Análise – RIME

Quando RIME foi oficialmente revelado durante uma conferência da Sony na E3, poucos foram aqueles que não ficaram curiosos em relação a este jogo que parecia misturar elementos de outras referências dentro dos jogos mais Indie. Alguns anos depois, RIME chega não só à PS4, mas a quase todas as…

Análise – Skylanders: Imaginators

Skylanders está de volta para mais uma aventura e depois das corridas vem a possibilidade de criarem o vosso próprio Skylander, mais propriamente o vosso Imaginator. Para criarem o vosso próprio Skylander vão precisar de um objecto no mundo real: um creation crystal ou uma das suas variantes. Cada um…

Análise – FIFA 17

A primeira ronda já lá vai e algum tempo depois de PES 2017 ter chegado às nossas mãos para análise, eis que é a vez do FIFA 17 ter o seu lugar de destaque. Tal como mencionei na análise do rival, no ano passado, PES 2016 foi para mim o…

Análise – PES 2017

Chega o Verão ao fim, regressa o futebol e com ele também a nova temporada de futebol digital disputada entre os suspeitos do costume, PES e FIFA. O ano passado, entre os dois, PES foi aquele que mais me conquistou e que elegi como o meu favorito no que toca…

Análise – Life is Strange

Em menos de um ano e ao longo de cinco episódios, Life is Strange passou de um jogo de que ninguém falava ou conhecia para um jogo sobre o qual toda a gente mostra interesse e quer jogar. Essa evolução demorou meses, mas lembro-me bem de quando joguei o primeiro…

Análise – Resident Evil 0 HD Remaster

Resident Evil 0 foi lançado originalmente para a Nintendo GameCube em 2002 e é uma prequela ao original lançado na Playstation. Com a vontade crescente da Capcom em relançar os antigos sucessos adaptados a esta geração, Resident Evil 0 embarcou no comboio dos Remaster e desde o inicio que fiquei…

Análise – Skylanders Superchargers

Parecendo que não, já lá vão alguns anos desde que Skylanders começaram a ser um fenómeno de vendas e cada ano, teve direito a uma nova edição. A versão deste ano é algo diferente, pois desta vez não há cá gigantes, partes do corpo que se trocam ou algo do…

Análise – Guitar Hero Live

Por vezes, por muito boa que uma banda seja, o último reduto para impedir a saturação passa por recorrer a um Hiatus e deixar passar algum tempo. Esta foi a estratégia de Guitar Hero, que após praticamente cinco anos e vários jogos depois, volta do mundo dos mortos com um…

Análise – WRC 5

Se existem um problema com uma licença externa ao mundo dos videojogos, é que estas acabam por passar de mãos a dada altura do campeonato. Lembram-se da Evolution Studios e o trabalho feito em WRC na era da PS2? E o da Milestone? Foram trabalhos de longa duração que foram…

Análise – Destiny The Taken King

Destiny é daqueles jogos que acabou por nunca desaparecer. O lançamento pode ter ficado aquém para alguns, mas a Bungie conseguiu agarrar um bom grupo de seguidores. Entretanto, a Bungie continuou a trabalhar em novos conteúdos para conseguir cumprir a promessa original, fazer de Destiny um mundo permanente capaz de…

Análise – FIFA 16

Apesar de não ter sido um mau jogo, todos sabem que a edição do ano passado de FIFA ficou bastante aquém das expectativas, especialmente quando a qualidade da concorrência está em crescimento acentuado. Se a EA quer recuperar a liderança, tinha de fazer de FIFA 16 um jogo ainda mais…

Análise – PES 2016

Existe uma espécie de ciclo nos vários estilos de videojogos. Durante uma geração, a vitória vai para um lado da barricada, enquanto em outra, os papeis são invertidos. Se bem se lembram, no ano passado, na luta directa entre PES e FIFA, acabei por reconhecer que o PES saiu vencedor,…