Antevisão – Mario Tennis Aces

Com a E3 deste ano à porta, a Nintendo está a começar a preparar alguns dos seus grandes anúncios e lançamentos. Em forma de antevisão, os jornalistas portugueses tiveram a hipótese de experimentar três dos lançamentos do Verão para a Switch e ver um pouco do que nos espera.

Durante a visita à Nintendo Portugal pude experimentar dois jogos e um DLC, sendo um dos grandes destaques Mario Tennis Aces. A versão que experimentei estava inteiramente focada no modo campanha do jogo, no entanto, ainda consegui fazer uns duelos directos contra o computador.

Se o jogo anterior de Mario Tennis tinha sido severamente penalizado e criticado por não incluir uma campanha a sério, Mario Tennis Aces mete o pé no acelerador e faz da campanha um dos seus maiores focos.

Como seria de esperar, a campanha não consiste apenas em duelos directos contra outros personagens, havendo uma série de desafios bem diferentes. Se num era necessário acertar em partes específicas de uma parede, outro desafio consistia em devolver bolas atiradas por plantas Piranha e acertar no maior número possível.

Estes desafios são claramente inspirados em vários mini-jogos que já existiam em outros géneros, ou até mesmo em jogos de Ténis, por isso não ficam aqui mal, ainda para mais tendo em conta que estamos a falar de um jogo de desporto de Mario e estes não precisam necessariamente de fazer sentido.

Existe um mapa mundo repleto de casas ao estilo de um jogo de tabuleiro. Pude ver que existiam algumas localizações diferentes, como uma floresta, uma zona no deserto e uma zona costeira. É quase certo que alguns destes devem ter mini-jogos diferentes e variados.

Já no que toca à jogabilidade, Mario Tennis Aces pareceu ter-se livrado de coisas irritantes do jogo anterior, como é o caso dos gigantes com poder exagerado. De qualquer forma, foram adicionadas algumas mecânicas que prometem ser também elas demasiado fora do contexto para os jogos em multijogador. Se os saltos em comprimento são ferramentas bem-vindas, as super-raquetadas que podem ser dadas com utilização do poder acumulado ou bloqueios que podem danificar a raquete são estranhos e quero como funcionam na versão final.

Para já, seja visualmente ou sonoramente, Mario Tennis Aces tem um bom aspecto e corre com uma fluidez bastante boa. Os modelos das personagens estão óptimos e detalhados, assim como os campos onde joguei. O som é o típico Nintendo, com gritos e grunhidos a que já estamos todos habituados. Quanto à música, não prestei atenção suficiente a este aspecto para perceber como estava.

Posso dizer que me diverti mais com esta pequena experiência com Mario Tennis Aces do que com algumas horas de Mario Tennis: Ultra Smash na Wii U. Vamos poder saber o resultado quando o jogo for lançado a 22 de Junho em exclusivo para a Nintendo Switch.

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.