Em Destaque – Mob Psycho 100

Obviamente já todos ouviram falar de One Punch Man e em como é bastante bom tanto como uma história de acção como paródia das mesmas. Na minha opinião a história tem momentos bons mas por vezes possui alguns momentos baixos que retira tudo o que a série tenta fazer. Mas por outro lado, ONE, o autor de One Punch Man, também está a trabalhar noutra história que tem tantos capítulos como One Punch Man, e também uma temporada de anime, Mob Psycho 100.

A início Mob Psycho 100 pode não parecer tão “flashy” como One Punch Man, mas isso é porque enquanto OPM entra de imediato na acção, Mob Psycho 100 leva o seu tempo a estruturar as personagens até chegar à altura de estas começarem a mover-se. Ou seja, a diferença é que OPM foca-se mais nas cenas de acção e Mob Psycho nas personagens, o que não quer dizer que ambos não tenham bons momentos nas duas coisas, porque tem. Simplesmente prefiro a maneira em como Mob Psycho 100 trabalha as suas personagens, em especial, Mob.

Metendo isso de lado, uma vez que o meu objectivo aqui não é criar uma guerra mas sim destacar uma série (do mesmo autor e igualmente boa) que fica nas sombras de outra. Basicamente podia dizer “Se gostaram de One Punch Man ide ver Mob Psycho 100”, mas eu quero vender o “meu peixe” mais um pouco, por isso aguentem comigo.

Quero falar sobre a Opening, mas antes disso acho melhor arrumar com a introdução do anime para as pessoas pelo menos saberem do que se trata.

Kageyama “Mob” Shigeo é um jovem estudante que tem poderes psíquicos. Desde pequeno que ele demonstrou uma capacidade excepcional para estes poderes sobrenaturais, incluindo o facto de serem bastante fortes. Mas após uma recepção negativa dos seus poderes, e a realização que podem ser perigosos, Mob decide viver uma vida normal sem nunca depender da sua habilidade. Sendo que decide pedir ajudar a um autoproclamado psíquico (sendo “autoproclamado” a palavra chave), agora Mob vive o seu dia a dia ao tentar encontrar um objectivo na sua vida enquanto que vai ajudando o seu mestre em exorcismos.

Dá para ver alguma parecença entre ambos os animes/mangas, mas o mais interessante é que os dois são o oposto um do outro. Em One Punch Man, Saitama usa os poderes que adquiriu porque quer ser um herói, isto num mundo onde heróis e vilões é algo normal. Por outro lado, Mob já nasceu com estes poderes, e vivendo num mundo onde isso é incomum e tendo em conta o facto de serem demasiado fortes, ele decide não os usar, focando-se mais em ver uma pessoa normal.

Tenho a dizer que após ler e ver One Punch Man que fiquei curioso em como ONE se aproximaria de um tema como estes. E o resultado foi algo bastante interessante de se assistir.

Tal como tenho vindo a dizer, o foco de Mob Psycho 100 não é as cenas de acção mas sim as suas personagens e emoções. Mob não é apenas um psíquico a tentar viver uma vida normal, também é um adolescente que não se dá muito bem com outros, isto devido a não ter um bom conceito da atmosfera que rodeia as pessoas, algo que juntamente com o facto de não ter experiência em amizades apenas o faz ser mais isolado. Existe também o facto de Mob não mostrar muito as suas emoções, ou melhor, de as manter em controlo uma vez que existe uma ligação entre os seus poderes e o seu estado emocional. E é aqui que entra Reigen.

Arataka Reigen, o “mestre psíquico” que serve como mentor de Mob pode ser uma fraude que usa os poderes de Mob para ganhar dinheiro, mas ao mesmo tempo ele preocupa-se e dá vários conselhos ao seu jovem estudante. A nível pessoal Reigen é a minha personagem favorita, gosto sempre de ver a personagem fraudulenta (que é óbvia) a tentar vender o seu produto e a enganar o protagonista desde o início, só para mais tarde se mostrar como uma pessoa com o coração no local certo. E a história de Mob Psycho 100 para além de ter o dilema de Mob como foco principal, também se decida à relação entre Reigen e Mob, algo que gostava de me focar mais, mas acabaria por ser spoiler da manga.

Mas voltando ao que estava a dizer, Reigen é uma pessoa importante na vida de Mob. Para além de ser alguém com que ele possa falar sobre os seus poderes psíquicos, Reigen também acaba por dar vários conselhos a Mob tanto sobre as suas emoções ou como lidar com certas situações. Basicamente acaba por ser interessante ver uma personagem que de certa maneira está a enganar o protagonista e ao mesmo tempo a encaminha-lo no caminho certo para ser uma melhor pessoa. Enquanto que Mob acaba por ser alguém que trás o melhor do dia a Reigen, coisa que o Ending de Mob Psycho 100 demonstra bastante bem.

Regressando então ao assunto original, a Opening do anime.

O Ending continua a ser o meu favorito (tanto a nível de música como animação e mensagem), mas é impressionante o montante de coisas escondidas nesta abertura. Tanto referências a manga como pistas para o que vai acontecer na história, mas talvez o mais impressionante é a animação e as transições que esta abertura possui, estando muito bem feitas. Acaba por ser uma abertura que ao mesmo tempo mostra o núcleo do anime como acaba por não nos mostrar nada.

Algo a ter em conta é a animação da abertura, pois a que o anime possui é igual. É algo que certamente vai fazer alguns dizer “Não, obrigado.” mas tenham em conta que quando se fala de animação existe muita coisa em jogo, a arte (os desenhos), as cores, a animação em si (movimento e fluidez), etc… E neste caso, mesmo que a arte não seja do vosso estilo (embora seja bastante boa) a animação é algo a ter em conta. Referi que Mob Psycho 100 é mais focado nas personagens, ao contrário de One Punch Man, mas quando as cenas de combate entram em acção consegue estar ao nível de OPM.

Não nos podemos esquecer da banda sonora como é óbvio.  Para além da música que acompanha as peripécias de Reigen, os momentos emocionais bem como aqueles cheios de acção, a banda sonora acaba por definir as personagens, facilmente vão poder identificar os temas ligados a Reigen e também os temas que se focam em Mob.

As cenas de luta acabam por ter a presença de Mob na maioria das vezes, e o poder demonstrado por Mob é simplesmente arrasador. E tal como disse anteriormente, as habilidades psíquicas de Mob estão ligadas ao seu estado emocional, o que quer dizer que não é apenas uma batalha comum. ONE sabe bem como lidar com as situações e estado de espírito das personagens, não só durante as batalhas mas durante o dia a dia de Mob. O que eu quero dizer é, as batalhas são boas, mas é mesmo em Mob que a nossa atenção se deve focar, uma vez que as suas dúvidas e crescimento (e o das outras personagens, mas principalmente Mob) são aquilo que estava em falta em One Punch Man.

Se por esta altura ainda não consegui ganhar a vossa atenção com o que vos tenho mostrado então não sei o que mais poderei fazer para com vejam Mob Psycho 100. Podia continuar a falar sobre o anime e a manga (se alguma vez for anunciado uma segunda e terceira temporada estas vão ser as melhores de sempre), mas por esta altura com tudo o que foi dito, ou por dizer, teria mais sentido discutir o assunto com alguém.