Análise – The Caligula Effect Overdose

Ainda não faz muito tempo, tive a hipótese de analisar The Legend of Heroes, um jogo com muitas semelhanças a séries como Persona e Valkyria Chronicles, embora um pouco mais virado para a relação entre personagens. Curiosamente e tal como The Caligula Effect, ambos foram lançados originalmente na PS Vita,…

Análise – Hellboy

Hellboy não é nenhum novato no que toca a aparecer no grande ecrã. Há alguns anos atrás, a série foi alvo de uma adaptação que foi até relativamente bem recebida, havendo espaço para serem criados dois filmes, Hellboy e Hellboy II: The Golden Army. Isso decorreu há quase 10 anos…

Análise – One Piece World Seeker

Com todo o sucesso já alcançado ao longo de vários anos de emissão e centenas de mangas, One Piece será provavelmente a série de animação japonesa com mais espaço e conteúdo para dar origem a alguns dos jogos mais épicos que seriam possíveis de imaginar. Curiosamente, mesmo depois de várias…

Análise – Sekiro Shadows Die Twice

Vindo dos estúdios que nos fizeram morrer milhares de vezes com Demon Souls, Dark Souls e Bloodborne, Sekiro Shadows Die Twice é ao mesmo tempo uma aventura totalmente nova é uma viagem altamente familiar. No entanto, as diferenças que parecem pequenas a início, acabam por ditar que este universo consegue…

Análise – Jump Force

Ter jogos que misturam personagens de vários universos é algo que deixou de ser uma raridade. Nos tempos que correm, ter um cross over com Tekken e Walking Dead é tão natural como Solid Snake e Super Mario à pancada com a Bayonetta ou ter as personagens de Virtua Fighter…

Análise – Anthem

Vindo dos meus estúdios que criaram Mass Effect e Dragon Age, Anthem tinha muito para provar, especialmente numa era em que a EA é claramente alvo de quase todo o mal dizer que paira dentro da indústria dos videojogos. Claramente motivados pelo sistema de Live Service e com Destiny como…

Análise – Dead or Alive 6

A minha primeira experiência com Dead or Alive foi na velha PS2 na altura de lançamento de Dead or Alive 2. Para a altura, este era um jogo de luta bastante à frente do seu tempo e com um ritmo invejável para o género. Dentro do universo de jogos de…

Análise – Devil May Cry 5

A Capcom parece estar a remar numa maré de revivalismo e aceitação. Depois de uma primeira fase estranha nesta geração e algumas práticas estranhas na anterior, foi com jogos como Resident Evil 7, Monster Hunter World e Resident Evil 2 que a companhia parece ter percebido o que os jogadores…

Análise – Dirt Rally 2.0

Quando Dirt Rally chegou há alguns anos para análise, fui totalmente arrebatado com a qualidade e trabalho que foi empregue neste projecto único da Codemasters. Ao contrário de coisas anteriores como Dirt Showdown e até o próprio Dirt (apenas), pareciam coisas mais leves ao pé dele. Quando Dirt Rally 2.0…

Análise – Kingdom Hearts 3

Apesar de ter estado vários anos em desenvolvimento, não foi pela ausência de Kingdom Hearts 3 que a série esteve desaparecida. Pelo caminho, foram lançados imensos jogos que contavam coisas adicionais sobre a história dos vários Keyblade Wielders. Curiosamente, todos estes jogos estavam ligados e para perceber tudo (ou tentar)…

Análise – Carcassonne [Nintendo Switch]

Com o formato simples de transporte e transformável da Nintendo Switch, existe aqui muito espaço para que surjam jogos fora do convencional a que já estamos habituados a ver nas consolas. Uma das vertentes possíveis e com espaço para explorar são os jogos de tabuleiro. Sempre prontos a entrar nesta…

Análise – Battle Princess Madelyn

Battle Princess Madelyn é um daqueles jogos que me chamou a atenção, não por estar nas bocas do mundo ou “escarrapachado” em sites e redes sociais, mas sim através da minha caixa de correio, tendo chegado até mim em vários Press Releases que não dei muita atenção, até um determinado…

Análise – Super Smash Bros Ultimate

Ano novo, jogos novos. No entanto, existem sempre algumas pontas soltas do ano anterior que precisam de ser atadas e uma das maiores era claramente Super Smash Bros Ultimate, o derradeiro jogo da Nintendo Switch para 2018 que chegou com impacto, fazendo até parte da minha lista de jogos do…

Análise – Subnautica

Com a expansão recorrente da oferta em jogos de sobrevivência, é de esperar que a maioria dos jogos do género comece a tentar explorar o estilo através de conceitos diferentes. Depois de ter jogado o “fantástico” Ark na Nintendo Switch, jogar a versão PS4 de Subnautica pareceu uma verdadeira lufada…

Análise – Playstation Classic

Se há algo que a recente cadeia de consolas retro acabam por comprovar uma vez mais é que a nostalgia é uma força avassaladora. Cada uma das consolas clássicas tem vindo a bater recordes e não parece haver previsão de que venha a parar nos próximos tempos. A nova entidade…

Análise – Tetris Effect

Quando a uma hora tardia de 2018 me pergunto porque motivo é que estou a jogar Tetris até a vista ficar cansada com o sono, é porque existe certamente algo de novo no mundo de Tetris que me fez regressar aos bons velhos tempos em que o joguei pela primeira…