Maratona DC – Superman II

superman-2-maratona-dc-00-pn

Tal como prometido, continuamos a seguir as aventuras de Christopher Reeve no papel de Super-Homem em Superman II, um filme que teve uma produção um pouco controversa. O plano original do realizador do primeiro filme, Richard Donner, era gravar um filme de 2 partes em simultâneo, mas assim que começaram a ultrapassar o orçamento inicial do filme, o estúdio criou pressão para acabarem apenas um filme, apesar de já terem gravado a maior parte das cenas para o 2º.

Com o grande sucesso do 1º filme, o estúdio decidiu continuar as gravações da sequela, mas colocaram Richard Lester como realizador. Apesar de aproveitar algumas das cenas gravadas pelo realizador original, Lester teve que regravar várias sequências para ficar com os créditos totais do filme. Em 2006, a pedido dos fãs, lançaram uma nova versão do filme que é mais fiel à concepção original de Richard Donner.

O filme começa com o Super-Homem a impedir um ataque terrorista em Paris e leva uma bomba de hidrogénio até ao espaço para que a explosão não cause vítimas. Por coincidência, uma prisão dimensional está por perto e a explosão liberta General Zod, Ursa e Non. Para quem se lembra, estes 3 foram os três criminosos que foram presos na Phantom Zone antes da destruição de Krypton durante os primeiros minutos do filme anterior.

Zod percebe rapidamente que a luz do sol do Sistema Solar concede-lhes super-poderes à semelhança de Super-Homem, e começam a espalhar o caos na Terra. Apesar do fato ser um pouco peculiar, a prestação de Terence Stamp como General Zod é um dos pontos altos do filme e prova ser um adversário à altura do Super-Homem.

Entretanto, Super-Homem anda numa viagem de trabalho com Lois Lane e ela começa a suspeitar qual é a verdadeira identidade de Clark Kent, ao ponto de colocar-se em perigo para o provar. Mais uma vez, óculos e gel no cabelo são o suficiente para o disfarce perfeito.

Superman II mantém o mesmo registo do primeiro filme com uma presença mais forte do vilão e vai mais directo ao assunto. Mesmo assim, o filme não está imune a momentos estranhos, como a situação do Super-Homem perder os seus poderes apenas para os recuperar a seguir, e o sopro de 2 minutos dos vilões onde o humor chega a ser exagerado depois. Também temos o novo poder aleatório onde o Super-Homem lança o seu símbolo como uma rede, mas não chega ao nível do que aconteceu no filme anterior.

De qualquer forma, Superman II continua a ser um bom filme como o original e é para muitos a melhor sequela durante o período de Christopher Reeve como Super-Homem. Tendo em conta as coisas más que já ouvi dos filmes seguintes, não era muito difícil.

E já que falei de Zod, sou obrigado a colocar isto:

Sérgio Batista

Membro do PróximoNível desde 2015. Tira fotos em demasia durante os eventos.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Sérgio Batista

Membro do PróximoNível desde 2015. Tira fotos em demasia durante os eventos.