Análise – WWE 2K18

WWE 2K18 foi analisado na PS4. O universo da WWE está muito diferente desde os tempos em que eu acompanhava toda a programação semanalmente. A maioria das caras da WWE são novas para mim, mas confesso que já tinha saudades dos dramas e em especial de voltar a pegar num…

Análise – Xenoblade Chronicles 2

Mesmo que não pareça, a Nintendo tem uma boa dose de RPG debaixo da sua alçada, mesmo alguns feitos internamente. A chegada da Monolith Soft acabou por ser mais um impulsionador para geral uma boa quantidade deles. Com o sucesso alcançado na série Xenoblade, a Nintendo não deixou de lado…

Análise – Need for Speed: Payback

Muitos ainda se devem recordar quando algumas séries clássicas da EA não incluíam história como motivador para jogar, mas conseguiam ser igualmente divertidos e cativantes. Os desafios, provas e novos modos eram mais que incentivo suficiente para continuar a jogar. Um desses expoentes máximos dentro dos jogos de corridas da…

Análise – ELEX

Cá estamos nós outra vez, com um daqueles RPGs que quase passa despercebido, eis se não quando é da mesma produtora da trilogia RISEN que tanto deu que falar. Os jogos da Piranha Bytes são diamantes em bruto, boas ideias e péssimas execuções, e eu como sou um optimista gosto…

Análise – NBA 2K18

Tal como acontece com as franquias anuais de futebol, também a 2K regressa perto do final do ano com mais um episódio de NBA 2K. Sejam por isso bem-vindos a mais um ano de basquetebol, que este ano chega também à Nintendo Switch com resultados impressionantes. A edição deste ano…

Análise – Pokémon Ultra Sun/Moon

Desde Pokémon Black/White 2 que não tínhamos acesso a uma versão melhorada de uma geração, e se há algo pelo qual anseio em todas estas versões melhoradas, é o conteúdo “post-game”. A aventura começa de forma similar e ao contrário de Black/white 2, esta não é uma sequela a Sun…

Análise – The Evil Within 2

Desde a sua saída da Capcom que Shinji Mikami, o criador da série Resident Evil, esteve envolvido em alguns projectos como Vanquish e Shadows of the Damned, até formar o seu próprio estúdio de nome Tango Gameworks. O primeiro rebento da Tango Gameworks foi um novo survival horror de nome…

Análise – DOOM [Nintendo Switch]

Que ano estranho este de 2017. Não só a Nintendo Switch provou uma vez mais que o mundo ainda quer consolas de jogos dedicadas, como evidenciou que a Nintendo não se morreu (pela centésima vez segundo o que se diz pelas “internets”) e está mesmo bem de saúde. No mesmo…

Análise – Sonic Forces

Sonic Forces é a mais recente aventura de Sonic the Hedgehog e apesar de não ser o melhor jogo do ouriço azul, também não é o pior. Quando olhamos para Sonic Forces é óbvio que este se trata de um produto baseado nos recentes sucessos do ouriço, mas como a…

Análise – Danganronpa V3: Killing Harmony

Plataformas: PlayStation 4, PlayStation Vita, PC Versão de Análise: PlayStation Vita Informação Adicional: Imagens retiradas do website oficial do jogo. Por esta altura tanto Danganronpa como Monkuma já se tornaram em algo de culto para os fãs. Quem nunca teve a oportunidade de experimentar um jogo da série muito provavelmente…

Análise – Assassin’s Creed Origins

Como fã assumido da série Assassin’s Creed eu estava mais do que expectante para esta aventura que prometia contar as origens da irmandade dos Assassinos e com cada novo pedaço de informação as minhas expectativas ficaram mais aguçadas. Agora que finalmente chegou, está na altura de experimentar a grande promessa…

Análise – Call of Duty: WWII

Com vários estúdios a trabalhar em Call of Duty, era de prever que a Activision continuasse a lançar um novo jogo todos os anos. A promessa foi essa e é cumprida este ano pela Sledgehammer Games que em conjunto com outras companhias, voltou às origens criadas pela Infinity Ward para…

Análise – Super Lucky’s Tale

Plataformas: Xbox One, Windows 10 Data de lançamento: 7 Novembro Esta é uma história sobre um jovem herói chamado Lucky que tem de salvar o mundo dos diabólicos planos de Jynx. Os planos deste temível inimigo envolvem utilizar o livro do tempo para destruir e reconstruir o mundo, no entanto…

Análise – Wolfenstein 2: The New Colossus

Wolfenstein 2: The New Colossus é a sequela ao reboot de 2014 e não tem papas na língua. Se The New Order já era extremamente desinibido e directo ao assunto, The New Colossus consegue envergonhar por completo o original sendo ainda mais ríspido e não se preocupa com susceptibilidades. Pessoalmente…

Análise – Forza Motorsport 7

A Turn 10 Studios tornou-se com o tempo num dos estúdios mais importantes da história da Xbox. Desde a estreia nada tímida com o primeiro Forza Motorsport na Xbox original que a série catapultou o estúdio para o estrelato ao ponto de competir com séries como Gran Turismo. Agora chega…