Análise – World War Z

Tendo como material original o filme homónimo de 2013 que foi baseado num livro lançado em 2006, World War Z é um jogo multi-jogador onde hordas de zombies são os principais alvos a abater.

Desde logo existem dois modos: o modo cooperativo e o modo multi-jogador. O modo cooperativo é o modo principal de WWZ, existem mais de 10 cenários desenhados para serem jogados com outros jogadores online, caso prefiram podem jogar sozinhos e são-vos atribuídos companheiros com uma Inteligência Artificial moderada.

Os cenários são baseados em 4 localizações distintas mas nem por isso se sentem muito diferentes entre si. Mais cedo ou mais tarde vão ser obrigados a defender uma posição por uma qualquer razão, esperar por um helicóptero ou recolher um dado número de itens de localizações espalhadas numa determinada área.

World War Z acaba por estar no seu melhor nas secções onde temos que defender uma área enquanto hordas de zombies se aproximam e tentam matar todos os jogadores. Nestes momentos é possível erguer defesas como morteiros ou zonas electrificadas para abrandar as hordas, e são zonas que permitem um ataque de várias frentes. As restantes partes dos níveis são trabalhosas e sem identidade, parecem saídas de qualquer outro shooter online na terceira pessoa num modo PVE. Este é o problema principal de World War Z a falta de identidade, não fosse pelo nome, este poderia ser qualquer outro jogo de zombies. Os bons momentos são poucos e parcos, a única coisa que realmente me faz sentir que estou no universo de WWZ é quando grupos de zombies se amontoam uns sobre os outros para escalar um obstáculo.

Ainda assim existe alguma variedade com o sistema de classes e quanto mais jogarem com uma classe e determinadas armas, mais melhoramentos são disponibilizados para poderem comprar.

A outra componente é o modo multi-jogador que conta com diferentes modos. Não me foi fácil encontrar partidas por entre os diferentes modos e quando encontrei não consegui encontrar uma boa razão para continuar em busca destas devido ao estado em que estes modos se encontram.

Os problemas que encontrei vão desde decisões tomadas pelos produtores a mecânicas que parecem não ter sido devidamente polidas e num jogo de acção rápida como este, revelam-se como grandes falhas. Em termos de decisões algo que acho ser completamente imperdoável para um jogo como este é fazer spawn imediatamente atrás de jogadores da equipa adversária, foram várias mortes inglórias para os dois lados do jogo. Nem sempre acontece mas é frequente.

Os restantes problemas estão mais ligados com a parte das animações e o sistema de detecção de colisão. De uma forma simples, o jogo parece estar muito cru, se no modo PVE ainda consegui retirar alguma diversão mesmo com estes problemas, nos modos PVP estes problemas impedem que tal aconteça. Estes problemas são variados e acabam por causar perturbações ao longo da experiência. Os vários modos PVP têm potencial mas a jogabilidade precisava de ter sido alvo de um maior cuidado.

Visualmente World War Z não espanta, aliás parece quase saído da anterior geração de videojogos, seja pelo seu aspecto ou animações. Existem salpicos de boas ideias e bons momentos mas não são suficientes para mudar o quadro geral. No que diz respeito ao som este vai cair no genérico, não existe algo que identifique World War Z no imediato.

Como um todo é uma experiência capaz de entregar bons momentos se jogado com amigos, como qualquer outro jogo multi-jogador é capaz, sobretudo no modo história cooperativo. A falta de polimento e de cuidado para com o jogo nota-se e reflecte-se nesta experiência genérica e medíocre que parece aproveitar-se de uma licença para se mascarar como algo melhor do que verdadeiramente é.

Positivo

  • Modo história cooperativo
  • Diferentes modos multi-jogador

Negativo

  • Demasiado genérico
  • Falta de polimento e identidade

 

Alexandre Barbosa

Videojogos e séries de TV são o seu meio de entretenimento favorito. Desde jogos de plataformas a RPGs todos os jogos são um hipotético interesse. Ganhou também alguns traumas com certos videojogos mas isso já era de esperar. Agora já posso parar de falar sobre mim na 3ª pessoa?

More Posts

Share

You may also like...