E3 2018 – Quais os jogos que vos interessaram

A prestação das conferências já foi avaliada, e agora é a vez de falar sobre o conteúdo mostrado nas mesmas, ou sobre novidades que tenham sido reveladas fora das conferências e até dias antes da E3. Vamos pegar nos trailers e dar uma opinião sobre o que os mesmos nos dizem, juntamente com outra informação adicional e até vídeos de jogabilidade que tenham surgido entretanto.

 

Unravel Two

Apesar de não ter jogado o original gostei bastante da demonstração que foi feita durante a conferência da EA. A ideia de adicionar um segundo Yarny e tornar o jogo numa experiência cooperativa é excelente baseado no que foi possível observar pois o nível de complexidade que os puzzles podem ter devido ao facto de as duas personagens estarem ligadas poderá ser elevado. O facto de o jogo estar já disponível apenas demonstra que a produtora gosta dos seus fãs e que os quer surpreender com um produto completo logo de imediato, mas ao que consta o jogo não tem um modo online o que para mim é um grande ponto negativo pois é algo que sinto que seja fulcral neste tipo de jogos.

 

Sekiro: Shadows Die Twice

Não estou totalmente vendido em Sekiro mas o novo trailer deixou-me um pouco curioso uma vez que a jogabilidade parece ser diferente da de Dark Souls. Ainda é possível ver alguns aspectos do “género Souls” presentes no novo trailer, mas continuo a estar interessado no que este novo jogo tem para oferecer. O combate parece ser mais rápido que Bloodborne não só em termos de ataque mas também devido à existência do grappling hook que para além de ser usado em combate também dá para usar em exploração. Estaria mais interessado se a FromSoftware fizesse algo diferente com o mapa para além do que é feito em Dark Souls e Bloodborne, mas à medida que o tempo passar iremos receber mais informação sobre o jogo.

 

Fallout 76

Quando o teaser foi lançado a minha ideia sobre o que o jogo iria ser acabou por tornar-se realidade com os primeiros detalhes revelados. Fallout 76 é um jogo de sobrevivência com um modo online, onde o jogador terá de decidir se quer juntar-se a outros jogadores ou tentar sobreviver sozinho (existe também um modo offline). O tema de Fallout funciona de forma perfeita com este tipo de experiência, admito que não me aventurei muito pela série e que Fallout 4 não foi nada bom, mas esta “nova ideia” chama-me bastante à atenção e estou curioso sobre o que poderá ser feito com este novo jogo.

Fico curioso quanto ao tipo de jogadores que poderão ser encontrados num universo online de Fallout, uma vez que vão existir várias bombas nucleares que estarão disponíveis para serem lançadas quando nos bem apetecer onde nos bem apetecer. Quantos de nós vão ser os monstros que vão destruir o planeta e a vida (e tempo) de muitos jogadores? Ou que tal pegar num grupo de amigos e dividir esse em grupo em dois grupos menores e competirem uns contra os outros?

 

Devil May Cry 5

Tenho a dizer que fiquei decepcionado com a primeira vez que vi este trailer. O aspecto edgy fez-me lembrar bastante o reboot DmC: Devil May Cry, em especial o novo aspecto de Nero que era semelhante ao outro Dante, mas com o tempo e uma melhor observação do trailer, consegui ver que o habitual charme de Devil May Cry está presente. Acção absurda como a carrinha a dar uma pirueta em câmara lenta e XX a apanhar o cigarro com a boca é algo que apenas estaria presente em Devil May Cry. Nero a andar de boleia no seu braço mecânico? Nem Metal Gear Solid V conseguiu fazer isso.

Este trailer consegue oferecer de forma perfeita o ambiente de Devil May Cry enquanto apresenta velhas e novas personagens e revela um pouco da história que vai estar presente nesta nova aventura. Gosto em especial do facto de o trailer ter música mais virada para o pop com Nero até ao momento em que Dante aparece no final e uma música mais pesada e rock começa a tocar. Em geral o trailer também demonstra que a Capcom aproveitou algumas ideias do reboot e decidiu adicionar a este jogo.

PS: Sinto-me obrigado a destacar o quão bom aquele logo vai com a imagem de fundo (que supostamente será a capa do jogo).

 

Dying Light 2

Não joguei o jogo anterior mas não foi por falta de interesse. Tenho estado com ideias de pegar nele caso consiga arranjar alguém com quem jogar, uma vez que o jogo possui uma campanha online e do que vi em termos de jogabilidade agradou-me. Dito isto, Dying Light 2 foi anunciado como sendo uma sequela ambiciosa, prometendo adicionar algumas novidades ao jogo como a possibilidade de escolhas que podem oferecer ordem ou caos à cidade de acordo com a facção que o jogador decida ajudar. Sempre fui um fã de jogos multiplayer com escolhas pois isso permite criar várias aventuras em conjunto com outros jogadores quer queiram ser os bons da fita, os maus da fita, ou apenas viver com momentos hilariantes enquanto rebentam com a história do jogo.

Acho que não necessito de dizer qual seria a minha escolha, e talvez seja esse o motivo que ninguém aceite jogar comigo.

 

DOOM Eternal

É DOOM não tenho mais a dizer. Não gostei da história do primeiro jogo, começou um pouco interessante mas após isso as personagens com quem DOOM GUY se estava a envolver tornaram-se bastante chatas e as suas motivações nulas para mim. DOOM GUY quer apenas uma coisa, que o deixem em paz, e se para isso é necessário rebentar com a cabeça de mil demónios, que assim seja. Dito isto, o teaser deu a entender de que o novo jogo iria ter lugar na Terra, ou pelo menos algo semelhante à mesma, será que o Inferno chegou até à Terra? O que aconteceu aos seus habitantes? Estas perguntas e o “novo” cenário deixam-me bastante curioso para esta sequela. Sei que irei ficar contente em termos de jogabilidade, mas se é para ter uma história então quero algo há altura.

 

Ghost of Tsushima

Não sei se estou curioso ou reticente quanto a Ghost of Tsushima. Em papel parece uma ideia bastante interessante e com sucesso garantido, mas em execução já vários jogos fizeram algo semelhante que deixou muito a desejar. Honestamente diria que estaria menos preocupado se a jogabilidade exibida durante a conferência da Sony tivesse um pior aspecto, sim, um pior aspecto. O jogo é suposto ser open world e nenhum jogo open world teria aquele aspecto e aquela quantidade de detalhe em especial com o cenário completamente vazio. A não ser que o mapa seja extremamente pequeno, fico a pensar que algo irá correr mal com o resultado final.

Pondo isso de lado, a jogabilidade é tudo o que eu pedia no que toca a um jogo sobre samurais. Apenas quero saber o que a produtora vai fazer para encher o mundo do jogo, sidequests com escolhas onde temos de honrar a nossa vida de samurai? Ou onde nos torna-mos basicamente em mercenários que apenas seguem o dinheiro? Será o jogo sobre um samurai que perdeu a sua espada ou literalmente um jogo sobre uma personagem que é um samurai? As ideias dão para muito e honestamente espero que Ghost of Tsushima seja algo mais do que apenas um jogo com o tema de samurai, mas um que explore tudo o que o código de honra tenha para oferecer.

 

Overcooked 2

Overcooked é o jogo ideal para criar caos entre amigos e família, sendo basicamente o Mario Kart da cozinha. Então porque não ficar entusiasmado com a sua sequela que promete adicionar novas mecânicas de jogo, novos níveis e mais razão para os jogadores gritarem uns com os outros? Mais importante é o facto de finalmente a produtora ter ouvido os fãs e decidir adicionar um modo online para ser possível jogar com outros jogadores online.

 

Hitman 2

O que mais é necessário diz sobre Hitman 2 para além deste trailer que capta a essência do jogo anterior? Fiquei um pouco decepcionado quando anunciaram que todos os níveis iriam ficar disponíveis no mesmo dia, porque a meu ver talvez não fossem ter tanto detalhe como os de Hitman: Senson One, mas o trailer para o nível de Miami, o primeiro nível de Hitman 2 revela que não só tem o velho charme, como tem ainda mais detalhes que a maioria dos níveis do jogo anterior.

Hitman 2 promete ser um dos melhores jogos deste ano e este trailer tirou qualquer dúvida que eu tinha de o jogo ter qualquer tipo de problema.

 

Fist of the North Star: Lost Paradise

A Sega pode ignorar os fãs no que toca a jogos de Sonic, mas sabe como os tratar quanto ao resto. Não só vamos ter o jogo baseado na manga de Fist of North Star feito pela Team Yakuza, como o mesmo vem com dual-audio e ainda por cima vai sair este ano, meses após o jogo ter saído no Japão. Muito provavelmente a demo também irá marcar presença na PlayStation Store Europeia/Americana, mas já dei umas voltas pela versão Japonesa e tenho a dizer que fiquei contente com aquilo que experimentei.

Mathias Marques

Editor oficial desde Agosto 2014 Para além de videojogos também gosto de anime. Podem ver-me a apregoar sobre ambos os assuntos no site em forma de notícia, artigo ou análise. Tenho a sorte de encontrar momentos parvos enquanto estou a jogar, ou de os criar eu mesmo.

More Posts

Follow Me:
TwitterYouTube

Share

You may also like...