Quem é: Shigesato Itoi?

shigesato-itoi-1-pn

Dou desta forma aberta a rubrica “Quem é?” e que basicamente visa dar a conhecer alguns dos produtores responsáveis por grandes títulos da indústria dos videojogos ou de outros títulos mais obscuros.

Escolho então Shigesato Itoi, um produtor responsável pela série Earthbound/Mother que tem uma história bastante interessante sendo ele conhecido no Japão por outras paragens sem ser os videojogos.

earthbound-beginnings-rev-1-pn

Nascido a 10 de Novembro de 1948, Itoi tornou-se numa personalidade bastante conhecida no Japão graças às suas pequenas histórias, livros e até publicidades através de slogans. Itoi sempre teve uma grande admiração pela literatura durante a escola e isso acabou transparecer nos seus primeiros anos.

Apesar de ser uma pessoa bastante conhecida dentro do universo da Nintendo, o produtor nipónico não enveredou muito mais longe da série Mother/Earthbound que lhe dá o merecido mérito. Shigesato Itoi no Bass Tsuri No.1 da SNES e Nintendo 64 foi outro título que produziu e que não foi lançado para além do Japão, mas foi dentro do universo RPG que ficou conhecido.

earthbound-rev-4-pn

Retirando um pouco de experiências pessoais que teve enquanto criança, Mother foi criado e lançado no Japão para a Famicom e basicamente retratava a aventura de uma criança que partia para uma aventura que parecia tirada a imaginação da mesma. Este tipo de abordagem ficou assente até em Mother 2/Earthbound e Mother 3.

Ambientes muito coloridos, inimigos engraçados e personagens de encher o coração eram os ingredientes para esta série RPG que as aventuras por terras épicas e personagens que tinham mais aparência de cavaleiros em zonas místicas.

shigesato-itoi-3-pn

Depois do sucesso da série, Itoi retirou-se da produção de videojogos e veio a público afirmar que não fará Mother 4, mas que ficará muito interessado em jogar caso seja feito por outras pessoas. Neste momento o japonês encontra-se mais ocupado a tratar da sua página/blog pessoal.

Análise – Earthbound Beginnings
Análise – Earthbound

Share

You may also like...