Análise – Assassin’s Creed III Remastered

Em 2012 lembro-me de estar ansioso para jogar Assassin’s Creed 3. Não correu bem. Não gostei do personagem principal, não gostei da narrativa e encontrei vários maus momentos e frustrações. Desde então aprofundei os meus conhecimentos sobre o período histórico em que Assassin’s Creed 3 se insere e é com…

Análise – The Caligula Effect Overdose

Ainda não faz muito tempo, tive a hipótese de analisar The Legend of Heroes, um jogo com muitas semelhanças a séries como Persona e Valkyria Chronicles, embora um pouco mais virado para a relação entre personagens. Curiosamente e tal como The Caligula Effect, ambos foram lançados originalmente na PS Vita,…

Análise – One Piece World Seeker

Com todo o sucesso já alcançado ao longo de vários anos de emissão e centenas de mangas, One Piece será provavelmente a série de animação japonesa com mais espaço e conteúdo para dar origem a alguns dos jogos mais épicos que seriam possíveis de imaginar. Curiosamente, mesmo depois de várias…

Análise – Final Fantasy XV: Episode Ardyn

Plataformas: PlayStation 4, Xbox One, PC Versão de Análise: PlayStation 4 Informação Adicional: DLC. Imagens retiradas durante as sessões de jogo. E finalmente chega a conclusão de Final Fantasy XV, ou pelo menos até ser lançada a novel com o conteúdo cancelado, mas no que toca ao jogo em si…

Análise – Sekiro Shadows Die Twice

Vindo dos estúdios que nos fizeram morrer milhares de vezes com Demon Souls, Dark Souls e Bloodborne, Sekiro Shadows Die Twice é ao mesmo tempo uma aventura totalmente nova é uma viagem altamente familiar. No entanto, as diferenças que parecem pequenas a início, acabam por ditar que este universo consegue…

Análise – Left Alive

Plataformas: PlayStation 4, PC Versão de Análise: PlayStation 4 Informação Adicional: Imagens retiradas do website do jogo. Left Alive tanto gosta de oferecer como retirar vezes e vezes e vezes sem conta. Honestamente fiquei sem ideia em como abordar a análise e por fim decidi deixar de lado as habituais…

Análise – Jump Force

Ter jogos que misturam personagens de vários universos é algo que deixou de ser uma raridade. Nos tempos que correm, ter um cross over com Tekken e Walking Dead é tão natural como Solid Snake e Super Mario à pancada com a Bayonetta ou ter as personagens de Virtua Fighter…

Análise – Anthem

Vindo dos meus estúdios que criaram Mass Effect e Dragon Age, Anthem tinha muito para provar, especialmente numa era em que a EA é claramente alvo de quase todo o mal dizer que paira dentro da indústria dos videojogos. Claramente motivados pelo sistema de Live Service e com Destiny como…

Análise – Dead or Alive 6

A minha primeira experiência com Dead or Alive foi na velha PS2 na altura de lançamento de Dead or Alive 2. Para a altura, este era um jogo de luta bastante à frente do seu tempo e com um ritmo invejável para o género. Dentro do universo de jogos de…

Análise – Devil May Cry 5

A Capcom parece estar a remar numa maré de revivalismo e aceitação. Depois de uma primeira fase estranha nesta geração e algumas práticas estranhas na anterior, foi com jogos como Resident Evil 7, Monster Hunter World e Resident Evil 2 que a companhia parece ter percebido o que os jogadores…

Análise – Dirt Rally 2.0

Quando Dirt Rally chegou há alguns anos para análise, fui totalmente arrebatado com a qualidade e trabalho que foi empregue neste projecto único da Codemasters. Ao contrário de coisas anteriores como Dirt Showdown e até o próprio Dirt (apenas), pareciam coisas mais leves ao pé dele. Quando Dirt Rally 2.0…

Análise – Kingdom Hearts 3

Apesar de ter estado vários anos em desenvolvimento, não foi pela ausência de Kingdom Hearts 3 que a série esteve desaparecida. Pelo caminho, foram lançados imensos jogos que contavam coisas adicionais sobre a história dos vários Keyblade Wielders. Curiosamente, todos estes jogos estavam ligados e para perceber tudo (ou tentar)…

Análise – Apex Legends

Plataformas: PlayStation 4, Xbox One, PC Versão de Análise: PlayStation 4 Informação Adicional: Imagens retiradas durante as sessões de jogo. Certamente que ninguém estava à espera que Titanfall fosse abordar o género Battle Royale, especialmente sem este contar com os titãs e as acrobacias que podem encontrar nos dois jogos…

Análise – Onimusha: Warlords

Esta foi a minha estreia com Onimusha. Sabia que o jogo estava para sair, mas foi daqueles jogos que me passou completamente ao lado, e quando perguntei que tipo de jogo era a resposta rondava sempre Resident Evil. Não há nada como experimentarmos por nós e foi exactamente isso que…

Análise – Resident Evil 2

Depois do sucesso que foi o anterior Resident Evil, a Capcom achou que podia voltar a enveredar novamente nesta mesma ideia e até de uma maneira ainda mais simples. Enquanto que o último jogo foi mais um reimaginar do primeiro jogo, Resident Evil 2 baseia-se num remake directo do clássico…

Análise – PlayerUnknown’s BattleGrounds (PS4)

Plataformas: PlayStation 4, Xbox One, PC, Mobile Versão de Análise: PlayStation 4 Informação Adicional: Images retiradas durante as sessões de jogabilidade. Por esta altura o género Battle Royale começa a ficar gasto devido às várias produtoras que tentam aproveitar a boleia do sucesso de PlayerUnknown’s BattleGrounds (PUBG para os amigos) e…

Análise – Subnautica

Com a expansão recorrente da oferta em jogos de sobrevivência, é de esperar que a maioria dos jogos do género comece a tentar explorar o estilo através de conceitos diferentes. Depois de ter jogado o “fantástico” Ark na Nintendo Switch, jogar a versão PS4 de Subnautica pareceu uma verdadeira lufada…