Análise – WWE 2K18

WWE 2K18 foi analisado na PS4. O universo da WWE está muito diferente desde os tempos em que eu acompanhava toda a programação semanalmente. A maioria das caras da WWE são novas para mim, mas confesso que já tinha saudades dos dramas e em especial de voltar a pegar num…

Análise – Xenoblade Chronicles 2

Mesmo que não pareça, a Nintendo tem uma boa dose de RPG debaixo da sua alçada, mesmo alguns feitos internamente. A chegada da Monolith Soft acabou por ser mais um impulsionador para geral uma boa quantidade deles. Com o sucesso alcançado na série Xenoblade, a Nintendo não deixou de lado…

Análise – NBA 2K18

Tal como acontece com as franquias anuais de futebol, também a 2K regressa perto do final do ano com mais um episódio de NBA 2K. Sejam por isso bem-vindos a mais um ano de basquetebol, que este ano chega também à Nintendo Switch com resultados impressionantes. A edição deste ano…

Análise – DOOM [Nintendo Switch]

Que ano estranho este de 2017. Não só a Nintendo Switch provou uma vez mais que o mundo ainda quer consolas de jogos dedicadas, como evidenciou que a Nintendo não se morreu (pela centésima vez segundo o que se diz pelas “internets”) e está mesmo bem de saúde. No mesmo…

Análise – Sonic Forces

Sonic Forces é a mais recente aventura de Sonic the Hedgehog e apesar de não ser o melhor jogo do ouriço azul, também não é o pior. Quando olhamos para Sonic Forces é óbvio que este se trata de um produto baseado nos recentes sucessos do ouriço, mas como a…

Análise – Super Mario Odyssey

Plataforma: Nintendo Switch Data de lançamento: 27 Outubro Super Mario Odyssey é uma grande jornada e a maior aposta da Nintendo para este final de ano, mas será que valeu a pena a espera agonizante por parte dos jogadores? A premissa começa com algo familiar e simples. A princesa Peach…

Análise – FIFA 18 (Switch)

Desde que o Game Boy foi introduzido há mais de duas décadas que muitos continuam a sonhar com o dia em que seja possível levar para qualquer lado em formato portátil o mesmo jogo que podemos jogar nas plataformas caseiras mais poderosas. Curiosamente, a Nintendo Switch foi o mais próximo…

Análise – Fire Emblem Warriors

Plataforma: Switch Data de lançamento: 20 Outubro Fire Emblem Warriors junta a fórmula já bem conhecida de Dynasty Warriors da Omega Force e aplica-lhe um aspecto e funcionalidades típicas dos jogos de Fire Emblem. Se gostarem de jogos de Fire Emblem provavelmente irão gostar deste jogo, se forem fãs de Dynasty Warriors…

Análise – Pokkén Tournament DX

Eis que nos chega mais um jogo que se estreou originalmente na Wii U, desta vez é Pokkén Tournament que se apresenta na Switch na sua versão DX. Tal como Mario Kart 8 Deluxe, o jogo mantém-se praticamente o mesmo que o seu antecessor mas insere algumas novidades pelo meio…

Análise – Sonic Mania

Como muitos de vós, este ano a minha lista de jogos esperados é bastante longa, mas o jogo que liderava esta lista até então já chegou, e sim, é Sonic Mania. Para os que me conhecem ou que já estão a pensar que morri de amores assim que vi o…

Análise – ACA Neo Geo The King of Fighters ’98

A Nintendo Switch não arrancou com uma grande quantidade de jogos em mercado, no entanto, existia uma grande surpresa reservada para os jogadores mais saudosistas. Logo no lançamento foram disponibilizados vários jogos da linha ACA Neo Geo, ou seja, uma espécie de emulador das versões originais de cada jogo lançadas…

Análise – Splatoon 2

Splatoon foi sem sombra de dúvidas um jogo que cactivou imensos jogadores com uma Wii U e até alguns que não têm essa consola, assim quando Splatoon 2 foi anunciado, as expectativas estavam altas. Splatoon é um Shooter na terceira pessoa cujo foco é pintar o terreno, pelo menos no…

Análise – RIME

Quando RIME foi oficialmente revelado durante uma conferência da Sony na E3, poucos foram aqueles que não ficaram curiosos em relação a este jogo que parecia misturar elementos de outras referências dentro dos jogos mais Indie. Alguns anos depois, RIME chega não só à PS4, mas a quase todas as…

Análise – ARMS

ARMS é um daqueles jogos que custa a entranhar, mas poderá acabar por vos viciar durante algum tempo. Apesar de ser a mais recente IP da Nintendo, ARMS parece ter nascido na era da Wii, isto por utilizar um dos aspectos principais da consola em que está, e em simultâneo,…

Análise – Puyo Puyo Tetris

O género de construção de puzzles é um dos mais antigos da indústria e um dos maiores exemplos clássicos disso mesmo é Tetris. Lançado em dezenas de plataformas, formatos e spin-offs, Tetris tem como base uma mecânica intemporal que ainda hoje consegue manter os jogadores agarrados a ele. Por isso…