PróximoNível Jukebox #39 – Phoenix Wright: Ace Attorney – Dual Destinies

PNJ-jukebox-phoenix-wright-ace-attorney-dual-destinies-pn

Bem-vindos ao PróximoNível Jukebox e eu estou bem!

Desculpem, fico sempre um pouco nervoso antes de um julgamento. Mas tenho que manter a postura, um advogado tem que sorrir mesmo nas piores situações.

O tribunal está agora em sessão. Erguei-vos!

Vamos iniciar o julgamento de Phoenix Wright: Ace Attorney – Dual Destinies (que nome comprido) que está acusado de ter uma banda sonora mediócre, o que é completamente o oposto da realidade. A série Ace Attorney sempre teve um leque de músicas memoráveis desde o primeiro jogo no Game Boy Advance, e agora com a qualidade de som superior da Nintendo 3DS, podemos ouvir faixas musicais mais elaboradas.

Vou começar logo ao ataque e demonstrar a minha primeira prova.

Dual Destinies marca o regresso de Phoenix Wright às salas de tribunal após a sua ausência em Apollo Justice: Ace Attorney, onde passou a maioria do tempo a jogar póker e a tocar piano (ele é péssimo numa destas actividades). Desta vez, o sistema jurídico está a passar por um período de corrupção, a chamada “idade das trevas da lei“.

Para quem já joga Ace Attorney há algum tempo, isto não parece nada de novo. Não é a primeira vez que lidamos com provas falsas e indivíduos corruptos com posições de alto nível. Mas as coisas parecem tão más que até colocam advogados de acusação condenados a exercer o seu cargo em tribunal. E com aves de rapina à solta!

Felizmente, Phoenix Wright não vai estar sozinho nesta jornada, contando com a ajuda de Apollo Justice, ou Paulito Justicia como gosto de o chamar, e Athena Cykes. Apesar de ser uma novata, Athena é uma excelente adição ao escritório de advocacia/agência de talentos Wright, demonstrando ser mais do que uma simples suplente da Maya Fey.

Cada um com o seu poder especial, estes advogados parecem quase super-heróis. O Paulito consegue focar-se nos tiques nervosos das outras pessoas com a ajuda da sua pulseira e descobrir quando estão a mentir, a Athena utiliza o seu conhecimento em psicologia analítica para detectar emoções subtis nas vozes das testemunhas, e o Phoenix faz bluff. Muito, muito bluff. Mas continua com a melhor pose quando solta um valente “Objection!

Dual Destinies introduziu diversas novidades à série, várias delas que já devia ter sido adicionadas mais cedo. Pela primeira vez, Ace Attorney chega à 3ª dimensão e a transição foi feita com sucesso. Leva algo tempo a habituar-nos, mas mantém o charme dos sprites e as animações estão ainda melhores.

Desta vez o jogo orienta-nos melhor pelo caminho certo, evitando tantos momentos mortos como nos jogos anteriores, onde andávamos de um lado para outro sem saber o que fazer. E finalmente podemos gravar o nosso progresso sem ter que sair para o menu inicial.

Phoenix Wright: Ace Attorney – Dual Destinies está disponível para a 3DS e iOS. Após cruzar caminho com o professor Layton, o próximo Ace Attorney vai recuar para perto do fim da Era Meiji em The Great Ace Attorney, onde seguimos a história de um antepassado de Phoenix Wright.

O jogo vai ser lançado no Japão em Julho e ainda não tem lançamento confirmado para a Europa. Mesmo que o jogo acabe por vir apenas em formato digital como o Dual Destinies, eu espero que a Capcom tenha ainda algum juízo e confirma o lançamento por cá já nesta E3.

Gostaram das músicas? Têm alguma objecção? Qual é o vosso Ace Attorney favorito? Não se esqueçam de comentar e não percam o próximo PN Jukebox que vai começar a trazer bandas sonoras fora da área dos videojogos.

Sérgio Batista

Membro do PróximoNível desde 2015. Tira fotos em demasia durante os eventos.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Share

You may also like...