Análise – WRC 6

Durante vários anos, WRC teve o caminho totalmente aberto para poder dominar o panorama do que são os jogos de Rally e corridas em todo o terreno. No entanto, este ano ficou marcado com o regresso de Dirt Rally num formato “final”, o que levantou a fasquia do género.

Com um rival tão forte, WRC 6 tinha mesmo de estar ao melhor nível para conseguir manter o seu lugar. A melhoria face ao ano passado é notória, mas ainda precisa de mais algumas melhorias debaixo do capô.

Tendo em conta que WRC 5 parecia ter dado um passo atrás, é bom ver que este ano as coisas melhoraram em certos aspectos. A quantidade de licenças é grande, existem várias localizações reais, a condução parece um pouco mais real (muito por culpa do peso dos carros) e os comentários fazem parecer que estamos no mundial.

wrc-6-analise-review-pn_00004

Porém, WRC 6 sofre de outros problemas que não consegue esconder debaixo da alcatifa, sendo uma das maiores ofensas o visual e a fluídez que salta constantemente de boa para má. Existem pistas e carros muito bem trabalhados, aos quais sucedem zonas com pouco detalhe a fazer lembrar a geração anterior, cockpits demasiado escuros e com mau posicionamento da câmara interior e alguns efeitos climatéricos básicos.

Mas é a fluidez aquilo que mais me incomodou. Pelo menos na nossa versão de análise (PS4), é recorrente estar a percorrer uma etapa e a framerate começar a baixar dos 30fps. Não estou a falar de um ou dois fps, mas o suficiente para que pareça que a velocidade do jogo fique mais lenta. Isto ainda é mais notório quando esta variação ocorre várias vezes durante as etapas.

Como sempre, podem encontrar um modo carreira com evolução do condutor, modos livres de condução e competição e ainda modos online que recorrem a competição por tempos directa, ou competições mundiais que começam a uma hora estabelecida. Todo este conteúdo e a escola de condução permitem aproveitar umas boas horas de jogo.

wrc-6-analise-review-pn_00001

Ao começar WRC 6 somos brindados com duas corridas que testam as nossas capacidades e ajudam a escolher como queremos conduzir. Façam um favor a vocês mesmos e escolham o modo de simulação. Pode parecer mais assustador para os novatos, mas é a forma mais eficaz de ter controlo total sobre o carro e obter mais diversão.

Claro que WRC 6 ganha a Dirt pela quantidade de pistas e carros oficiais, que aparecem também com as suas equipas licenciadas. Existem várias classes e todo o tipo de etapas da prova oficial, por isso claro, podem até correr no Rally Vodafone de Portugal.

Fiquei algo desapontado também com o departamento sonoro. A voz do co-piloto parece algo robótica e os sons dos carros não têm tanta força como deviam. Gosto sim da voz do apresentador que parece mesmo um comentador das provas oficiais.

Apesar da sua grande evolução quando comparado com WRC 5, WRC 6 encontra uma grande concorrência em Dirt Rally e é ultrapassado em quase todos os departamentos. Mesmo assim, WRC 6 é um grande jogo e vai agradar certamente aos fãs de Rally.

wrc-6-analise-review-pn_00003

Positivo:

  • Licenças oficiais
  • Progresso na carreira
  • Modos online
  • Modo simulação

Negativo:

  • Visual inconstante
  • Loadings longos
  • Fluídez com grandes deslizes
  • Som dos carros abafado

pn-bom-2016

Daniel Silvestre

Fã de jogos, filmes, anime e coisas do género. Jogo desde que me lembro e adoro RPG. Tenho uma grande colecção deles que tenciono acabar. Talvez um dia no lar da 3ª idade.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Share

You may also like...