PróximoNível: Jogos do Ano 2015 – As escolhas do Daniel Silvestre

jogos-do-ano-2015-destaque-pn

Mais um dia e eis que chega uma nova selecção de jogos do ano do PróximoNível. Desta vez, sou eu a enumerar os meus jogos favoritos deste ano.

Não se esqueçam, esta lista vai fazer parte dos resultados finais onde até vocês vão poder votar!

Eis a minha equipa para este ano (carreguem no nome do jogo para ler a nossa análise):

guitar-hero-live-mais-musicas-semana-3-pn-n

10 – Guitar Hero Live

O meu último lugar não é dado a um jogo que seja um dos melhores do ano, mas sim a um grande exemplo de como um bom tempo de espera acaba por trazer novas ideias a um jogo já velho.
Guitar Hero Live é divertido, recheado de conteúdo e de certa forma, inovador, seja para jogar sozinho ou para juntar os amigos à volta da consola. Um regresso muito bom.

mario-and-luigi-paper-jam-bros-analise-review-pn-n-top

09 – Mario & Luigi: Paper Jam Bros.

Eu sei que sou um grande fã de RPG e esta lista promete estar cheia deles, mas era impossível deixar de fora Mario & Luigi: Paper Jam Bros. O regresso dos irmãos ao sistema de RPG é um dos melhores até à data e reúne alguns momentos de diálogo extremamente divertidos. Um dos grandes RPG do ano, destinado a quem gosta e não gosta do género.

hyperdevotion-noire-godess-black-heart-analise-review-pn-n_00053

08 – Hyperdevotion Noire: Goddess Black Heart

Quem diria que ia dar um dos lugares do top a um jogo de Hyperdimension. Neste caso, Hyperdevotion conseguiu apanhar-me totalmente de surpresa, oferecendo um jogo divertido, cheio e humor e com um sistema por turnos muito bem construído.

the-legend-of-zelda-triforce-heroes-jogabilidade-video-pn-n

07 – The Legend of Zelda Tri Force Heroes

Estava mais que confirmado que era possível criar um modo multijogador em The Legend of Zelda, no entanto, Tri Force Heroes é o melhor exemplo disso mesmo. Com até 3 jogadores que podem usar o mesmo cartão, este é um jogo que se torna imediatamente apelativo e viciante. Uma grande surpresa.

xenoblade_chronicles_x_nintendo_eshop_pn

06 – Xenoblade Chronicles X

E aqui está mais um JRPG, desta vez, da Wii U. Xenoblade Chronicles X era um dos jogos mais aguardados do ano e com boas razões. O mundo aberto, grandiosidade e conteúdo, fazem deles um dos melhores JRPG que podem comprar este ano.

tales-of-zestiria-analise-review-pn-n_00011

05 – Tales of Zestiria

JPRG de qualidade? Aqui está mais um deles. Tales of Xillia já tinha sido bom, mas Zestiria não se fica atrás. Este é um dos melhores jogos da saga e uma aventura que retêm qualidade suficiente para ser um dos meus jogos favoritos do ano.

monster-hunter-4-ultimate-analise-review-pn-n_00011

04 – Monster Hunter 4 Ultimate

Falando em multijogador, a Nintendo 3DS volta a aparecer com Monster Hunter 4 Ultimate, a nova edição inclui modo online, toneladas de DLC gratuito e muito para fazer. Mesmo que tenha sido lançado no início do ano, ainda é possível encontrar pessoas a jogar e evoluir as personagens, o que comprova a qualidade.

metal-gear-solid-v-5-the-phantom-pain-ana-00-pn

03 – Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

A dor é real, mas a partida de Hideo Kojima da Konami foi marcada por um final de saga bastante bom. Metal Gear Solid 5: The Phantom Pain é tudo aquilo que se esperava dele, mesmo com toda a pressão que pairava em seu redor. A mestria é dominante e os heroís acabam sempre por vencer os vilões, mesmo que acabem por se tornar num.

the-witcher-3-wild-hunt-analise-review-pn-n_00053

02 – The Witcher 3: Wild Hunt

Seja de cor ou estilo diferente, este foi o ano dos grandes RPG. O último representante da vaga ocidental é The Witcher 3: Wild Hunt. Uma verdadeira carta de amor para os fãs do género e um dos jogos mais vastos do estilo lançado até hoje. Ajudado vastamente pelo estatuto e posição do estúdio, The Witcher 3 só precisava de ser bom…e foi…ainda melhor que o esperado.

bloodborne-analise-review-pn-n_00057

01 – Bloodborne

E aqui está ele, o meu jogo favorito de 2015 e o que me deu mais prazer a jogar e terminar, mais que uma vez.
Bloodborne é tudo aquilo que seria de esperar do estúdio de Dark Souls, no entanto, conseguiram dar um tema e até jogabilidade diferente ao género que ajudaram a criar. Isto resulta num dos jogos mais completos e desafiantes do ano, que não nos sai da cabeça e nos deixa totalmente investidos. Se gostam de bons jogos e grandes desafios, Bloodborne é altamemte recomendado.

 

Não percam os próximos Jogos do ano da equipa do PróximoNível assim como a votação da comunidade muito em breve.

 

Daniel Silvestre
Latest posts by Daniel Silvestre (see all)
Share

You may also like...

error

Sigam-nos para todas as novidades!

YouTube
Instagram