido em The Hurt Locker é de uma qualidade extraordinária, Kathryn Bigelow compreendeu a adrenalina da guerra melhor do que qualquer membro do sexo masculino, proporcionando uma visão crua e paralela da realidade dos soldados americanos, sujeitos a cenários de alta pressão. Kathryn Bigelow falhou a nomeação para o Óscar de Melhor Realizadora este ano, mas acredito que todos os trabalhos desenvolvidos pela realizadora serão sempre considerados pela Academia.

Share

You may also like...