Análise – Puyo Puyo Tetris

O género de construção de puzzles é um dos mais antigos da indústria e um dos maiores exemplos clássicos disso mesmo é Tetris. Lançado em dezenas de plataformas, formatos e spin-offs, Tetris tem como base uma mecânica intemporal que ainda hoje consegue manter os jogadores agarrados a ele. Por isso…

Análise – Lego City Undercover

Lembram-se quando a Wii U ainda estava nos seus primeiros tempos de vida e tudo levava a crer que iria ser um grande sucesso? Essa foi a altura em que estúdios como a TT Fusion começaram a criar jogos exclusivos que iriam apelar a uma audiência em crescimento. Como todos…

Análise – Mario Kart 8 Deluxe

Mario Kart 8 saiu originalmente em 2014 para a Wii U e foi um dos títulos que mais joguei na consola em questão. É uma estranha relação que se forma entre o jogador e Mario Kart, por um lado todos nos enervamos enquanto jogamos e vemos o nosso lugar a…

Análise – New Frontier Days: Founding Pioneers

O que é que aconteceria se os clássicos jogos de simulação de cidades e os jogos repletos de micro-transacções de gestão de cidades tivessem um filho? Provavelmente New Frontier Days: Founding Pioneers seja a resposta. O aspecto cartoon dos jogos mais recentes misturado com mecânicas que só tendem a ficar…

Análise – Fast RMX

Embora o género de corrida não seja o meu favorito, sempre tive espaço na minha lista para títulos como Gran Turismo, Burnout ou o clássico Wipeout. Se os dois primeiros são bem diferentes de Fast RMX, é uma verdade que é fácil ver aqui as inspirações em Wipeout e claro,…

Análise – Shock Troopers

Este clássico da Neo-Geo fez parte do line-up de lançamento da Nintendo Switch e até traz consigo mais do que eu esperava. Shock Troopers é um jogo arcada que pode ser mais facilmente descrito como um Metal Slug onde as personagens se movem e disparam em 8 direcções. Assim sendo…

Análise – Shovel Knight: Treasure Trove

Shovel Knight: Treasure Trove é uma colecção de Shovel Knight e que demonstra o quão boa a Nintendo Switch é enquanto consola, e desvenda a história de Specter Knight (que é mega awesome) e de Plague Knight (disponível anteriormente). Shovel Knight é dos meus jogos preferidos de sempre e já…

Análise – World Heroes Perfect

World Heroes é uma série que acompanho à bastante tempo, ou acompanharia caso esta ainda estivesse no activo já que o último lançamento da mesma ocorreu em 1995 e é esse mesmo título que está aqui em análise. World Heroes Perfect é então um jogo de luta que junta lutadores…

Análise – I Am Setsuna

Já longe vão os tempos dos RPG clássicos por turnos com visual retro e mecânicas por muitos apelidadas de antiquadas. Felizmente, ainda existem jogos como I Am Setsuna para alegrar fãs mais saudosistas como eu. I Am Setsuna já tinha sido lançado previamente em outras plataformas, por isso é bom…

Análise – Super Bomberman R

Bomberman está de regresso num jogo que parece ter parado no tempo. Super Bomberman R é um jogo clássico que não traz nada de novo para a mesa, contamos com um modo história e um modo multi-jogador com a experiência clássica de arena de Bomberman. O jogo tem um estilo…

Análise – VOEZ

VOEZ é um jogo de ritmo que chega à Nintendo Switch apenas em formato digital, este foi criado pela Rayark Games e no ano passado foi lançado para mobile. A primeira coisa que me chamou à atenção foi a arte do jogo, muito limpa e bastante bonita, cativando-me assim que…

Análise – 1-2-Switch

Este é um daqueles jogos que é extremamente divertido mas com falhas graves e a primeira começa mesmo com o preço. Sendo que 1-2-Switch tem cerca de 28 mini-jogos e alguns são variações de outros já existentes contamos verdadeiramente com cerca de 20 mini-jogos diferentes. Como qualquer jogador um pouco mais…

Análise – Nintendo Switch

O lançamento de uma nova plataforma é sempre um marco para a indústria dos videojogos. Cada nova plataforma é uma experiência, um risco e um salto para algo novo. Com a Nintendo Switch, a Nintendo está a dar um salto de gigante para uma era em que o portátil se…