O que jogaram durante o mês de Dezembro?

E cá estamos nós no último mês de 2017. Foi certamente um mês mais calmo em comparação aos anteriores, o que não é propriamente mau porque dá a oportunidade de pegar em alguns títulos deste ano que ainda não tinham sido jogados.

Para mim, Dezembro foi marcado por jogos mobile, e não estou a falar daqueles free-to-play chatos cheios de microtransações e anúncios. Estou a falar daqueles jogos que se compram mesmo e que valem a pena experimentar, principalmente se estiverem em desconto, como Monument Valley, Hitman GO, Data Wing (este é grátis mas é catita na mesma) e Reigns.

Na PlayStation 4, tive a EXCELENTE ideia de jogar o primeiro Knack em difícil, e foi sem dúvida uma experiência muito, muito, mas mesmo muito, muito frustrante. Felizmente joguei outras coisas melhores na consola, como Uncharted 4: A Thief’s End, War of the Monsters e PaRappa The Rapper Remastered (o 4º stage pode ir para um sítio que eu cá sei).

No PC, cheguei a arranjar o Okami HD (fanboy), mas fiquei um pouco desiludido com o port. O meu comando não é reconhecido, a draw distance podia ter sido melhorada, e ainda não é possível fazer skip à cutscene inicial do jogo. Mas quanto a lançamentos relevantes deste mês, finalmente tivemos o lançamento de Finding Paradise, a continuação de To the Moon. Apesar de não alterar muito a fórmula, a Freebird Games continua a oferecer uma história envolvente e personagens carismáticas.

Na Nintendo 3DS, desmotivei-me um pouco com o Monster Hunter Stories e decidi começar a jogar Metroid: Samus Returns. Ainda não avancei muito, mas já provou ser um título que a série estava a precisar há anos. Espero continuar a ver mais da Samus Aran num futuro próximo.

Então e vocês? O que jogaram durante o último mês de 2017?

Sérgio Batista

Membro do PróximoNível desde 2015. Tira fotos em demasia durante os eventos.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Sérgio Batista

Membro do PróximoNível desde 2015. Tira fotos em demasia durante os eventos.
  • Silver4000

    Psychonauts, bom jogo de plataforma que faz uso do seu tema de poderes psíquicos, e a comédia foi excelente (coisa que espero que continue em ponto na sequela visto que por vezes algumas piadas podiam ser demais).

    Fate/Extella The Umbral Star. Provavelmente o melhor Musou que joguei em termos de jogabilidade, e até tem várias coisas adicionais por fazer que infelizmente faz uso dos mesmos cenários que se encontra na história. Só tinha jogado um pouco no início do mês mas agora voltei a pegar nele e até que o podia ter metido nos GOTYs…

  • Ruben Miguel

    acabei o ffxv jogeui fifa 18 e o fortnite para aziar