Game of Thrones T7 – Resumo Ep. 4 “The Spoils of War”

AVISO: Este artigo contém spoilers do 4º episódio da temporada 7 de Game of Thrones.

Mesmo sendo o episódio mais curto da temporada, The Spoils of War teve alguns dos momentos mais altos da série. Até agora, a guerra entre Daenerys e os Lannisters tem sido um pouco morna para mim, mas agora é que as coisas aqueceram.

O episódio começa com o exército Lannister a sair de Highgarden de regresso a King’s Landing, agora com o ouro necessário para pagar a dívida ao Banco de Ferro. Ainda assim, o Jaime está um pouco amuado com o que a vovó Tyrell lhe disse no episódio anterior, enquanto que o Bronn está amuado por ainda não ter um castelo. Para não se armar em ganancioso, Jaime ordena-o a ir “motivar” uns agricultores para entregarem as suas colheitas.

A notícia do transporte do ouro chega aos ouvidos do banqueiro do Banco de Ferro (o wiki diz que se chama Tycho Nestoris), o que o deixa muito feliz. A Cersei já tem ar de quem está farta de aturar o tipo após dois episódios, e informa que a sua Mão, Qyburn, foi a Essos para contratar a Golden Company, uma companhia de mercenários que já foi vagamente mencionada na 4ª temporada. Tyto Nesquik diz a Cersei que pode contar com o apoio do Banco de Ferro – assim que receberem o ouro.

Littlefinger tenta subir o Social Link com Bran Stark e oferece-lhe a faca de aço valiriano que ia ser usada para assassiná-lo depois da queda que o tornou paraplégico. Bran mantém-se calado e sem reação durante quase toda a conversa até citar “Chaos is a ladder,”algo que o Littlefinger disse uma vez a Varys em privado durante a 3ª temporada. Littlefinger tenta disfarçar o quão triggered ficou até a Meera chegar e ele sai do quarto. Meera vem despedir-se de Bran – e talvez não aparecer mais na série – para estar com a sua família. Bran responde de forma seca e sem emoção, o que deixa Meera chateada. Desde que foi promovido a Corvo Trizarulho, Bran é como se fosse uma pessoa completamente diferente, por isso tem desculpa para ser uma besta à vontade.

Arya Stark chega finalmente a Winterfell, mas é impedida à entrada por dois porteiros idiotas. Ela escapa da vista deles e vai visitar a cripta para criticar a escultura em pedra do seu pai. Sansa Stark encontra-a e temos mais uma reunião bonita entre Starks, isto até a Arya mencionar a lista de pessoas que vai matar, provando mais uma vez que a Sansa é a pessoa mais normal naquela família. Elas vão ter com o Bran que dá a faca oferecida pelo Littlefinger à Arya. Estou à espera de ver essa faca a ser usada no pescoço de alguém em breve.

Em Dragonstone, Jon Snow leva a Daenerys à caverna de dragonglass para mostrar pinturas rupestres feitas pelas Crianças da Floresta há milhares de anos atrás. Os símbolos na parede são semelhantes aos padrões criados pelos White Walkers com partes de corpos desmembrados em episódios anteriores, mas não sabemos ao certo o seu significado. Convenientemente, existe também um rabisco de quatro White Walkers na parede, mas não chega para convencer Dany completamente a ajudar o norte sem que Jon se ajoelhe primeiro. Lá porque tiveste sorte na última vez que levaste uma mulher para uma caverna, não quer dizer que vai voltar a acontecer, Jon.

Jon volta a dizer que o seu povo não iria aceitar uma governante do sul. Dany responde que iriam se o rei escolhido por eles o fizesse, e pergunta a Jon se a sobrevivência do seu povo é mais importante do que o seu orgulho. Isto foi a mesma coisa que o Jon disse a Mance Rayder no primeiro episódio da 5ª temporada quando estava a tentar convencê-lo a ajoelhar-se e a jurar fidelidade a Stannis Baratheon. Mance recusou e acabou por ser queimado vivo, portanto o Jon deveria ponderar bem sobre o assunto para não lhe acontecer  o mesmo.

À saída da gruta, Dany é abordada por Tyrion que lhe conta o que aconteceu aos Unsulied em Casterly Rock. Após perder todos os seus aliados em Westeros e sem maneira de alimentar o seu exército, Dany sente-se cada vez mais tentada em pegar nos seus dragões e ir diretamente para King’s Landing resolver o assunto. Tyrion continua a achar isso uma má ideia e Jon também sugere a não agir de forma demasiada agressiva. Ainda questiono se a estratégia do Tyrion falhou por ter subestimado os seus irmãos, por querer evitar um número elevado de vítimas em ambos os lados, ou talvez haja algo espião entre eles.

Voltamos a Winterfell para assistir a um pequeno duelo entre Brienne das Tartes e Arya. Ambas parecem estar ao mesmo nível, ainda que não estavam a lutar mesmo a sério. Sansa assiste à luta e fica com melhor noção de que a sua irmã está diferente. Entretanto, o pobre Podrick continua a levar porrada nos treinos. Já agora, fica aqui uma versão da luta com lightsabers.

Damos um último salto a Dragonstone onde Davos tenta descobrir se Jon está interessado na Dany, mas o Jon só consegue pensar no Night King (são aqueles olhos azuis bonitos). Eles encontram-se com Missandei e Davos volta a fazer perguntas sobre a sua backstory. Será que ele suspeita de alguma coisa? Entretanto, um navio dos Greyjoy regressa a Dragonstone e temos uma pequena reunião entre Jon e Theon, duas personagens que já não se vêem desde a 1ª temporada.

Os últimos 15 minutos do episódios são reservados ao intitulado Loot Train Attack, e é aqui que testemunhamos uma das melhores cenas de batalha na série. Não digo que ultrapassa a Battle of the Bastards, essa tinha mais em jogo, mas tivemos aqui uma pequena demonstração do que aconteceria com um exército Dothraki e um dragão à solta no campo de guerra. Aconselho a verem o vídeo making-of da batalha para apreciarem melhor o trabalho por detrás da criação desta sequência.

Apesar da maioria do exército Lannister ter sido reduzido a cinzas, o ouro para o Banco de Ferro chegou intacto a King’s Landing. Estranhei que a Daenerys tivesse destruído algumas das carroças com comida, tendo em conta que realçou a falta de alimentação para o seu exército. Não me tinha admirado se o Bronn tivesse morrido neste episódio, mas o safado não só sobreviveu àquela confusão toda, como ainda conseguiu acertar num dragão em pleno ar com uma balista. Dêem lá um castelo ao homem, pá!

Então e vocês? O que acharam do quarto episódio da sétima temporada de Game of Thrones? Não se esqueçam de comentar e cá estarei de volta para falar do quinto episódio, “Eastwatch“.


Sérgio Batista

Escolhido da ‘pug life’ que gosta sempre de arranjar jogos novos para a PS2.
Cosplayer casual, tira fotos em demasia nos eventos.

More Posts

Follow Me:
FacebookYouTube

Sérgio Batista

Escolhido da ‘pug life’ que gosta sempre de arranjar jogos novos para a PS2.
Cosplayer casual, tira fotos em demasia nos eventos.