Coisas sobre anime [11] O caso de Umika Kawashima

Após Togashi e Miura terem-me encaminhado pelo mau caminho lá acabei por sair do meu hiatus exactamente um ano mais tarde, e continuar com esta rubrica cujo nome foi tirado ao acaso e que até hoje não foi mudado. Coisa que muito provavelmente não vai acontecer até porque me habituei ao nome e gosto da maneira como soa, e também porque não tenho nenhuma ideia melhor para o nome… sugestões? Não prometo que as aceite, aliás, é melhor irem com a ideia de que serão rejeitadas.

E enquanto a ideia de um novo nome vem e não vem, outras ideias também acabam por vir e não vir. Mais propriamente temas para esta rubrica, coisa a qual ando a trabalhar, e também o que fazer com a coisa.

A minha ideia é usar a rubrica como desculpa para falar sobre um assunto em específico que esteja relacionado com anime, mas anteriormente também usei a rubrica para falar sobre outras coisas, inclusive algum anime que tinha visto durante a semana. Mas o que tenho vindo a perguntar-me com esta “nova fase” é se é necessário algo novo para esta rubrica, e enquanto vou pensando nisso deixo-vos com o assunto que queria falar.

 

– O caso de Umika Kawashima –

A nova temporada de animes deste ano teve início no mês de Julho, começando assim a temporada de Verão de 2017 e com isso o anime Nana Maru San Batsu, ou como é conhecido em Inglês, Fastest Finger First.

Com o primeiro episódio algumas pessoas acharam que não era o anime para eles, outros disseram que era interessante e o terceiro grupo decidiu dar mais um ou dois episódios antes de fazer uma decisão final. No entanto algo em que a maioria concordou é que a voz de uma personagem, neste caso a heroína da história, não era a melhor de todas.

A personagem, que tem o nome de Mari Fukami, recebe a voz de Umika Kawashima, que de acordo com o seu repertório não é muito experiente no que toca a dobragens. Tendo apenas dado a voz a duas personagens, Pyro do filme Phantom Rouge de Hunter X Hunter e Hana de Star Driver, não querendo dizer que é desprovida de experiência de todo, a mesma tem vindo a participar em filmes e dramas de tv desde 2006 e também fez parte de um grupo de ídolos, por isso deve saber uma ou duas coisas sobre “voice” e “acting”.

O primeiro episódio é o exemplo mais pesado a dar, não é descabido que a actriz não tendo grande experiência como voice actor que não iria fazer um trabalho tão profissional como os outros. Apesar de saber como interpretar um papel (tendo em conta que é actriz) e de ter feito parto de um grupo de ídolos que obviamente a fez ter trabalho de voz, isso acaba sempre por ser diferente de dar vida a uma personagem apenas com a voz (e também com as direcções recebidas para fazer o mesmo).

Na minha opinião o que se pode observar (ou neste caso, ouvir) no primeiro episódio é que a actriz ainda não estava totalmente confortável com o trabalho. A personagem Fukami parecia estar a falar demasiado para dentro e reticente em exprimir a sua voz (e eu sei uma ou duas coisas sobre isso), mas no segundo episódio já se notava alguma diferença, com a personagem a soar de forma mais natural. A voz da personagem continua a ser a mesma e pelo menos eu não tenho problema com isso, embora para alguns a voz pareça demasiado “normal” ou que não encaixe com a personagem.

Mas pelo menos neste par de episódios nota-se que a actriz já está mais à vontade com a sua personagem, dá para sentir que quando é necessário dar alguma emoção “mais pesada” à personagem que existe algo ali por melhorar, mas num todo a actriz tem vindo a progredir com a experiência.

Pegando noutros exemplos de actores/actrizes iniciados (que eu tenha acompanhado), o cast das heroínas do anime Rokujouma no Shinryakusha!? era inexperiente na altura, sendo o papel naquele anime o primeiro para todas. E enquanto nenhuma tinha dificuldade em fazer ouvir a sua voz ou até em cena dramáticas, mas nem todas sabiam manter o tom correcto com a voz que estavam a dar à personagem. Não era o caso de a voz soar diferente mas de em raras ocasiões não encaixar perfeitamente com a personagem.

E ao olhar para os papéis que essas actrizes tiveram mais tarde em outros animes e ao fazer diferentes vozes, dá para ver que elas melhoraram com o tempo, mesmo se o “problema” inicial não fosse assim tão grande. Sim é importante que a voz encaixe com a personagem, e também (para a carreira do V.A.) que consiga fazer várias vozes diferentes, mas também é necessário que as vozes sejam claras para quem estiver a ouvir entender o que está a ser dito.

Ao fim e ao cabo existe mais para além do simples “a voz de X não presta”. Pode ser culpa de quem está a dar a direcção, pode ser a inexperiência do actor em questão mas é preciso dar sempre mais do que 1 episódio para julgar alguém. Se tão depressa conseguem apontar uma voz má então muito provavelmente conseguem apontar um actor bastante experiente no seu trabalho, certo? Certo?

Não que eu me esteja a chamar de experiente no assunto, mas após alguns anos a acompanhar animes acho por identificar algumas diferenças no que toca às vozes das personagens, bem como identificar certos actores tanto em anime como videojogos. Talvez até fosse boa ideia falar em actores experientes para a próxima, mas para isso precisaria de pelo menos ter um pouco mais de experiência quanto ao assunto, mas isso não vos impede de partilharem a vossa opinião.

Como conclusão, apenas resta esperar para ver o quanto Kawashima melhora durante o percurso deste anime. É óbvio que já existe alguma diferença nestes poucos episódios, mas é apenas caso para ver se a actriz recebe novos papéis no futuro e ver se acaba por melhorar tal como tantos outros o fizeram nesta industria.

——————————

E agora ficamos mais um ano sem nada.