Metro: Last Light foi criado em más condições de trabalho

Metro: Last Light pode parecer um jogo de topo com um grande orçamento como suporte, mas a verdade é bem diferente.

Segundo um artigo publicado pelo Gamesindustry, a 4A Games desenvolveu Metro: Last Light em péssimas condições de trabalho nos seus estúdios na Ucrânia. As informações que se seguem foram fornecidas pelo último CEO da THQ, Jason Rubin.

“Vamos ser honestos: a 4A nunca jogou num terreno equilibrado. O orçamento do Last Light foi menor do que alguma competição gasta em cinemáticas, uns meros 10% do orçamento da competição directa. No entanto é de louvar a história e atmosfera. Foi construído num motor de jogo original e proprietário de segunda geração que compete com sequelas que deixaram de ter números, com mais engenheiros na equipa técnica do que a 4A em todo o projecto.”

“A isto podem juntar as más condições do estúdio em que a equipa trabalha em Kiev na Ucrânia. Todo o estúdio da 4A cabe no ginásio da EA Los Angeles. No entanto o Metro: Last Light destrói o Medal of Honor Warfighter no Metacritic. Por muito fantástico que seja o Bioshock Infinite, a equipa teve todos os recursos que precisavam. Entretanto, a equipa da 4A sentava-se em cadeiras desdobráveis, quase uns em cima dos outros num cenário a fazer lembrar mais a cafetaria de uma escola do que um estúdio de desenvolvimento.”

Além das condições, Rubin elaborou ainda que era impossível equipar os estúdios com condições decentes devido ao espaço ou às alfandegas corruptas do país. Em várias situações, a equipa esteve sem luz durante vários dias e por vezes sem aquecimento frente a baixas temperaturas.

Ao que parece, nem todo o dinheiro do mundo é necessário para fazer um grande jogo, e as primeiras impressões apontam para que Metro: Last Light seja um deles.

“Se a 4A tivesse um orçamento mais competitivo, num ambiente normal, não tivesse gasto mais de um ano a correr atrás dos requisitos irracionais originais da THQ para incluir multijogador e co-op no mesmo tempo e preço, caso não tivessem de mudar de distribuidor meses antes do final, imaginem o que a 4A podia ter criado.” Concluiu Rubin.

Temos aqui um caso clássico de “contra tudo e todos?”. Qual a vossa opinião sobre as condições de trabalho da 4A e as palavras de Rubin? Deixem os vossos comentários em baixo.

Metro: Last Light chega amanhã ao PC, PS3 e Xbox 360.

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...