O meu problema com a Tokyo Game Show

tokyo-game-show-oh-japan-girl-is-akward-pn-n

Estamos novamente na época da Tokyo Game Show, e mais uma vez vem uma torrente de novidades, trailers, e livestreams. É claro que a TGS é um dos eventos de videojogos mais esperado todos os anos por vários jogadores, contando sempre com mais novidades sobre jogos que estamos à espera, e por vezes uma pequena surpresa que acabou por não ser revelada na E3 ou Gamescon, mas principalmente E3.

Mas isso é tudo só coisas boas não é? Até é, o problema é mesmo estar a par com a informação toda. Os trailers que vão saindo aqui e ali fora das conferências ainda se conseguem encontrar, o mesmo para os que são apresentados dentro de conferências, esses são ainda mais fáceis. No que toca a novidades, a maior parte é sempre entrega em conferências, por isso não existe problema, certo? Como assim está tudo em Japonês? Mas um terço das pessoas a ver não percebem. Hm? Ir procurar a sites de notícias que tenham pessoas que saibam Japonês? Ok…

E finalmente o grande problema que eu tenho com a Tokyo Game Show, as livestreams, sendo que a razão é bastante simples. Diga-mos que no primeiro dia não existe nada, ou pelo menos a horas decentes para quem vive na Europa, e por isso acaba por haver uma livestream de uma companhia conhecida ou coisa do género. Mas antes disso, onde ver a stream? Normalmente está sempre tudo disponível no Nico Nico Douga, os mais curiosos apenas tem que se inscrever neste “Youtube Japonês”, mas em algumas conferências de certas companhias a livestream acaba por ter uma versão Youtube e até Twitch.

tokyo-game-show-oh-japan-girl-is-like-seriously-pn-n

Dito isto, o que acaba por ser mesmo o meu problema? Excluindo o facto de algumas conferências não terem livestreams (que também acontece na E3), o primeiro ponto será o facto de alguns sites de videojogos não indicarem as livestreams das “coisas mais Japonesas”, o segundo e mais importante ponto deve-se à maior parte das livestreams terem a duração de 5 a 7 horas. Sim, não importa muito se a stream da Dengeki Bunko e da Famitsu dura quase meio dia, o problema é de isso tudo dar ao mesmo tempo.

Se for a dar um exemplo mais recente então terei que falar da Tokyo Game Show do ano passado, onde ao acordar às 7 ou 8 da manhã, haviam 3 streams a dar ao mesmo tempo, Dengeki, Famitsu e Capcom com um especial de Dragons Dogma. Logo tive 3 janelas abertas e distribuídas pelo único ecrã do meu computador a tentar ver as novidades mais importantes, enquanto ia mudando o volume entre streams, metendo a mais interessante com um volume mais alto, e à procura de mais notícias que tivesse perdido durante a noite, tanto para minha informação como para o site.

A duração destas conferência acaba por ser um exagero, tendo em conta que existe mais do que uma a dar ao mesmo tempo. Felizmente sai sempre uma lista do que está programado para estas streams e TGS em geral, sendo que então apenas basta ver o nome dos jogos presentes e os planos para os mesmos, como trailers, nova informação, etc. E o resto do trabalho acaba por ser pescar pelas notícias aqui e ali, acabando finalmente por me informar sobre a maioria das novidades que este evento oferece.

Tudo isto para explicar a razão de pelo menos não haver um artigo geral sobre a TGS por minha parte, já que não é possível estar a acompanhar tudo para meter tudo actualizado, o que não quer dizer que não tenha uma lista preparada com as mais recentes novidades para as notícias do dia.

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.