PN Jukebox #91 – Sonic Heroes

Já que no PN Jukebox anterior falei sobre um dos primeiros jogos que recebi com a minha PlayStation 2 decidi continuar com a ideia e destacar outro jogo que também marcou presença na minha entrada para um nova geração.

Hoje em dia Sonic Heroes é um dos jogos menos falados da série, sendo esquecido por muitos. Mas aqueles que tiveram a oportunidade de o jogar continuam a lembrar-se do jogo como uma boa entrada para a franquia.

[Sonic Heroes]

Eu já conhecia Sonic na altura, e também sabia quem Tails e Knuckles eram, juntamente com uma ou outra personagem. No entanto acabei por encontrar caras novas do mundo de Sonic neste jogo, tal como aconteceu com várias outras pessoas pois para além de um jogo onde marcaram presença a Team Chaotix não apareceu em mais nenhum até regressarem em Sonic Heroes.

A Team Chaotix bem que acabou por destacar-se dos outros grupos. Tanto as suas personalidades como história eram um pouco menos sérias, com este trio a pertencer a uma pequena agência de detectives formada pelos mesmos e com estes a fazerem parte de uma banda. O que mais podia pedir deste trio desconhecido?

[Seaside Hill]

A maneira em como o jogo estava organizado era simples; quatro equipas de três, com uma personagem focada em velocidade, outra em voar e a terceira em força; a Team Sonic e Team Dark eram semelhantes em termos de progresso, com a Team Dark a ser um pouco mais difícil que as outras (daquilo que me lembro), e a Team Rose e Team Chaotix eram o outro duo. A Team Rose ainda era semelhante ao que era feito com as outras duas mas era muito mais fácil em comparação, enquanto que a Team Chaotix ao invés de ir até ao final de um nível como as outras tinha de completar missões para poder avançar.

Tal como é natural em jogos da série Sonic, havia também os níveis bónus onde era possível apanhar as esmeraldas que desbloqueavam um nível secreto após completarem o jogo com as quatro equipas. Lembro-me de as últimas três esmeraldas serem um inferno para apanhar, mas quando já só me faltava uma e eu estava todo preparado para finalmente concluir tudo, eis que o meu irmão apagou os dados que tinha guardado no cartão de memória… não me lembro de ter voltado a dar-me ao trabalho de fazer tudo novamente.

[Sea Gate]

Algo que este jogo continha, e que vários jogos na altura tinham ao contrário de hoje em dia, era um modo splitscreen. Dois jogadores podiam participar numa batalha um contra o outro ou então fazer uma corrida até ao final de cada nível, algo que costumava fazer com um amigo. Lembro-me de o nível do casino ter uma secção pinball onde se o jogador tivesse a habilidade podia fazer com que as personagens fossem direitas para a meta, saltando assim a parte final chata do mesmo nível, algo que eu acabava sempre por fazer.

Continuo a achar que Sonic Heroes é um bom jogo e gostaria de ver novamente algo baseado neste universo com a mesma jogabilidade (ou melhorada, não iria reclamar se fosse esse o caso). Isto se excluirmos Shadow the Hedgehog que apenas foi criado porque este jogo teve algum sucesso e era uma espécie de sequela mas focada em Shadow, e todos sabem como isso terminou.

 

É pena que a maioria dos fãs apenas insiste nos jogos 2D, pois sempre gostei de quando a Sega explorava coisas novas, embora honestamente podia fazer um melhor trabalho. Mas pode ser que um dia a Sega olhe para Sonic Heroes e tenha novamente a inspiração para fazer algo semelhante.

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Share

You may also like...