Análise – Remember Me

Muitos são da opinião que esta geração já está a durar há imenso tempo e que é difícil criar algo novo ou relevante em hardware que já está bastante atrasado em comparação ao PC e que apenas o atrasa. Porém, jogos como The Last of Us, Dishonored ou Ni No…

Análise – GRID 2

  Os jogos de corrida são detentores de muito mais liberdade do que outros desportos, como é o caso do Futebol ou Baseball. Fazer algo diferente e realmente inovador é complicado, mas com tantos estilos de competição explorados, até os jogos de corridas já não têm muito por onde fugir….

Análise – Injustice Gods Among Us

Depois de alguns jogos de Mortal Kombat que ficaram aquém das expectativas, a Netherrealm conseguiu regressar em força com o reboot de Mortal Kombat lançado em 2011. Com provas dadas, a Warner Bros, decidiu que era altura de arriscar novamente no estúdio para trabalhar novamente com as personagens da DC…

Análise – Hyperdimension Neptunia Victory

Depois de vários anos em que os RPG japoneses foram considerados a “raia miúda”  do género, 2013 já provou que o género está vivo e de boa saúde com jogos como Ni No Kuni e Persona 4 Golden. Para aproveitar este regresso, a NIS America lançou na Europa Hyperdimension Neptunia Victory,…

Análise – Sly Cooper Thieves in Time

Longe vão os tempos das guerras das mascotes normalmente associadas a uma consola específica. Embora a Sony tenha adoptado de certa forma o Sackboy como uma das faces da PS3 e PS Vita, a verdade é que além de Ratchet and Clank, as consolas da Sony viram desaparecer grande parte…

Análise – God of War Ascension

Tal como muitas outras figuras emblemáticas da história da Sony, Kratos surgiu pela primeira vez na PS2 e desde então esteve presente em quase todas as experiências onde a Sony embarcou, fosse como imagem de marca ou jogos que misturavam várias personagens. Depois de dois jogos para a PS2, PSP,…

Análise – BioShock Infinite

“It is our holy duty to guard against foreign hordes.” A Irrational Games é um estúdio que já tem alguns anos no que toca à criação de videojogos, tendo estado envolvida em System Shock 2 e criando a mítica série FPS de nome BioShock. Os primeiros jogos adoptavam um ambiente…

Análise – Tomb Raider

Neste momento, tanto o cinema como os videojogos atravessam uma era em que se recorda o que era bom com remakes e remasters de clássicos. Ao mesmo tempo surgem cada vez mais Reboots de histórias e personagens que tentam contar histórias antigas às novas gerações. Este último método tem sido…

Análise – Metal Gear Rising Revengeance

Até hoje, quando se falava de Metal Gear, qualquer pessoa minimamente ligada aos videojogos, sabia o que estávamos a falar de um jogo de acção furtiva e a maioria conseguia dizer o nome da personagem principal. Embora um certo Metal Gear AC!D tenha tentado trazer mais uma ramificação à série,…

Elgato Game Capture HD – Análise Remediana

Ainda me recordo na perfeição de um passado não muito distante no universo dos videojogos. Longas tardes que passei agarrado à minha querida Playstation 2 nas quais imaginava histórias alternativas e mirabolantes, demonstrava habilidades que achava impossíveis de serem repetidas por qualquer outro ser humano, descobria segredos que julgava bem…

Análise – Aliens: Colonial Marines

Aliens: Colonial Marines é um daqueles jogos cuja produção parece uma novela. Lembram-se do Duke Nukem: Forever e dos anos que esteve em produção? Aliens: Colonial Marines tem uma história semelhante. O jogo esteve para ser lançado em 2001 na PS2, tendo sido cancelado e ficado esquecido até 2006, altura…

Análise – Hitman: Trilogy

As missões do Agente 47 não são completamente desconhecidas, mas a série poderá ter passado um pouco despercebida dos mais desatentos. Esta geração já teve direito a um jogo da série com Hitman: Absolution na Xbox 360, PS3 e PC, mas a Square-Enix quer voltar às origens e relembrar grande…

Análise – Dead Space 3

Não existe qualquer margem para dúvida que o ser humano gosta de coleccionar coisas. Existe um qualquer fascínio por objectos maiores, melhores e acima de tudo mais poderosos, que é difícil de compreender. Isso explica o porque da existência de jogos como Diablo 3 e todos os RPG do género,…

Análise – Ni No Kuni Wrath of the White Witch

Quando olho para o passado, ainda antes de trabalhar com videojogos e quando a Internet era coisa rara, lembro-me dos RPG como uma história épica, recheada de personagens estereotipas ao estilo dos anime japoneses, combates por turnos empolgantes, imensas horas de exploração e angariação de experiência para completar o jogo…

Análise – The Cave

Estamos na era dourada dos jogos Indie, hoje em dia, criar um jogo de nível amador e elevá-lo a um lançamento numa grande plataforma pode resultar num êxito enorme, e ser uma porta aberta para muitos que de outra forma não conseguiriam dar frutos. O conceito de Indie deixou de…

Análise – Retro City Rampage

Que tal vos parece a ideia de pegar em Grand Theft Auto 3 e recria-lo na velhinha NES sob o nome Grand Theftendo? E se eu vos dissesse que esta história é mesmo verídica? Brian Provinciano, começou o projecto em 2002 tirando partido do seu tempo livre, e para isso…

Análise – Assassin’s Creed 3

Quando Assassin’s Creed saiu nas plataformas “de nova geração”, a reacção inicial foi mista. A divisão entre aqueles que não gostaram e os que viram um jogo de culto foi bastante clara e repartida. Por isso mesmo é curioso ver como esta aposta da Ubisoft acabou por conquistar o público ao…